Praça João Carlos Hohlenwwerger, 06 Tel-(73) 35313567-Ipiaú-BA

Partidos de oposição articulam apoio a candidato indicado por Maia

O PRESIDENTE DA CÂMARA, RODRIGO MAIA. FOTO: TÂNIA RÊGO/AGÊNCIA BRASIL


A eleição da cúpula do Parlamento, que está marcada para 1º de fevereiro de 2021, é considerada a disputa política mais importante do próximo ano.

Com exceção do PSOL, todos os outros sete partidos que integram a oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro não devem lançar candidato para os cargos. Logo, se tornaram alvos dos blocos do centrão que disputam o poder.

De um lado, Bolsonaro deve apoiar o deputado Arthur Lira (PP/PI). Do outro, um nome que será definido por Maia para ser seu sucessor.

O parlamentar já avisou que o nome será integrante do que ele chama de Câmara Livre, um movimento de oposição ao Palácio do Planalto.

Tanto Lira quanto Maia articulam para ganhar apoio da oposição. A reportagem conversou com deputados que indicaram apoio ao bloco do candidato de Maia, para se opor a Bolsonaro.

Os nomes cotados por Maia para sua sucessão são Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Baleia Rossi (MDB-SP), Elmar Nascimento (DEM-BA), Luciano Bivar (PSL-PE) e Marcos Pereira (Republicanos-SP), mas ele não descartou a inclusão de um representante da esquerda em sua lista, do PSB e do PDT.

O apoio a Lira ainda não foi oficialmente descartado, mas segundo fontes dos partidos da oposição será inviável apoiar o candidato de Bolsonaro.

Freixo não será o candidato do PSOL 

O PSOL ainda não escolheu o nome que representará o partido para a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados. Segundo apurou a reportagem, o deputado Marcelo Freixo, que concorreu em 2019, não será o nome da sigla.

Por ter uma bancada com maioria de mulheres, o partido apostará em uma candidata, mas ainda não definiu quem será.
Por: CartaCapital

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esta matéria.