Mostrando postagens com marcador Justiça e Segurança. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Justiça e Segurança. Mostrar todas as postagens

PF e SENAD encerram 43ª fase da Operação Nova Aliança no Paraguai

Ação conjunta para erradicação de plantio de cannabis no país vizinho supera 800 toneladas nesta etapa
Brasília/DF. Encerram-se nesta sexta-feira, 12/4, os trabalhos conjuntos entre a Polícia Federal e a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai (SENAD) em mais uma fase da Nova Aliança. A ação de erradicação de plantios ilícitos de cannabis conta ainda com apoio do Ministério Público Paraguaio.
O principal objetivo desse trabalho de cooperação internacional é erradicar o ilícito antes da sua entrada no “mercado”. Isso significa um grande golpe em toda uma rede voltada para abastecimento do tráfico. Ao evitar que grandes volumes de drogas entrem em circulação, as autoridades de segurança pública barram delitos derivados do tráfico de drogas e impactam nas ações de grupos criminosos internacionais.

Para se ter uma ideia do alcance da Nova Aliança, dados do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime - UNODC indicam que, anualmente, em média, aproximadamente 5 mil toneladas de cannabis são apreendidas no mundo, por meio de 1 milhão de operações policiais. A Nova Aliança alcança números semelhantes a cada 6 operações realizadas.

Este ano, em duas etapas realizadas, a Nova Aliança já evitou que mais de 1,7 mil toneladas da droga entrassem em circulação.
A atuação na origem gera relevante economia no que seria investido na etapa investigativa, na fase judicial, na manutenção de presídios e, por fim, no sistema de saúde pública de ambos os países. Além disso, impacta de maneira significativa na estrutura que é atualmente liderada pelas maiores facções criminosas brasileiras e usa o tráfico de drogas como fonte de capitalização para posterior financiamento de outros crimes conexos, a exemplo do tráfico internacional de armas.

Números da 43ª fase
Maconha erradicada: 822.320 kg
Sementes destruídas: 580 kg
Acampamentos Destruídos: 108

Coordenação-Geral de Comunicação Social

PF e BPFron apreendem 312 kg de maconha em Guaíra/PR

Guaíra/PR. Na madrugada desta quinta-feira (11/4), a Polícia Federal e o Batalhão de Polícia de Fronteira do Paraná apreenderam cerca de 312 kg de maconha, durante patrulhamento embarcado no lago de Itaipu, na cidade de Guaíra/PR. Na ocasião, duas pessoas foram presas em flagrante.
A ação se deu quando os policiais visualizaram movimentação suspeita de uma embarcação em um porto clandestino da região. A equipe realizou a aproximação do local para efetuar a abordagem, momento em que várias pessoas correram em direção a mata fechada e um veículo carregado com maconha foi abandonado.

Uma embarcação que estava no porto descarregando os fardos do entorpecente entrou em fuga mas, após acompanhamento tático, foi abordada. Durantes buscas, os policiais encontraram as drogas.

Diante da situação, duas pessoas foram presas em flagrante. A droga, dois veículos e uma embarcação foram levados à delegacia.

Comunicação Social da Polícia Federal em Guaíra/PR

PF e FAB interceptam aeronave em Rondônia

Porto Velho/RO. A Polícia Federal, em ação conjunta com a Força Aérea Brasileira (FAB), interceptou e apreendeu, nesta quarta-feira (10/4), uma aeronave que realizava voo clandestino em Rondônia.

Ela teria vindo da Bolívia e estava sendo monitorada pela PF que, ao constatar a ausência de plano de voo, acionou a Força Aérea Brasileira. As suspeitas apontavam para o transporte ilegal de drogas.

A interceptação ocorreu no município de Rondolândia/MT, próximo à divisa dos estados de Rondônia e Mato Grosso, quando o piloto recebeu os comandos previstos na “Lei do Abate”. Ele desobedeceu às ordens impostas e pousou ilegalmente na floresta, na Terra Indígena Zoró.Antes de tentar fugir, piloto e passageiro atearam fogo na aeronave que rapidamente foi envolvida pelas chamas.

