Em prisão domiciliar, Eduardo Cunha se inscreve em cursos online para tentar reduzir pena

 

Segundo cálculos dos advogados, com leitura de livros, aulas e trabalho, emedebista já reduziu em dois anos e meio sua punição
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Cumprindo prisão domiciliar desde março deste ano, após ser liberado devido à pandemia do novo coronavírus, o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB), tem feito cursos a distância na sua casa na Barra, no Rio de Janeiro.

A estratégia visa tentar reduzir, com as aulas virtuais, o tempo de prisão angariado em duas condenações na Operação Lava Jato (uma no Distrito Federal e outra no Paraná) de modo a alcançar mais rapidamente a liberdade condicional.

De acordo com informações da coluna Painel, da Folha de S.Paulo, o emedebista já concluiu três cursos: um sobre direito público, outro de direito privado e um para desempenhar a função de auxiliar em escritórios de advocacia.

Agora está estudando crimes contra a pessoa. Segundo cálculos dos advogados, com leitura de livros, aulas e trabalho, Cunha já reduziu em dois anos e meio sua punição.

O doleiro Dario Messer, que assinou delação premiada, também deve tentar benefícios do tipo. O acordo prevê 18 anos e 9 meses de prisão. Se conseguir a remição, ele poderá deixar o regime fechado antes de 2022.

Nenhum comentário: