Popó deixará o Brasil em abril: ‘Vou para Miami viver em segurança’

Foto: Mário Marques/bahia.ba
O pugilista Acelino Popó Freitas já está preparando as malas para deixar o Brasil. De passagem comprada para Miami, na Flórida, ele curte seu último Carnaval morando em Salvador.

Na madrugada desta terça-feira (5), em entrevista ao bahia.ba, o baiano revelou que guardou tudo que ganhou enquanto estava no auge da fama. Popó foi quatro vezes campeão mundial de boxe.

“O que eu fiz foi o que muitos atletas não fizeram. Tudo que ganhei, eu guardei. Hoje vivo bem, tenho meus aluguéis de imóveis. Dia 3 de abril estou indo embora do Brasil, indo para Miami. Minha ideia é morar lá, montar uma academia e viver com segurança. Saber que todos os impostos que eu for pagar, sei para onde está indo. Poder andar com meu carro aberto, celular na mão”, disse.

Popó Freitas aproveita a segunda-feira de Carnaval no camarote Skol, no circuito Dodô (Barra/Ondina). Por lá, ele declarou seu amor pela cantora Ivete Sangalo.

“Tenho um carinho muito grande por ela. Até porque o esporte que ela ama foi o esporte que mudou a minha vida, que é o boxe. Saber que uma pessoa que o mundo todo conhece faz o esporte que mudou minha vida, é de falar assim: ‘Essa pessoa é admirável'”, afirmou.

Carro rebocado

O pugilista também comentou sobre um incidente ocorrido na madrugada desta segunda. Ele tem acesso livre para transitar em áreas restritas do circuito e estacionou seu carro nas proximidades do Edifício Oceania para seguir andando até o camarote Harém. Mas, quando voltava para onde deixou o veículo estacionado, por volta das 6h da manhã, não o encontrou.

“Fica o constrangimento. Você colocar o carro no lugar e não achar… Não sei se foi erro meu, acho que não. A placa estava muito escondida, que era proibido estacionar. E tinha três carros também na minha frente. Quando cheguei, cadê meu carro? Minha sorte é que tenho rastreador e vi no pátio do Detran. O maior desgaste é que moro em Lauro [de Freitas], tive que ir para lá e depois voltar. Hoje está ali no morro do gato e sei que ninguém vai rebocar. Vim de carro porque não bebo”, justificou.

Bahia.Ba