Bolsonaro vota no segundo turno das eleições municipais no Rio

@Reuters/Pilar Olivares/Direitos Reservados

O presidente Jair Bolsonaro votou hoje (29), pouco depois das 10h30, no segundo turno das eleições municipais no Rio de Janeiro. A sessão eleitoral de Bolsonaro fica na Escola Municipal Rosa da Fonseca, dentro da Vila Militar, em Deodoro, na zona oeste da cidade.

O esquema de segurança foi reforçado no local neste domingo. Por causa da presença do presidente, eleitores que votaram na escola até esse horário precisaram passar por detector de metal e revista em bolsas e mochilas.

Após desembarcar na capital carioca, o presidente foi direto para o local de votação. Antes de entrar na escola, ele cumprimentou e tirou fotos com apoiadores que o aguardavam. Bolsonaro retorna para Brasília ainda hoje e, amanhã (30), como é feriado distrital do Dia do Evangélico na capital federal, ele não tem compromissos oficiais previstos.

Edição: Graça 
Por Andreia Verdélio - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Caixa paga auxílio emergencial para nascidos em maio

@Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Caixa Econômica Federal paga hoje (29) o auxílio emergencial para 3,5 milhões de brasileiros nascidos em maio. Serão liberados R$ 1,2 bilhão para beneficiários que não fazem parte do Bolsa Família, no ciclo 5 de pagamentos do programa. Os pertencentes ao Bolsa Família recebem de acordo com o calendário do programa social.

Do total, 175,3 mil receberão R$ 115,3 milhões referentes a parcela do auxílio emergencial regular, no valor de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães chefes de família). Os demais, 3,3 milhões de beneficiários, serão contemplados com parcelas do auxílio emergencial extensão de R$ 300 (R$ 600 para mães chefes de família), num total de R$ 1,1 bilhão.

Os recursos estarão disponíveis na poupança social digital e poderão ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem. Com ele é possível fazer compras na internet e nas maquininhas em diversos estabelecimentos comerciais, por meio do cartão de débito virtual e QR Code. O beneficiário também pode pagar boletos e contas, como água e telefone, pelo próprio aplicativo ou nas casas lotéricas.

O calendário de pagamentos do auxílio emergencial é organizado em ciclos de crédito em conta poupança social digital e de saque em espécie. Os beneficiários recebem a parcela a que têm direito no período, de acordo com o mês de nascimento.

Saques e transferências para quem recebe o crédito neste domingo serão liberados em 11 de janeiro. A partir dessa data, o beneficiário poderá retirar o auxílio emergencial no caixa eletrônico, nas agências da Caixa ou lotéricas ou usar o aplicativo Caixa Tem para transferir o dinheiro da poupança digital para contas em outros bancos, sem o pagamento de tarifas.

O auxílio emergencial, criado em abril pelo governo federal, pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil, foi estendido até 31 de dezembro, por meio da Medida Provisória (MP) 1000. O auxílio emergencial extensão será pago em até quatro parcelas de R$ 300 cada e, no caso das mães chefes de família monoparental, o valor é de R$ 600.

De acordo com a Caixa, não há necessidade de novo requerimento para receber a extensão do auxílio. Somente aqueles que já foram beneficiados e se enquadram nos novos requisitos estabelecidos na MP terão direito a continuar recebendo o benefício.

Edição: Graça Adjuto
Por Andreia Verdélio - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Ipiaú: Jovem é assassinado no bairro Euclides Neto

Foto: Giro Ipiaú

O corpo de um jovem foi encontrado na manhã desse domingo (29), nas proximidades da Rua São Bartolomeu, no bairro Euclides Neto. A vítima apresentava marcas de tiros e foi encontrada na frente da casa onde vivia. Populares relataram que na madrugada ouviram barulho de três disparos de arma de fogo.
Foto: Giro Ipiaú
O jovem encontrado morto foi identificado como Pedro Henrique Batista Bulhões, apelidado de Branco. Conforme populares, ele residia sozinho na casa e os seus familiares não vivem em Ipiaú. Há cerca de dois anos Branco teria sofrido, em Ipiaú, uma tentativa de homicídio e ficou gravemente ferido após ser atingindo com golpes de facão. Ainda de acordo com moradores da localidade, o jovem era dependente químico. A Polícia Militar isolou a área até a chegada do DPT que fará a perícia no local e remoção até o IML de Jequié. O homicídio será investigado pela Polícia Civil. *Giro Ipiaú

Parlamentares pedem que Kassab não assuma cargo na gestão Doria para não prejudicar projetos para 2022

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Parlamentares procuraram na última semana o presidente do PSD, Gilberto Kassab, pedindo para que ele não assuma nenhum cargo no governo de São Paulo. A ideia de seus aliados é que, fora da gestão João Doria (PSDB-SP), ele terá mais isenção para liderar a estratégia política mirando a eleição de 2022.

Kassab foi nomeado secretário da Casa Civil do governo tucano no início de 2019, mas se licenciou logo nos primeiros dias, status que permanece até o momento.

Painel/Folha de S.Paulo

Boletim Covid/ do 28 de novembro, confirma três (03) novos casos de coronavirus em Ipiaú.


A Secretaria de Saúde de Ipiaú informa que hoje, 28 de novembro, tivemos 7.447 casos registrados como suspeitos, sendo 2106 casos confirmados, dentre estes, são 2.054 pessoas RECUPERADAS, 13 estão em isolamento social, 02 estão internadas e 37 foram a óbito. 5.314 casos foram descartados e 27 pessoas aguardam resultado de exame. Nesse momento, temos 15 casos ativos.
Obs: Dados da testagem dos profissionais e alunos das Escolas Estaduais foram contabilizados neste boletim em 03/07.

Use máscara, evite aglomeração e higienize as mãos com água e sabão sempre que puder 

Prefeitura de Ipiaú/Dircom

2º turno: TRE-BA prepara locais de votação de Feira de Santana, neste sábado (28)

As urnas eletrônicas já estão nos 147 locais de votação da cidade, que tem o segundo maior colégio eleitoral da Bahia 

Foto: Divulgação/TREBA
A Justiça Eleitoral de Feira de Santana realizou neste sábado, (28), a preparação dos 147 locais de votação para o segundo turno das Eleições Municipais de 2020. Feira, que é o segundo maior colégio eleitoral da Bahia, tem 400.549 votantes, distribuídos em quatro Zonas Eleitorais e 881 seções. 

Durante o procedimento, coordenadores e diretores das escolas verificaram a organização e limpeza dos locais, prepararam as salas, identificaram os corredores com o número das zonas e seções e receberam as urnas eletrônicas, vindas do Fórum Eleitoral da cidade. 

Na Escola Municipal Yeda Barradas Carneiro, no bairro da Queimadinha, 2.671 pessoas são aguardadas para a escolha do próximo prefeito, neste domingo, (29). O coordenador Jefferson Almeida explicou a logística da arrumação. “Na véspera das votações, a gente vem à escola para organizar e garantir que tudo esteja funcionando para que o eleitor tenha tranquilidade para votar”. 

Com a pandemia do novo coronavírus, Jefferson destacou que também faz parte do trabalho as marcações para o distanciamento social, além da verificação de álcool em gel nas salas e nos corredores e a sinalização do uso obrigatório da máscara. “Tudo isso é fundamental para garantir a segurança sanitária no dia das Eleições”. 

As seis urnas eleitorais da 154ª ZE chegaram à escola Yeda Barradas Carneiro por volta das 8h30 deste sábado. Às 09h, o técnico de urnas do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), Diego Oliveira, chegou ao local e atestou que todas estavam funcionando plenamente. “É necessário verificar que os equipamentos estão em ordem, por isso imprimimos um documento que comprova o estado de cada urna”, explicou. 

A educadora Dilma Amorim, vice-diretora da escola, onde atua há 43 anos, comentou a importância de um espaço de educação se transformar por um dia no lugar em que os cidadãos vão escolher seus representantes. “Vários alunos desta escola votam aqui e sempre nos encontramos, eles felizes de votar onde estudam. Isso é muito importante também como uma forma de conscientizá-los sobre a cidadania e o valor do voto”. Por: TRE-BA

Bahia duplica número de novos casos da Covid-19 em 24 horas, aponta boletim da Sesab

A Bahia registrou neste sábado (28), 4.204 novos casos da Covid-19 nas últimas 24 horas, mais que o dobro do registrado na última sexta-feira (27). O estado possui 10.312 casos ativos da doença, de acordo com a secretaria de saúde. 
O estado registrou 20 óbitos nas últimas 24 horas. O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 8.227.
Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (24,85%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Ibirataia (9.214,99), Aiquara (6.882,59), Itabuna (6.868,40), Madre de Deus (6.826,91), Almadina (6.789,90).

Pagamento do Bolsa Família será feito por poupança digital a partir de dezembro

 O novo formato permitirá que o beneficiário tenha conta bancária sem obrigatoriedade de saque integral das parcelas

Foto: Marcelo Casal/Agência Brasil

A partir de dezembro, a Caixa Econômica Federal fará o pagamento aos beneficiários do programa Bolsa Família por meio da Conta Poupança Social Digital. As informações são da Agência Brasil.

O novo formato permitirá que o beneficiário tenha conta bancária sem obrigatoriedade de saque integral das parcelas. Nesta primeira etapa, cerca de cerca de 1,5 milhão de pessoas receberão os valores pelo CAIXA Tem.

A abertura das contas digitais será feita de forma automática e escalonada. Os primeiros a receber os recursos com os serviços da Conta Poupança Social Digital serão os beneficiários de NIS com final 9 e 0, seguindo a data de crédito regular do Programa.

Mais de 9 milhões de pessoas que ainda não possuem nenhuma conta bancária poderão receber o benefício por meio de crédito na conta digital, sacar com o cartão Bolsa Família e movimentar os valores pelo aplicativo CAIXA Tem.

Confira como irá funcionar o calendário de pagamento:

Beneficiários com NIS final 6, 7 e 8 receberão em janeiro (2,25 milhões de pessoas)

– Beneficiários com NIS final 3, 4 e 5 receberão em fevereiro (2,25 milhões de pessoas)

– Beneficiários com NIS final 1, 2 e Grupos Populacionais Tradicionais Específicos (indígenas, quilombolas, ribeirinhos, extrativistas, pescadores artesanais, comunidades tradicionais, agricultores familiares e outros) receberão em março (3 milhões de pessoas)

Ministro da Infraestrutura anuncia que está com covid-19

@Marcelo Camargo/Agência

 O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, anunciou neste sábado (28) que testou positivo para a covid-19. Por meio das redes sociais, o ministro informou que está assintomático e manterá as atividades da pasta por meio de teletrabalho.

Freitas é o 14º ministro do governo infectado pela doença. O presidente Jair Bolsonaro e a primeira-dama Michelle Bolsonaro também tiveram covid-19, em julho. Todos eles estão recuperados da infecção.
Por Agência Brasil - Brasília

PF prende em Portugal suspeito de invasão hacker ao TSE

@Arquivo/Tânia Rêgo/Agência Brasil

Operação coordenada pela Polícia Federal (PF) em parceria com a Polícia Judiciária Portuguesa prendeu neste sábado (28), em Portugal, um suspeito de envolvimento no ataque hacker ao sistema Tribunal Superior Eleitoral do (TSE), que divulgou dados do tribunal no dia do primeiro turno das eleições municipais.

Segundo a PF, o inquérito policial aponta que um grupo de hackers brasileiros e portugueses, liderados por um cidadão português, foi responsável pelos ataques criminosos aos sistemas do TSE no primeiro turno das Eleições de 2020.

Estão sendo cumpridos, no Brasil, três mandados de busca e apreensão e três medidas cautelares de proibição de contato entre investigados nos estados de SP e MG. Além da prisão, em Portugal, é cumprido um mandado de busca e apreensão. As ações se desenvolvem com por meio da Operação Exploit.

Os mandados cumpridos no Brasil foram expedidos pelo Juízo da 1ª Zona Eleitoral do Distrito Federal, após representação efetuada pela Polícia Federal e manifestação favorável da 1ª Promotoria de Justiça Eleitoral.
Ataque

A Polícia Federal apura o acesso ilegal aos dados de servidores públicos divulgados no dia 15 de novembro, além de outras atividades criminosas do grupo. Os crimes apurados no inquérito policial são os de invasão de dispositivo informático e de associação criminosa, ambos previstos no Código Penal; além de outros previstos no Código Eleitoral e na Lei das Eleições.

Segundo a corporação, não foram identificados quaisquer elementos que possam ter prejudicado a apuração, a segurança ou a integridade dos resultados da votação. 
Exploit

Nome da operação, exploit é uma parte de software. Trata-se de um pedaço de dados ou uma sequência de comandos que tomam vantagem de um defeito a fim de causar um comportamento acidental ou imprevisto no software ou hardware de um computador ou em algum dispositivo eletrônico.

Edição: Valéria Aguiar
Por Agência Brasil - Brasília

Se tivesse autoridade, daria auxílio emergencial para quem tem acima de 65 anos, diz Bolsonaro

Foto: Alan Santos/PR/Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro sugeriu nesta sexta-feira (27) o pagamento de um auxílio emergencial para maiores de 65 anos.

“Se eu tivesse autoridade para buscar solução pra isso, eu daria o auxílio emergencial para os acima de 65 [anos], pode ser um valor maior. Sai muito mais barato”, disse o presidente, ao chegar no Palácio da Alvorada.

A fala do mandatário foi transmitida por um site bolsonarista.

O presidente não deu mais detalhes sobre o tema. Sua fala ocorreu enquanto ele conversava com uma simpatizante sobre a possível prorrogação do auxílio, algo que, segundo o presidente, “quebra a economia”.

O auxílio emergencial de R$ 600 foi criado como fonte de renda para a população afetada pela pandemia de Covid-19. Desde setembro, o valor foi reduzido para R$ 300.

Nesta semana, o presidente disse esperar que a renovação do auxílio não seja necessária.

Na conversa com simpatizantes na noite de sexta, o presidente voltou a afirmar que houve uma “onda terrível, um pânico” na população em relação ao coronavírus.

“Agora o pessoal fez uma onda terrível ali. Realmente [a Covid-19] matou gente? Matou. A gente sabe disso. Lamentavelmente morreu muita gente, né? Mas fizeram uma onda terrível, um pânico na população. Tem pessoas idosas que estão dentro de casa até agora”, declarou.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o vírus contaminou até o momento 6,2 milhões de pessoas no Brasil, com quase 172 mil mortes.

Na interação com apoiadores, Bolsonaro foi questionado sobre a redução de impostos sobre bicicletas.

Ele usou a resposta para comentar a reforma tributária.

“Numa reforma tributária, que é difícil sair, porque um monte de interesses estão postos na mesa, a ideia é deminuir isso aí. Mas por enquanto não tô vendo a curto prazo. Acho que esse ano dá para começar a reforma tributária, vai depender depois da futura mesa eleita da Câmara e do Senado também”, concluiu.

Folha de S.Paulo

Brasil registra 501 novas mortes por Covid-19 nas últimas 24h e aumento da média móvel

Foto: Divulgação/
País chegou a 6.238.076 pessoas infectadas pelo novo coronavírus e 171.998 óbitos desde o início da pandemia

O Brasil registrou 33.506 casos da Covid-19 e 501 novas mortes pela doença nas últimas 24 horas. O país, assim, chegou a 6.238.076 pessoas infectadas pelo novo coronavírus e 171.998 óbitos desde o início da pandemia.

Os dados são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

O jornal Folha de S.Paulo também divulga a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 477, o que representa um aumento de 18% em relação à média de 14 dias atrás. Sudeste, Sul e Norte apresentam aumento da média móvel de mortes em relação ao dado de 14 dias atrás. Nordeste está em situação de estabilidade e o Centro-Oeste de queda.

O Brasil tem uma taxa de 81,5 mortos por 100 mil habitantes. Os Estados Unidos, que têm o maior número absoluto de mortos (261.874), e o Reino Unido (56.630), ambos à frente do Brasil na pandemia (ou seja, começaram a sofrer com o problema antes), têm 80,2 e 85,2 mortos para cada 100 mil habitantes, respectivamente.

O Brasil havia ultrapassado a taxa da Itália de mortes por 100 mil habitantes (86,1), país com 52.028 óbitos pela doença. Contudo, com a segunda onda que assola a Europa, a Itália voltou a ultrapassar o Brasil.

O México, que ultrapassou o Reino Unido em número de mortos e já contabiliza 102.739 óbitos, tem 81,4 mortes para cada 100 mil habitantes.

Na América do Sul, chama a atenção também o número de mortos por 100 mil habitantes do Peru: 111,6. O país tem 35.685 óbitos pela Covid-19.

A Índia é o terceiro país, atrás apenas de EUA e Brasil, com maior número de mortes pela Covid-19, com 134.699 óbitos. Lá, devido ao tamanho da população, a taxa proporcional é de 10 óbitos por 100 mil habitantes.

Na Argentina, onde a pandemia desembarcou nove dias mais tarde que no Brasil e que seguiu uma quarentena rígida de início, o índice é de 84,1 mortes por 100 mil habitantes (37.432 óbitos).

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira (27) apontam 33.873 novos casos confirmados de Covid nas últimas 24h, com 511 novas mortes.

Com isso, o total registrado no balanço federal chega a 6.238.093 casos e 171.971 mortes pela doença desde o início da epidemia no país.

O balanço não abrange novos dados das últimas 24h em Rondônia e Amapá. Segundo a pasta, a situação ocorre devido a uma instabilidade em sistemas da pasta.

Folhapress

Vacina contra Covid-19 não deverá ser oferecida para toda a população, diz Ministério da Saúde

Foto: Fotoarena/Folhapress/
Vacina contra Covid-19 não deverá ser oferecida para toda a população

 Assim que for aprovada, uma vacina contra Covid-19 não deve ser oferecida para toda a população no próximo ano, mas apenas para grupos de maior risco de exposição e complicações pela doença, informou nesta sexta-feira (27) o Ministério da Saúde.

A pasta está trabalhando na construção de um plano nacional de imunização. Um documento preliminar deve ser compartilhado com especialistas e secretários de saúde na próxima terça-feira (1).

Nas últimas semanas, o ministério já vinha falando em iniciar a vacinação por grupos prioritários, como idosos, pessoas com doenças crônicas e profissionais de saúde, mas não estava claro se pensava em estender a oferta.

“Definimos objetivos para a vacinação, porque não temos uma vacina para vacinar toda a população brasileira. Além disso, os estudos não preveem trabalhar com todas as faixas etárias inicialmente, então não teremos mesmo como vacinar toda a população brasileira”, disse a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, Francieli Fantinato. Ela afirma que entre os grupos que hoje não fazem parte de estudos clínicos estão crianças e gestantes.

Com os acordos já assinados até agora, o Brasil pode esperar uma imunização de ao menos um terço da população até o fim do primeiro semestre da população e mais da metade da população até o final de 2021 —a quantidade pode aumentar se forem fechados novos acordos.

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, disse que a oferta para públicos específicos não significa que as outras pessoas não estarão protegidas.

“O fato de determinados grupos da população não serem imunizados não significa que não estarão seguros, porque outros grupos que convivem com aqueles estarão imunizados e dessa forma não vão ter a possibilidade de se contaminar”, afirmou.

Ele comparou a estratégia da vacina contra a Covid-19 com a das campanhas de vacinação contra a gripe, também voltadas a grupos de maior risco de exposição e complicações pelo vírus.

“Nossa meta é vacinar 80 milhões de brasileiros por ano, não falamos em toda a população”, afirma. Segundo ele, a mesma discussão ocorre em outros países.

“Quando falamos de vacinação, o mundo não entende que terá que ter vacina para todos. A Covax [iniciativa da Organização Mundial de Saúde que acompanha nove estudos de vacinas para oferta aos países] almeja 2 bilhões. É uma meta ambiciosa, e não se imagina que haverá vacina para todas as pessoas do planeta”, diz.

Segundo Fantinatto, a definição dos grupos deve levar em conta o cenário epidemiológico do país e as indicações das eventuais vacinas que estiverem disponíveis.

Folha de S.Paulo

Quadrilha que lucrava mais de 100 milhões de euros com tráfico é alvo de operação

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Uma operação da Polícia Federal brasileira em parceria com a Europol prendeu 45 pessoas em 180 localidades do país. O grupo é suspeito de integrar uma rede responsável pelo tráfico de pelo menos 45 toneladas de cocaína para portos europeus.

Segundo informações do colunista do UOL, Jamil Chade, a quadrilha teria lucrado mais de 100 milhões de euros em seis meses. Conforme a Europol, mil policiais participaram da ação contra o grupo classificado pela agência de “altamente profissional”.

Além do Brasil, a operação também foi deflagrada em Portugal e na Bélgica. Das 45 prisões, 38 ocorreram em terras brasileiras. Outra quatro foram na Bélgica, uma na Espanha e duas em Dubai. Fora isso, ainda foram apreendidos 12 milhões de euros em dinheiro vivo em Portugal.

Ação conjunta apreende 200 kg de maconha dentro de carro

Foto: Divulgação/SSP-BA

Duzentos quilos de maconha prensada foram encontrados, na quinta-feira (26), durante ação conjunta das polícias Civil e Rodoviária Federal, com apoio da Superintendência de Inteligência (SI) da SSP. O flagrante aconteceu, na cidade de Itabuna, na região Sul da Bahia.

Após trabalho de inteligência, os policiais foram até o bairro João Soares e localizaram os entorpecentes. Os 200 tabletes, cada um pesando cerca de 1 kg, estavam dentro de um automóvel modelo Siena.

Segundo informações iniciais, a maconha seria distribuída na cidade de Itabuna e em outros municípios da região. O motorista do veículo foi identificado e apresentado na Delegacia Territorial (DT) de Itabuna.

Fonte: Ascom | Alberto Maraux

Suspeito é preso com mais 400 quilos de maconha em Jauá

Foto: Diugação/SSP-BA

Ações integradas entre policiais civis e militares resultaram na prisão de um homem e na apreensão de aproximadamente 420 quilos de maconha, em Jauá, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), na quinta-feira (26). Conforme investigações da Delegacia de Homicídios Múltiplos (DHM), a droga estava armazenada em uma casa utilizada como depósito.
Foto: Diugação/SSP-BA

O entorpecente foi apresentado à imprensa, na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), nesta sexta-feira (27), pelo titular da DHM, delegado Odair Carneiro, o comandante de Policiamento Regional da Capital Atlântico (CPRC-Atlântico), coronel Saulo Roberto e a major Leila Aragão, comandante da 35ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM).

De acordo com o delegado Odair Carneiro, a maconha seria distribuída em Camaçari e nos bairros da Pituba, Boca do Rio e Nordeste de Amaralina, em Salvador, além de Simões Filho. “Foram dois meses de investigações em parceria com a PM. Este homem tem duas passagens por tráfico e é suspeito de distribuir esses entorpecentes para diversos grupos criminosos”, afirma.

Além do material apreendido por policiais do Comando de Policiamento Regional da Capital Atlântico (CPRC-Atlântico), dois veículos também foram encontrados com o suspeito. O coronel Saulo Roberto pontuou a relevância interação entre as duas forças policiais. “A partir de uma prisão, realizada há dois meses, iniciamos os trabalhos integrados, o que possibilitou chegarmos ao fornecedor. Seguiremos com ações conjuntas para continuar coibindo a criminalidade”, comentou.

O homem passou por exames de lesões e está à disposição do Poder Judiciário. A droga será periciada no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Fonte: Ascom | PC

Debinha e novatas comandam goleada da seleção feminina sobre Equador

@Lucas Figueiredo/CBF

A seleção feminina levou a melhor no primeiro dos dois amistosos contra o Equador, que encerram a temporada 2020 das respectivas seleções femininas. Nesta sexta-feira (27), a equipe de Pia Sundhage goleou La Tri, como é conhecido o time equatoriano, por 6 a 0 na Neo Química Arena, em São Paulo. As equipes se reencontram na terça-feira (1º), às 21h30 (horário de Brasília), novamente na capital paulista, mas no estádio do Morumbi.

Fotos: Mariana Sá/CBF
Com três gols, a atacante Debinha foi a protagonista de uma noite que ainda teve a zagueira Rafaelle, a meia Duda e a atacante Valéria deixando as respectivas marcas. As duas últimas atuaram pela primeira vez vestindo a amarelinha.

Foi o primeiro jogo da Seleção após oito meses. O time não ia a campo desde o torneio amistoso disputado na França, em março, quando enfrentou Holanda, Canadá e as anfitriãs. O duelo marcou também a estreia oficial da brasileira Emily Lima no comando do Equador. Ex-técnica de São José e Santos, ela dirigiu o Brasil por dez meses, entre 2016 e 2017, substituindo Vadão após a Olimpíada do Rio de Janeiro.
Fotos: Mariana Sá/CBF

No popcorn time!”

Na tradução literal, a expressão acima significa “sem tempo para comer pipoca”. Quando pede isso nos treinos, Pia quer as jogadoras não se desliguem do jogo e busquem sempre o gol. Desde o apito inicial, as brasileiras mostraram que entenderam o recado. Os primeiros 45 minutos foram quase todos disputados em uma única metade do campo. Com as linhas recuadas, o Equador tentava reduzir o espaço de ação das brasileiras, que chegaram várias vezes com perigo, ainda que quase sempre pelo alto.
Fotos: Mariana Sá/CBF
Aos 13, a atacante Debinha ficou com a sobra de uma cobrança de escanteio da meia Andressa Alves, mas parou na goleira Andrea Morán. Sete minutos depois, a camisa 9 recebeu um cruzamento da atacante Adriana e cabeceou, obrigando Morán a uma grande defesa. Aos 33, Debinha, enfim, levou a melhor. Na sequência de outro escanteio batido por Andressa Alves, a atacante dominou perto da marca do pênalti e finalizou no alto, sem chances para a equatoriana.
Fotos: Mariana Sá/CBF

Na segunda etapa, Pia fez as seis mudanças que podia. Entre elas, promoveu as estreias das jovens Duda (meia), Valéria e Nycole (ambas atacantes). As três foram determinantes para o jogo se transformar em goleada. Aos 32 minutos, Nicole recebeu na área e fez o pivô para Debinha marcar o segundo dela. No lance seguinte, Nycole tocou de calcanhar para Duda cruzar e Valéria finalizar para as redes. Aos 37, a meia Andressinha cobrou escanteio e a zagueira Rafaelle, na primeira trave, ampliou de cabeça.
Fotos: Mariana Sá/CBF
O Brasil continuou sem “comer pipoca” e sem dar trégua ao Equador. Aos 38, Nycole foi derrubada pela zagueira Ariana Lomas dentro da área. Debinha cobrou e marcou o terceiro dela na noite (o nono na era Pia), disparando na artilharia da seleção sob o comando da técnica sueca. Quatro minutos depois, Duda fechou a vitória com um golaço da entrada da área.

Edição: Fábio Lisboa
Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional - S

Boletim Covid/de 27 de novembro, registra quatro (04) novos casos de coronavirus em Ipiaú..

A Secretaria de Saúde de Ipiaú informa que hoje, 27 de novembro, tivemos 7.441 casos registrados como suspeitos, sendo 2.103 casos confirmados, dentre estes, são 2.050 pessoas RECUPERADAS, 14 estão em isolamento social, 02 estão internadas e 37 foram a óbito. 5.310 casos foram descartados e 28 pessoas aguardam resultado de exame. Nesse momento, temos 16 casos ativos.

Obs: Dados da testagem dos profissionais e alunos das Escolas Estaduais foram contabilizados neste boletim em 03/07.

Use máscara, evite aglomeração e higienize as mãos com água e sabão sempre que puder 

Prefeitura de Ipiaú/Dircom

Após morte do pai, Luciano teria decidido colocar fim na dupla com Zezé, diz colunista

Relação entre os dois estaria estremecida desde 2017

Foto: Diulgação

O cantor Luciano teria decidido colocar fim na dupla com o irmão Zezé Di Camargo após a morte do pai dos artistas, Seu Francisco. Segundo informações do colunista Erlan Bastos, os irmãos ainda estavam mantendo a dupla por causa do pai. No entanto, com a morte dele Luciano estaria decidido a se separar de Zezé.

Conforme o colunista, a relação entre os dois estaria estremecida desde 2017, ano em que Luciano falou pela primeira vez sobre dar fim à dupla. Atualmente, o cantor lançou um projeto como cantor solo no gênero gospel. Ele também participou de um especial de natal da Record, que irá ao ar este ano.

Com mais 1.919 casos novos, Bahia tem 8.986 ativos

 Nas últimas 24 horas, foram confirmadas mais 22 vítimas fatais; total vai para 8.207

Foto: Governo de SC

Mais 1.919 casos de Covid-19 foram confirmados nas últimas 24 horas, número que supera os recuperados em 270 registros – 1.649 foram curados neste período. O número de casos ativos nesta sexta-feira (27) está em 8.986 pessoas.

Em toda a pandemia, o estado registrou 394.300 infectados, dos quais 377.107 foram recuperados. Um total de 8.207 infectados morreram por ação do novo coronavírus – 22 pessoas tiveram o óbito confirmado para Covid-19 nas últimas 24 horas.

Nos casos ativos, 1.012 estão em internação hospitalar. Outros 7.974 contam com acompanhamento domiciliar. A taxa de ocupação está em 55%, com maior concentração nas UTIs adulto (65%) e pediátrica (605).

Na capital, a ocupação hospitalar encontra-se em 64%, com maior demanda por leitos de enfermaria adulto (68%) e pediátrica (62%).

Cartórios já podem autenticar documentos por meio digital

@Arquivo/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Os cartórios brasileiros já podem autenticar documentos por meio eletrônico. O novo serviço possibilitará a certificação de cópias de forma online pelo site.

A novidade vem para complementar a digitalização de outros serviços que já estavam sendo prestados na plataforma de atos notoriais eletrônicos chamada e-Notoriado. Entre eles, assinaturas digitais de escrituras, procurações por videoconferência, atas notariais e testamentos, bem como separações e divórcios extrajudiciais.

Segundo o Colégio Notarial do Brasil (CNB), órgão responsável por gerir o módulo da Central Notarial de Autenticação Digital (Cenad), o novo recurso permite “a materialização e a desmaterialização” de autenticações em diferentes cartórios. Dessa forma, torna mais rápido o envio do documento certificado para pessoas ou órgãos, além de verificar de forma segura a autenticidade do arquivo digital.

A Cenad foi é o único meio nacional válido para a autenticação digital de documentos. Para tanto, será necessária a apresentação de um documento originalmente físico, junto a algum cartório de notas, para que ele seja digitalizado para, então, ser enviado para autenticação.

Segundo a presidente do CNB, Giselle Oliveira de Barros, o novo procedimento permite ao usuário trabalhar com o documento eletrônico, mas com segurança jurídica.

“Após o documento ser autenticado pela Cenad, ele pode ser enviado eletronicamente (email, whatsapp ou qualquer outra ferramenta) a órgãos públicos ou pessoas físicas e jurídicas para a concretização de negócios, tendo o mesmo valor que o documento original, físico ou digital, apresentado pelo cidadão”, informou.

Como acessar o serviço

Para acessar esse serviço, “o usuário deve solicitar a autenticação digital a um tabelionato de notas de sua preferência e enviar o documento por e-mail, caso o original seja digital. Se o documento a ser autenticado for físico, é necessário levar o impresso ao cartório para digitalização e autenticação.

Ao receber o documento por meio da plataforma, que segue as normas de territorialidade para distribuição dos serviços, o tabelião verifica a autenticidade e a integridade do documento”, informa o CNB.
A autenticação notarial gera um registro na plataforma, com dados do notário ou responsável que a tenha assinado, a data e hora da assinatura, e código de verificação. “O usuário receberá um arquivo em PDF assinado digitalmente pelo cartório. O envio do arquivo poderá ser feito por e-mail, WhatsApp ou outro meio eletrônico”, finaliza.
Por Pedro Peduzzi - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Nos bastidores, general Pazzuelo diz que, se sair, 'sairá feliz'

Pazuello já estava desgastado por ter sido desautorizado pelo presidente, que cancelou a compra de 46 milhões de doses da vacina chinesa

© Reuters

A polêmica sobre os testes para diagnóstico prestes a perder a validade, ampliou o estremecimento das relações entre o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e o presidente Jair Bolsonaro. Antes da nova crise no governo, Pazuello já estava desgastado por ter sido desautorizado pelo presidente, que chegou a cancelar o acordo para a compra de 46 milhões de doses da vacina chinesa. Em recente conversa com amigos, Pazuello, que é general da ativa, se queixou da pancadaria e disse que, se sair, sairá feliz. Depois, em tom de piada, comentou que seria bom "voltar ao quartel".

Com o "fogo amigo" cada vez mais alto dentro e fora do Palácio do Planalto, Pazuello afirmou, nos bastidores, que via como "natural" uma possível saída do Ministério, mas foi demovido por colegas, todos auxiliares do presidente, de tomar qualquer atitude nesse sentido. A cadeira na Saúde é cobiçada por partidos do Centrão, que apoiam Bolsonaro em troca de cargos e verbas públicas.

Sua volta para o quartel traria uma situação no mínimo curiosa. É que, como general de três estrelas, depois de ter sido ministro, Pazuello poderia enfrentar contratempos para encontrar um posto. Se retornar para o trabalho nas Forças Armadas, a tendência é de que ocupe uma função na burocracia do Exército, sem qualquer notoriedade. Ainda no domingo, quando a notícia dos testes foi divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo, Pazuello recebeu uma mensagem do presidente com um pedido de explicação.

O jornal O Estado de S. Paulo apurou que o ministro justificou que o material havia sido enviado a Estados e municípios. Governadores e prefeitos, portanto, deveriam dar justificativas. A informação não estava correta e, ao reproduzi-la nas suas redes sociais, Bolsonaro acabou virando alvo. Na verdade, quase sete milhões de testes estão encalhados em um galpão do governo federal em Guarulhos. Do total, 6,8 milhões perdem a validade entre dezembro e janeiro.

Bolsonaro também ouviu do ministro que a pasta estava pedindo prorrogação do prazo de validade dos testes aos laboratórios e também o aval da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O presidente previu ali mais problemas, segundo apurou o jornal O Estado de S. Paulo, pelo novo debate que isso poderia causar, uma vez que a medida depende do órgão regulador. Não bastasse isso, o Ministério da Saúde ainda se viu envolvido em outra polêmica.

Na quinta, o Estadão revelou que vazaram dados confidenciais de 16 milhões de pacientes de covid-19, incluindo informações do próprio presidente e do ministro da Saúde.

Numa tentativa de blindar o presidente, a estratégia traçada foi tirar Pazuello de cena. "Agora é falar pouco, trabalhar muito e apresentar resultados", disse ele à equipe. Na prática, o Ministério da Saúde se torna cada vez mais tutelado pelo Palácio do Planalto.

O ministro ainda se recupera das sequelas de covid-19 e admitiu a complexidade da doença. Ao sair do hospital, ficou ausente de algumas discussões e confidenciou a interlocutores considerar "natural" a sua substituição, em breve, por um nome do Centrão, chefiado pelo deputado Arthur Lira (Progressistas-AL). O ministro também disse que evitará novos "problemas políticos", como no caso da Coronavac.

Um dos cotados para assumir a cadeira de Pazuello é o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (Progressistas-PR), que foi ministro da Saúde na gestão de Michel Temer. Barros conversou várias vezes com Pazuello, nos últimos dias. Mas todos que abordam com ele a possível reforma ministerial ouvem sempre a mesma resposta: "Não tenho interesse em voltar à Saúde". Poucos acreditam. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Nova alta de casos nos EUA e na Europa reflete efeito da reação à Covid

Atrás de EUA, Índia e Brasil, a França ocupa a quarta posição no ranking de nações com maior número de casos.

© Noticias ao minuto

SÃO PAULO E BAURU, SP (FOLHAPRESS) - Enquanto o mundo ultrapassa a marca de 60,5 milhões de infecções pelo coronavírus, os comportamentos das curvas de novos casos nos EUA e na Europa refletem as diferenças na coordenação das respostas à pandemia que matou mais de 1,4 milhão em todo o planeta.

Desde meados de setembro, europeus e americanos vivem um crescimento no número de novos casos. A partir de outubro, o aumento nas infecções tornou-se mais agudo e as duas curvas começaram a subir em posição quase vertical. Em novembro, porém, os efeitos da imposição de novas restrições na Europa puxaram a curva para baixo, enquanto o índice dos EUA segue em crescimento acelerado.

"Na Europa, após um início catastrófico nos primeiros meses do ano, houve em muitos países um 'lockdown' rigoroso, e a transmissão da doença caiu abruptamente", analisa o médico infectologista Carlos Magno Castelo Branco Fortaleza, professor da Unesp. "Assim, quando voltou a subir, também abruptamente, isso foi caracterizado como uma 'segunda onda'."

No fim de outubro, a chanceler alemã, Angela Merkel, que vinha sendo elogiada internacionalmente por ter encarado a pandemia com seriedade e rigor científico, reconheceu que a evolução da Covid-19 em seu país se tornou "dramática" e implantou novas regras de isolamento.

Nesta semana, as medidas foram prorrogadas até pelo menos 20 de dezembro, e Merkel admitiu que as restrições podem permanecer até janeiro. Nesta quinta, a Alemanha bateu o recorde de casos diários (32 mil) desde o início da pandemia, e o número de mortes (378) só fica atrás dos 510 óbitos registrados em 15 de abril. No total, o país tem 996 mil casos e 15 mil mortes por coronavírus.

Com dinâmica parecida, a França implantou 'lockdown' entre março e maio. Em 30 de outubro, voltou a restringir as atividades até que, nesta semana, o presidente Emmanuel Macron adotou um tom otimista ao anunciar um plano de reabertura gradual que permitirá aos franceses viajarem nas festas de fim de ano.

O ministro da Saúde francês, Olivier Veran, foi um pouco mais cauteloso e fez questão de lembrar que a Covid-19 "ainda não ficou para trás".

Atrás de EUA, Índia e Brasil, a França ocupa a quarta posição no ranking de nações com maior número de casos. E depois de quase zerar o número de óbitos diários em agosto, voltou a registrar mais de mil mortos por dia em pelo menos quatro ocasiões neste mês, relembrando o fantasma das mortes aos milhares no mês de abril. No acumulado, o país tem 2,2 milhões de casos e 50,7 mil mortes por Covid-19.

Fortaleza, da Unesp, chama atenção para o fato de que, quando as infecções voltaram a crescer na Europa, dizia-se que havia aumento de casos, mas não de óbitos. "Dois meses depois, há recordes diários de mortes, mostrando que estas sobem semanas após o aumento de casos", diz o infectologista, acrescentando que isso acontece porque as pessoas costumam passar por longos períodos de internação.

Analisar os dados para definir erros e acertos ainda é um desafio, explica Piotr Kramarz, cientista do Centro Europeu de Controle de Doenças (ECDC, na sigla em inglês).

"A maioria dos países implementou várias medidas ao mesmo tempo, tornando extremamente difícil determinar o efeito individual de qualquer abordagem", explica. "Tentar atribuir as diferenças observadas na epidemiologia da Covid-19 às medidas de saúde pública executadas em um país é, portanto, extremamente difícil e não é algo que o ECDC tentou até agora."

Apesar dos sinais amarelos para a Europa, Deisy Ventura, coordenadora do doutorado em saúde global da USP, considera positiva a percepção da maioria dos governos sobre o momento e a forma de novas restrições.

"Um bom exemplo das respostas europeias foi o anúncio simultâneo de medidas quarentenárias e de proteção social que permitiram o cumprimento das primeiras", analisa.

Esse tipo de coordenação é diferente das medidas adotadas nos EUA, em que cada estado tem autonomia constitucional para definir suas próprias regras. Segundo os dados analisados pela reportagem, estados americanos que hoje apresentam alta de casos tiveram fases mais brandas nos meses iniciais da pandemia.

Essa constatação se verifica na Dakota do Norte, em Wyoming, no Novo México, na Dakota do Sul e em Minnesota, os cinco estados com as maiores proporções de novos casos.

Um levantamento do jornal The New York Times, a partir de dados da Universidade de Oxford, aponta ainda que estados que impuseram menos restrições nos últimos meses vivem agora os piores surtos. Também entram nessa lista estados como Iowa, Nebraska e Wisconsin. O NYT aponta Iowa como o único estado cuja taxa de infecção considerada alta apresenta uma tendência de queda. Até a tarde desta quinta-feira, todos os outros 49 estados somam os altos índices de novos casos às tendências de agravamento.

Para os especialistas ouvidos pela reportagem, a gravidade da pandemia nos EUA é resultado da soma de fatores sanitários, mas também políticos. Se a pandemia de Covid-19 teve peso significativo para a derrota de Donald Trump, o contrário também é verdadeiro: a postura do líder republicano teve efeito agravante no cenário da saúde pública.

Para Ventura, as eleições americanas foram "decisivas para o desastre da resposta [ao coronavírus]". Ela classifica como "crimes contra a saúde pública" ações como os ataques do presidente a instituições como o Centro de Controle e Prevenção de Doenças e a sugestão, nociva e sem fundamentos, de que os americanos poderiam ingerir desinfetante contra a Covid-19.

"Medidas de contenção de epidemias são sempre antipáticas e possuem elevado custo político, econômico e social", afirma. "Como candidato à reeleição, Trump não quis pagar esse preço." Em vez disso, segundo a especialista, recorreu à mesma estratégia de propaganda que o levou à Casa Branca em 2016: um misto de desinformação, extremismos e negacionismo científico.

Fortaleza traça ainda um paralelo com o Brasil. "O negacionismo do [presidente Jair] Bolsonaro e a apatia do Ministério da Saúde têm exigido que cada estado tome suas próprias medidas. Isso é claramente um enfraquecimento do pacto federativo, fazendo com que funcionemos como 'Estados Unidos do Brasil'."

Governador anuncia publicação de resultado final de concursos para Polícia Militar e Corpo de Bombeiros

Foto: Divulgação/PM

A Secretaria da Administração do Estado (Saeb) publica, nesta sexta-feira (27), o resultado final e a homologação de dois concursos públicos para a Polícia Militar da Bahia e Corpo de Bombeiros Militar da Bahia. As portarias, disponíveis no Diário Oficial do Estado (DOE), no Portal do Servidor (
www.portaldoservidor.ba.gov.br) e no site do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (www.ibfc.org.br), trarão a relação dos candidatos por ordem de classificação.

Também será publicado o resultado definitivo para aferição da veracidade da autodeclaração de candidatos negros, emitido pela Comissão de Heteroidentificação constituída pela empresa organizadora dos concursos, o IBFC. O anúncio da divulgação dos resultados foi feito pelo governador Rui Costa, por meio das redes sociais, nesta quinta-feira (26).

De acordo com os editais dos certames, os aprovados serão convocados pelas corporações, de acordo com a necessidade da administração pública, para realização dos exames pré-admissionais, que incluem: entrega de documentos, exames médicos-odontológicos, teste de aptidão física, avaliação psicológica e investigação social.

Os candidatos a soldado irão ingressar no curso de formação, e os oficiais de saúde serão matriculados no estágio de adaptação. Todo o andamento pode ser acompanhado pelo DOE.

Regidos pelos editais SAEB 02/2019 e SAEB 03/2019, os concursos foram lançados no fim de 2019, com as primeiras provas realizadas no início deste ano. Entretanto, a pandemia da Covid-19 atrasou todo o cronograma.

O certame para candidato a soldado da PM e Corpo de Bombeiros registrou 112,3 mil inscritos, enquanto o concurso para médico e odontólogo da Polícia Militar chegou ao total de 790 inscritos. Os certames têm validade de um ano, podendo ser prorrogados, uma única vez, por igual período.

Secom - Secretaria de Comunicação Social - Governo da Bahia

Mais de R$ 2 mil apreendidos com traficante em Una

Foto: Divulgação/SSP-BA

Dinheiro, arma e drogas foram apreendidos por equipes da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Cacaueira, na manhã desta sexta-feira (27), no município de Una, região Sul da Bahia.

Uma ligação anônima para o Disque Denúcia da unidade guiou os policiais até a Rua da Usina, onde foram flagrados alguns indivíduos armados. Os criminosos atiraram nas guarnições, houve revide, um deles foi atingido e não resistiu. O restante do bando escapou.

Com o traficante foram encontrados R$2.179 em espécie, um revólver calibre 38, munições, maconha, cocaína, crack, uma balança e dois celulares.

Fonte: Ascom | Silvânia Nascimento

Dez presos e 13 kg de droga apreendidos no sul do estado

Foto: Divulgação SSP
Operação conjunta reuniu equipes da PC e PM e apreendeu submetralhadora, maconha, cocaína e uma motocicleta.

Uma submetralhadora Uzi, de calibre 9mm, com dezoito munições, uma pistola ponto 40 e um revólver calibre 38 foram apreendidos, na manhã desta quinta-feira (26), durante uma operação conjunta deflagrada pelas polícias Civil e Militar, na cidade de Santa Cruz Cabrália, no extremo sul do estado.

Batizada de “Quilópodes”, a ação resultou ainda na prisão de dez pessoas e na apreensão de drogas, dinheiro e uma motocicleta. A operação contou com o apoio do Ministério Público e visava cumprir mandados de prisão de integrantes de quadrilhas de traficantes, envolvidos em homicídios.

Oito homens tiveram mandados de prisão cumpridos e duas mulheres foram flagradas com drogas. A polícia apreendeu 13 quilos de maconha, em tabletes, porções da mesma droga embaladas para venda, 270 gramas de cocaína, materiais para misturar à droga, uma balança de precisão, R$ 2,7 mil em dinheiro e uma motocicleta.

As armas apreendidas serão submetidas à perícia para saber se foram utilizadas em homicídios ocorridos, recentemente, naquela região. Participaram da operação 60 policiais da 23ª Coorpin, DTE, DRFR, Deltur e Deam, todas com sede em Eunápolis, além das delegacias territoriais (DTs) de Santa Cruz Cabrália, Porto Seguro e Arraial D’Ajuda e policiais militares do 8º BPM, Caema, Rondesp e CIPPA.

Fonte: Ascom/PC

‘Brasil está metendo os pés pelas mãos’ com a China, diz ex-embaixador em Pequim após nova polêmica de Eduardo Bolsonaro

Imagem: Divulgação/Dinheirama/Direitos Reservados

A mais nova crise provocada por uma nova fala do deputado federal Eduardo Bolsonaro (Republicanos-SP) atacando a China pode trazer “graves danos” ao Brasil caso a potência asiática adote barreiras comerciais contra produtos brasileiros e busque outros fornecedores de commodities, disse à BBC News Brasil o diplomata aposentado Roberto Abdenur, que atuou como embaixador em Pequim (1989 a 1993) e nos Estados Unidos (2004 a 2006).

Embora muitos no Brasil considerem a China dependente das importações brasileiras de itens como soja, carne, minério de ferro, açúcar e celulose, Abdenur alerta que o governo de Xi Jinping tem buscado novos fornecedores e já adotou este ano retaliações econômicas contra outro importante parceiro comercial, a Austrália, reagindo a críticas de autoridades australianas que pediram uma investigação internacional sobre a origem do coronavírus.

Em reação, Pequim elevou barreiras parciais sobre a carne australiana, taxou em 80% a importação de cevada do país e desencorajou chineses a estudarem ou fazerem turismo na Austrália, devido a “numerosos casos de discriminação contra asiáticos”.

Segundo dados do Banco Mundial, a Austrália é o sexto maior exportador para China, à frente do Brasil, que aparece em sétimo.

importações’, diz Roberto Abdenur

“O Brasil está metendo os pés pelas mãos de maneira desarrazoada e contraproducente. Eduardo Bolsonaro fala como deputado, como filho do presidente e como presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara. É de uma imensa irresponsabilidade, agora ameaçando causar danos graves aos interesses do Brasil com a China”, afirmou Abdenur.

“É ilusão acharmos que a China vai continuar dependendo eternamente das nossas importações. Há outros países no mundo. A China está financiando projetos agrícolas importantes na África, em regiões que têm um clima e solo parecidos com o Brasil, está em entendimentos também para aumentar a produção de soja na Rússia e na Ucrânia”, exemplificou.

Eduardo Bolsonaro acusou China de espionagem e atacou Partido Comunista

No novo episódio de crise com o governo brasileiro, a embaixada da China em Brasília subiu o tom ao ameaçar o Brasil “com consequências negativas” em uma nota contra postagens feitas no Twitter por Eduardo Bolsonaro, que além de deputado é filho do presidente Jair Bolsonaro e presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara.

Ao comentar a adesão do Brasil a uma aliança patrocinada pelos EUA contra o uso de tecnologia 5G da empresa chinesa Huawei, o parlamentar acusou diretamente o país asiático de espionagem.

“O governo Jair Bolsonaro declarou apoio à aliança Clean Network, lançada pelo governo Donald Trump, criando uma aliança global para um 5G seguro, sem espionagem da China”, escreveu Eduardo Bolsonaro na noite da segunda-feira (23/11).

“O programa ao qual o Brasil aderiu pretende proteger seus participantes de invasões e violações às informações particulares de cidadãos e empresas. Isso ocorre com repúdio a entidades classificadas como agressivas e inimigas da liberdade, a exemplo do Partido Comunista Chinês”, acrescentou também no Twitter o filho do presidente.

Na terça-feira, a embaixada chinesa, que costuma se manifestar apenas com autorização do governo em Pequim, soltou uma nota dura, mesmo o deputado tendo já apagado o post.

O comunicado classificou a fala de Eduardo Bolsonaro como “totalmente inaceitável” e ameaçou o Brasil com retaliações caso o parlamentar e “outras personalidades” não abandonem “declarações infames que, além de desrespeitarem os fatos da cooperação sino-brasileira e do mútuo benefício que ela propicia, solapam a atmosfera amistosa entre os dois países e prejudicam a imagem do Brasil.”

“Instamos essas personalidades a deixar de seguir a retórica da extrema-direita norte-americana, cessar as desinformações e calúnias sobre a China e a amizade sino-brasileira, e evitar ir longe demais no caminho equivocado, tendo em vista os interesses de ambos os povos e a tendência geral da parceria bilateral. Caso contrário, vão arcar com as consequências negativas e carregar a responsabilidade histórica de perturbar a normalidade da parceria China-Brasil”, diz ainda a nota.

À BBC News Brasil, o embaixador Abdenur lembrou que embaixada chinesa já reagiu a outras críticas feitas por Eduardo Bolsonaro e autoridades do governo federal, mas considerou que essa manifestação “foi a mais enfática, porque acena com a possibilidade de retaliações, de consequências graves para o Brasil”.

Na sua avaliação, a Casa Branca atua com “hipocrisia” ao dizer que a China usa sua tecnologia 5G para espionagem, tendo em vista o histórico dos EUA nessa área. Em 2015, por exemplo, o vazamento de documentos sigilosos da diplomacia americana por meio do site WikiLeaks revelou que a Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA) espionou a então presidente Dilma Rousseff e outros 29 telefones do governo petista, incluindo o de ministros, diplomatas e assessores.

“O país que mais faz espionagem de outros são os EUA. Eu acho que nós não devemos ceder às pressões americanas (sobre o 5G)”, disse Abdenur.

Destaques