A equipe de policiais federais, com o apoio das polícias civil e militar de Rondônia, realizaram diligências a fim de localizar os envolvidos na prática criminosa. Na fuga, o piloto rendeu um motorista de ambulância e o obrigou a dirigir para eles. O veículo foi localizado próximo à cidade de Cacoal/RO, onde o piloto foi preso em flagrante por sequestro, dano com emprego de substância inflamável ou explosiva, desobediência e usurpação de bem da União.

Os envolvidos foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Federal em Ji-Paraná/RO.

A atividade faz parte das acões de repressão e combate a voos ilícitos de pequenas aeronaves vindas de países vizinhos com droga.

Comunicação Social da Polícia Federal em Rondônia Fone: (69) 3216-6273 (69) 99972-8890

Lewandowski teme rebelião generalizada em presídios com fim de saidinhas

O ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, foi alertado por sua equipe de que a sanção, pelo governo, do projeto que acaba com as saídas temporárias de detentos para visitar suas famílias pode gerar uma revolta generalizada nos presídios brasileiros, com a ocorrência de rebeliões.

Ele já alertou o Palácio do Planalto sobre essa possibilidade.

A lei hoje em vigor, que foi aprovada no governo do ex-ditador João Batista Figueiredo, beneficia exclusivamente detentos do regime semiaberto que já tenham cumprido um sexto da pena total e que tenham bom comportamento. A subtração do direito de visitarem suas famílias em datas como Natal, Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais e Finados poderia gerar revolta e explodir os presídios.

O fim da chamada saidinha foi aprovado pelo Congresso no fim de março. O prazo para que Lula sancione o projeto, ou vete parcialmente alguns de seus pontos, expira nesta quinta (11). O debate interno no governo é intenso. A ala linha dura do governo se aliou aos chamados pragmáticos para defender que Lula sancione o projeto sem qualquer ressalva.

Eles acreditam que qualquer veto de Lula serviria apenas para gerar desgaste, já que seria derrubado posteriormente no Congresso. E Lula ainda daria pretexto para a oposição conservadora dizer que ele defende criminosos. Já os ministérios da Justiça, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos defendem o veto de Lula para que as regras atuais sejam mantidas, estimulando a ressocialização dos presos.

O presidente, assim, não cederia à pressão de conservadores, mantendo a coerência com o discurso e as políticas públicas progressistas. Como revelou a Folha, Lewandowski já aconselhou Lula a manter a saída temporária dos presos para visitar suas famílias em datas específicas, sugerindo veto parcial ao projeto aprovado pelo Congresso.

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, defende o veto integral ao projeto.

O texto foi aprovado na Câmara no dia 20 de março. Ele estava sob relatoria de Guilherme Derrite (PL-SP), que foi exonerado do cargo de secretário da Segurança Pública do estado de São Paulo, no governo Tarcísio de Freitas (Republicanos), para reassumir a vaga de deputado federal e se dedicar ao projeto contra a saída temporária de presos. Foi sob sua relatoria que o texto foi aprovado em agosto de 2022, quando passou pela primeira vez pela Câmara. A versão inicial acabava com qualquer tipo de saída temporária para presos do sistema semiaberto, inclusive saídas para estudar e trabalhar.

O benefício da saída temporária é concedido há quase quatro décadas pela Justiça a presos do sistema semiaberto que já tenham cumprido ao menos um sexto da pena, no caso de réu primário, e um quarto da pena, em caso de reincidência, entre outros requisitos. Como mostrou a Folha em janeiro, menos de 5% dos detentos que tiveram direito à saidinha de Natal em 2023 não retornaram aos presídios no Brasil, taxa considerada baixa por especialistas.

O projeto também prevê exame criminológico —que abrange questões de ordem psicológica e psiquiátrica— como requisito para a progressão de regime. No Senado houve um acordo, e a nova redação da proposta continuou colocando fim às saidinhas em datas comemorativas, mas manteve a autorização para estudar e trabalhar fora do sistema prisional. O exame para progressão de regime também foi mantido.

Em razão das mudanças, o texto precisou passar novamente pelo plenário da Câmara. E foi aprovado na Casa sem alterações.

O tema se tornou foco de discussões e mobilizou setores da classe política após a morte do sargento da Polícia Militar Roger Dias da Cunha, 29, baleado durante uma perseguição por um homem que estava em saída temporária em Belo Horizonte. Outro caso que gerou repercussão foi a fuga de dois dos condenados por chefiar a maior facção de tráfico de drogas do Rio de Janeiro, Saulo Cristiano Oliveira Dias, 42, conhecido como SL, e Paulo Sérgio Gomes da Silva, 47, o Bin Laden, após saidinha de Natal.

Mais de 60 entidades, movimentos e órgãos públicos que atuam no sistema prisional expressam preocupação em relação ao projeto. Segundo essas entidades, a previsão de exigência para realização de exame criminológico para toda e qualquer progressão de regime fará com que os processos tramitem de forma ainda mais lenta.

Mônica Bergamo/Folhapress

PF e PRF apreendem caminhão carregado com maconha no PR

                                              Foram encontradas cerca de 6 toneladas do entorpecente.
Cascavel/PR. Na data de hoje (10/04), policiais federais e policiais rodoviários federais, em uma operação conjunta, realizavam patrulhamento na cidade de Capitão Leônidas Marques/PR, quando a equipe abordou um caminhão.

Durante as buscas, verificou-se que o caminhão estava carregado com aproximadamente 6 toneladas de maconha.

O motorista foi preso em flagrante e encaminhado para Polícia Federal de Cascavel PR.

Após a lavratura do auto de prisão em flagrante, o homem foi encaminhado ao sistema prisional do estado e permanecerá à disposição da Justiça Federal.

Ele responderá pelo crime de tráfico interestadual de drogas, cuja pena pode chegar a 15 anos de reclusão.

Comunicação Social da PF no PR

PF deflagra operação para prender responsável pelo envio ao exterior de carga área com droga diluída no Aeroporto de São Paulo

                     Os mandados de busca foram cumpridos nas cidades de Guarulhos e São Paulo
São Paulo/SP. A Polícia Federal, no Aeroporto Internacional de São Paulo, cumpre nesta quinta-feira (11/4), três mandados de busca e apreensão e um de prisão no âmbito da Operação 7 Colinas.

Investigações levadas iniciadas a partir da apreensão, pela Receita Federal, em setembro de 2023, de uma carga de vinhos produzidos no sul do país e adquiridos de uma cooperativa, também localizada naquela região, possibilitaram que a PF identificasse suspeitos de compor um grupo especializado no envio de drogas em cargas aéreas para o exterior.

As investigações evidenciaram a participação de um profissional autônomo, um despachante aduaneiro e seu filho, que é empresário, como integrantes desse grupo criminoso. O despachante, já respondeu a processo e tem inquéritos abertos em seu desfavor.

A carga composta por 274 garrafas de vinho, que tinha como destino Hong Kong e continha cerca de 38 kg de cocaína diluída, é a terceira remessa dessa modalidade enviada ao exterior pelo suspeito, objeto do mandado de prisão temporária.

Os mandados de busca ocorrem nas cidades de Guarulhos, sedes de uma empresa de importação e exportação e numa residência em São Paulo. 
Comunicação Social da Polícia Federal em São Paulo

Ministério da Justiça propõe a Lula manter saidinhas em datas comemorativas

                                O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, aconselhou o presidente Lula (PT) a manter a saidinha temporária de presos em datas comemorativas.

Lewandowski sugere um veto parcial ao texto que foi aprovado pelo Congresso Nacional no mês passado, contando com grande apoio dos parlamentares, incluindo integrantes da bancada governista.

Outras pastas também sugeriram veto à proposta que acaba com as saidinhas, mas com uma posição ainda mais firme sobre o tema, sugerindo ao Palácio do Planalto que rejeite integralmente a proposta do Congresso.

Os pareceres dos ministérios servem para subsidiar a decisão do presidente sobre a proposta. O prazo acaba nesta quinta (11).

A ministra Anielle Franco (Igualdade Racial) pede veto integral à lei que acaba com a saidinha temporária de presos em datas comemorativas.

A expectativa de integrantes do governo é que o Ministério de Direitos Humanos siga o entendimento contrário à proposta, de maneira integral.

Já a pasta de Relações Institucionais deve sugerir veto parcial ao texto —ou seja, apoiar a manutenção de alguns trechos da proposta.

O projeto de lei que acaba com a saidinha foi aprovado em votação simbólica na Câmara no final de março. Defendida por bolsonaristas, a lei opõe as alas política e progressista do governo.

A primeira defende que a medida seja sancionada integralmente por considerar que um eventual veto seria derrubado pelos parlamentares e ainda azedaria o clima com o Congresso. A segunda pressiona para que Lula não ceda à pressão de conservadores e mantenha coerência com o discurso progressista sobre a necessidade de implementar medidas de ressocialização de presos.

A decisão de Lula também acontece em um momento em que pesquisas indicam queda de sua popularidade, sobretudo entre parcelas mais conservadoras, como os evangélicos.

Por isso, a possibilidade de veto ou a sanção do presidente tem sido tratada com muita cautela por auxiliares palacianos. Lula deve despachar sobre o tema apenas nesta quinta-feira.

O texto foi aprovado na Câmara no dia 20 de março. Ele estava sob relatoria de Guilherme Derrite (PL-SP), que foi exonerado do cargo de secretário da Segurança Pública do estado de São Paulo, no governo Tarcísio de Freitas (Republicanos), para reassumir a vaga de deputado federal e se dedicar ao projeto contra a saída temporária de presos.

Foi sob sua relatoria que o texto foi aprovado em agosto de 2022, quando passou pela primeira vez pela Câmara. A versão inicial acabava com qualquer tipo de saída temporária para presos do sistema semiaberto, inclusive saídas para estudar e trabalhar.

O benefício da saída temporária é concedido há quase quatro décadas pela Justiça a presos do sistema semiaberto que já tenham cumprido ao menos um sexto da pena, no caso de réu primário, e um quarto da pena, em caso de reincidência, entre outros requisitos.

Menos de 5% dos detentos que tiveram direito à saidinha de Natal em 2023 não retornaram aos presídios no Brasil, taxa considerada baixa por especialistas.

O projeto também prevê exame criminológico —que abrange questões de ordem psicológica e psiquiátrica— como requisito para a progressão de regime.

No Senado houve um acordo, e a nova redação da proposta continuou colocando fim às saidinhas em datas comemorativas, mas manteve a autorização para estudar e trabalhar fora do sistema prisional. O exame para progressão de regime também foi mantido.

Em razão das mudanças, o texto precisou passar novamente pelo plenário da Câmara. E foi aprovado na Casa sem alterações.

O tema se tornou foco de discussões e mobilizou setores da classe política após a morte do sargento da Polícia Militar Roger Dias da Cunha, 29, baleado durante uma perseguição por um homem que estava em saída temporária em Belo Horizonte.

Outro caso que gerou repercussão foi a fuga de dois dos condenados por chefiar a maior facção de tráfico de drogas do Rio de Janeiro, Saulo Cristiano Oliveira Dias, 42, conhecido como SL, e Paulo Sérgio Gomes da Silva, 47, o Bin Laden, após saidinha de Natal.

Mais de 60 entidades, movimentos e órgãos públicos que atuam no sistema prisional expressam preocupação em relação ao projeto. Segundo essas entidades, a previsão de exigência para realização de exame criminológico para toda e qualquer progressão de regime fará com que os processos tramitem de forma ainda mais lenta.

ENTENDA O QUE MUDA NA SAIDINHA

Como é na lei atual

  • Vale para presos do regime semiaberto que tenham cometido qualquer tipo de delito, exceto para casos de crime hediondo com resultado em morte;
  • Podem sair temporariamente em datas comemorativas, para visita à família, cursos profissionalizantes e atividades de ressocialização quem cumprir os seguintes requisitos: 1) comportamento adequado; 2) cumprimento de 1/6 da pena em caso de réu primário e de 1/4 se for reincidente; 3) obtiver autorização judicial;
  • Progressão de regime: exame criminológico é exceção, a lei não impõe, mas pode ser exigido pelo juiz mediante decisão fundamentada.

Como ficou após aprovação no Congresso

  • Além dos crimes hediondos, ficam vedadas saidinhas para condenados por crimes com violência ou grave ameaça;
  • Acaba com saidinhas em datas comemorativas e permite apenas saídas temporárias para estudo e trabalho externo;
  • Progressão de regime: obriga o detento a passar por exame criminológico.

Proposta do Ministério da Justiça

  • Manter a saída temporária em datas comemorativas para presos do semiaberto, além da liberação para estudar e trabalhar;
  • Além dos crimes hediondos, ficam vedadas saidinhas para condenados por crimes com violência ou grave ameaça;
  • Progressão de regime: obriga o detento a passar por exame criminológico.
Catia Seabra/Julia Chaib/Marianna Holanda/Raquel Lopes/Renato Machado/Folhapress

Avião com cocaína vindo do Paraguai se quebra ao meio ao tentar fugir da FAB

Agentes da PF e da FAB juntam os pacotes de drogas que estavam no avião que fez aterrissagem forçada nesta terça-feira (9), nas proximidades de Londrina (PR)

A FAB (Força Aérea Brasileira) divulgou nesta terça-feira (9) a intercepção de um avião cheio de pasta base de cocaína que entrou no espaço aéreo brasileiro vindo do Paraguai sem plano de voo.

A aeronave de modelo Cesna-182, de matrícula PT-CPR, foi perseguida por dois caças de defesa aérea A-29 Super Tucano e pelo avião radar E-99 desde que foi identificada na fronteira do Paraguai com Mato Grosso do Sul.

Segundo a FAB, ao ingressar no espaço aéreo brasileiro e não apresentar o plano de voo, o avião passou a ser monitorado pelo Comae (Comando de Operações Aeroespaciais) e pela PF (Polícia Federal).

“A partir de então, os pilotos de defesa aérea seguiram os protocolos das Medidas de Policiamento do Espaço Aéreo (MPEA), a aeronave foi classificada como suspeita, conforme previsto no Decreto 5.144, de 16 de julho de 2004, e foi constatado que estava com matrícula clonada”, destacou comunicado da FAB.

Quando estavam se aproximando de Londrina (PR), o piloto do A-29 deu a ordem para que o avião fizesse um pouso obrigatório no aeroporto da cidade paranaense, o que não foi cumprido. Ao contrário, o piloto do Cesna seguiu e fez um pouso forçado em uma pista de terra no meio de uma plantação nas proximidades de Santa Cruz do Rio Pardo (SP), às 11h10 desta terça.

Na ação, o avião acabou se quebrando ao meio e a carga se espalhou pela pista improvisada. O tripulante que estava a bordo tentou fugir, mas foi detido pelos agentes da PF e a carga foi apreendida.

A ação fez parte da Operação Ostium, interligadas ao Programa de Proteção Integrada de Fronteiras, que tem por objetivo coibir o tráfico de drogas no espaço aéreo brasileiro. Participam do programa a FAB e os órgãos de segurança pública.

A interceptação de aeronaves com drogas é comum no país. Em 2021, por exemplo, um caça da FAB abateu um avião com quase 300 kg de cocaína em Mato Grosso.

Folhapress

PF prende hacker suspeito de invadir sites do Senado, Exército e TSE

                                                Prisão ocorreu em Feira de Santana/BA
Salvador/BA. A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta terça-feira (9/4), mandado de prisão preventiva, na cidade de Feira de Santana, contra um hacker suspeito de ser responsável pelo maior vazamento de dados do Brasil, com a divulgação de informações de 223 milhões de brasileiros.

O preso estava foragido desde novembro de 2023, data em que rompeu tornozeleira eletrônica que utilizava em face das investigações da Operação Deepwater, deflagrada em 19/3/2021.

O detido também já foi alvo de outras operações e invasões. Em 2019, o hacker foi preso na Operação Defaced, realizada pela Polícia Civil, como suspeito de ter invadido os sites da Polícia Civil de Minas Gerais, do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), do Tribunal de Justiça de Goiás e do Exército Brasileiro.

O mandado de prisão preventiva foi expedido pela 1ª Vara Federal de Uberlândia/MG e o preso ficará à disposição da Justiça no Centro de Observação Penal, em Salvador.

Comunicação Social da Polícia Federal na Bahia

FICCO/CE desarticula organização criminosa em ação conjunta

 Foram identificadas movimentações financeiras superiores a R$ 30 milhões nas contas dos investigados

Fortaleza/CE. A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado no Ceará (FICCO/CE), em ação conjunta com as Polícias Civis dos estados do Acre, Bahia, Maranhão, São Paulo e Pará, e com as FICCO's dos estados de Pernambuco, Tocantins, Mato Grosso e Paraná, deu continuidade às diligências que resultaram na deflagração da Operação Extramuros.

Na última sexta-feira (05/04), foi preso um dos idealizadores e chefes de um grupo criminoso cearense com atuação no tráfico de drogas na fronteira do Brasil com a Bolívia. Na ocasião, foram cumpridos mandados de busca e apreensão na residência do investigado, localizada em um condomínio de alto padrão na Região Metropolitana de Fortaleza/CE, e apreendidos dois veículos.

Durante a ação policial, foi dado cumprimento a mandado de busca em outro local, nesta cidade, culminando na prisão de outro indivíduo. Os presos foram encaminhados para a Polícia Federal e ficarão à disposição da Justiça.

Na sequência investigativa, foi apreendido, na manhã dessa segunda (08/04), mais um veículo pertencente ao grupo criminoso, em Fortaleza/CE. Além disso, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão criminal no município de Brasiléia/AC.

Pelo período da tarde, foram cumpridos mandados de prisão em desfavor de dois médicos, nos municípios de Garça/SP e de Novo Itacolomi/PR. Ambos os alvos são suspeitos de praticarem lavagem de dinheiro para o grupo criminoso que atua na capital cearense.

Na manhã desta terça-feira (09/04), mandados de busca e apreensão domiciliares foram cumpridos nas cidades de Trairão/PA, Rondon/PA, Camocim/CE, Fortaleza/CE, Açailândia/MA, Várzea Grande/MT, Fernandópolis/SP, Foz do Iguaçu/PR, Caruaru/PR e Olinda/PR. No total, foram deferidos 13 mandados de prisão e autorizadas buscas e apreensões em 44 endereços.

Foram presos ainda indivíduos em diversas cidades, entre eles um advogado no município de Várzea Grande/MT. Além disso, foram sequestrados imóveis e veículos pertencentes ao grupo criminoso.

Foram identificadas movimentações financeiras superiores a R$ 30 milhões nas contas dos investigados.

Força Integrada de Combate ao Crime Organizado – Ficco/CE

 A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado no Ceará (Ficco) é composta pela Polícia Federal (PF), Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE), Polícia Militar do Ceará (PMCE), Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Secretaria Nacional de Políticas Penais (SENAPPEN), Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) e Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização do Estado do Ceará (SAP).

Comunicação Social da Polícia Federal no Ceará

PF desarticula um grupo criminoso responsável pela distribuição de cocaína em Palmas/TO

Foram cumpridos dois mandados de prisões preventivas e sete mandados de busca e apreensão em Palmas e Aparecida de Goiânia

Palmas/TO. A Polícia Federal cumpriu nesta terça-feira (9/4) mandados de prisão e de busca e apreensão no interesse de inquérito policial por meio do qual investiga um grupo criminoso dedicado ao tráfico de drogas em Palmas.

A investigação da PF identificou a possível atuação do grupo criminoso, consistente na distribuição e revenda de cocaína, na modalidade varejo, em diferentes pontos comerciais da capital tocantinense para usuários, consumidores finais da droga, sem que os proprietários dos estabelecimentos tivessem conhecimento dos atos de tráfico.

Ainda de acordo com os elementos probatórios e indiciários obtidos pela equipe de investigação da Polícia Federal, a venda da droga vinha sendo praticada durante as noites e madrugadas, especialmente no momento de maior concentração de frequentadores dos estabelecimentos, que são destinados economicamente à venda de bebidas alcoólicas e que possuem acentuada rotatividade de clientes.

A PF também investiga a hipótese de atuação interestadual do grupo criminoso, que teria ramificações nos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, tendo em vista a identificação de vínculos entre os suspeitos e outros supostos traficantes de drogas dessas unidades da federação.

As referidas medidas cautelares cumpridas, além do sequestro de valores existentes em contas bancárias das pessoas relacionados aos fatos criminosos sob investigação, requeridas pela Polícia federal, foram deferidas pelo Juiz de Direito da 4ª Vara Criminal da Comarca de Palmas/TO.

Comunicação Social da Polícia Federal no Tocantins

Operação Hybris é deflagrada contra grupo miliciano da região de Feira de Santana

A Polícia Federal, a Receita Federal, o Ministério Público e a Força Correcional Integrada da SSP participam da ação.

A Polícia Federal, a Receita Federal, o Ministério Público Estadual e a Força Correcional Integrada FORCE/COGER/SSP/BA e a Corregedoria da Polícia Militar – CORREG, deflagraram, nesta terça-feira (9), a Operação Hybris, cujo objetivo é desarticular uma estruturada e sofisticada organização criminosa especializada na lavagem de capitais advindos de jogo do bicho, agiotagem, extorsão, receptação qualificada, entre outras infrações penais, atuante em Feira de Santana/BA e cidades circunvizinhas.
Na ocasião, foram cumpridos um mandado prisão preventiva, dezessete mandados de busca e apreensão, bloqueio de aproximadamente R$ 4 milhões das contas bancárias dos investigados, além da suspensão de funções públicas de cinco policiais militares e a suspensão de atividades econômicas de uma empresa, em cumprimento à decisão expedida pelo Juízo da 1º Vara Criminal de Feira de Santana.

Participaram da operação cerca de 200 policiais federais e estaduais, além de 13 Auditores-Fiscais e Analistas Tributários da Receita Federal.

O caso em investigação é um desdobramento da operação El Patrón deflagrada no dia 7 de dezembro, a qual efetuou dez mandados de prisão preventiva, trinta e três mandados de busca e apreensão, bloqueio de mais de R$ 200 milhões das contas bancárias dos investigados e o sequestro de 26 propriedades urbanas e rurais, além da suspensão de atividades econômicas de seis empresas.

Outrossim, é importante frisar que uma das pessoas investigadas foi beneficiada, em dezembro, com a prisão domiciliar, e, com o aprofundamento das investigações, evidenciou-se a imprescindibilidade do seu retorno à prisão, o que foi acatado pelo Poder Judiciário.

Segundo foi apurado, o chefe da ORCRIM atualmente é detentor de foro por prerrogativa de função e, assim, malgrado tal circunstância, faz-se necessário esclarecer que, desde 2018, o Supremo Tribunal Federal vem entendendo que parlamentares serão processados e julgados pela justiça de primeiro grau em caso cometimento de crimes antes da diplomação do cargo e desconexo a ele.

A Receita Federal, em cumprimento à ordem judicial, produziu relatórios apontando inconsistências fiscais dos investigados, movimentação financeira incompatível, assim como a propriedade de bens móveis e imóveis não declarados e indícios de lavagem de dinheiro.

Nessa nova fase da operação, verificou-se a participação de outros cinco policiais militares do estado da Bahia, inclusive de um tenente-coronel, os quais integrariam o braço armado do grupo miliciano, cujas atribuições seriam de fazer a segurança das variadas atividades ilícitas desenvolvidas pela ORCRIM, além de ocultarem a propriedade de bens e dissimularem valores angariados em decorrência de infrações penais.

A deflagração da operação contou com o apoio do Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal (GPI) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público Estadual (GAECO).

A investigação continuará para apuração de eventuais outros envolvidos. Se condenados pelos crimes cometidos, os investigados se sujeitarão a penas máximas que, somadas, podem ultrapassar 50 anos de reclusão.

O nome da operação faz alusão ao conceito grego Hybris, o qual significa tudo que passa da medida, aludindo a uma confiança excessiva, orgulho exagerado, arrogância ou insolência que com frequência termina sendo punida.

Sendo assim, tal conceito aplica-se, perfeitamente, ao contexto da operação, em razão do comportamento contumaz dos investigados de perpetrar ações criminosas, de modo que eles se sentiam os intocáveis.

Ademais, a audácia em transgredir as normas jurídicas e a ganância de obter ilicitamente elevados ganhos financeiros causaram a ruína da ORCRIM.

Texto: Ascom PF

PF prende sete pessoas por tráfico de drogas

Guarulhos/SP. A Polícia Federal, em ações distintas, entre os dias 5 e 8/3, com a participação da Receita Federal e FAB, no Aeroporto Internacional de São Paulo, realizou a prisão de sete pessoas por tráfico de drogas e instaurou procedimentos em razão de uso de documentos de terceiros e descaminho, contra outras duas pessoas.

Policiais federais apreenderam quase 10 kg de cocaína com passageiros que pretendiam embarcar para a França, Índia e Nigéria. Uma brasileira, que embarcaria para a França, ocultava a droga em fundos falsos forjados em uma mochila.

Outra nacional, que pretendia embarcar com destino à Índia, foi flagrada pelos policiais, com o auxílio de cães farejadores, com a mesma droga dentro de tênis. Já com um homem, de origem nigeriana, que possui Registro Nacional de Migrante (RNM), os policiais encontraram volumes fixados ao corpo, contendo 3 kg de cocaína.

Em novos flagrantes, servidores da Receita Federal encaminharam à delegacia um brasileiro detido ao tentar embarcar em voo doméstico com quase 30 celulares e outros acessórios, sem a comprovação de origem. O homem responderá pelo crime de descaminho. Em outra ação, os servidores da Receita conduziram à delegacia, dois brasileiros flagrados com cápsulas de cocaína ocultas em suas roupas íntimas. Os suspeitos foram conduzidos ao hospital público, em razão da informação de que houve a ingestão de cápsulas contendo a mesma droga.

Outra ocorrência se deu em razão da identificação, por oficiais da FAB, de um casal de brasileiros que tentou embarcar para a Tailândia com 6 Kg de cocaína em fundos falsos forjados nas malas. Eles foram presos em flagrante.

Já no controle migratório, uma mulher, nacional de Angola, tentou realizar os procedimentos de migração com a intenção de embarcar para a Espanha, apresentando um passaporte pertencente a terceiros. Ela foi detida pelos policiais e responderá pelo crime de falsa identidade.

Por fim, a PF foi acionada por funcionários que encontraram dentro de um banheiro 3 Kg de cocaína em pacotes ocultos numa calça e bermuda. Foi instaurado inquérito policial com vistas a se chegar aos responsáveis pela substância ilícita.

Comunicação Social Delegacia Especial no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos
Superintendência da Polícia Federal em São Paulo

PF e BPFRON apreendem mais de 200 kg de maconha

Guaíra/PR. Na manhã deste domingo (7/4), Policias federais e Policiais militares do BPFRON/PMPR, em uma operação conjunta no âmbito da Operação Argos, realizavam patrulhamento na área rural de Guaíra, quando visualizaram diversos fardos de maconha escondidos em uma região de mata, que após pesagem, totalizaram aproximadamente 202 kg. No local, buscas foram realizadas e nenhuma pessoa foi encontrada.

A droga apreendida foi encaminhada para a Delegacia da Polícia Federal em Guaíra, para as providências cabíveis. Essa operação bem-sucedida é mais um exemplo de compromisso das forças de segurança pública na região, contribuindo para a segurança da comunidade e o enfraquecimento das redes criminosas que atuam na área de fronteira.

Polícia Federal em Guaíra/PR

FICCO/PR e BPFRON apreendem 300Kg de maconha em residência

Guaíra/PR.
Na tarde deste domingo (7/4), policiais militares do BPFRON - Batalhão de Polícia de Fronteira e policiais da FICCO/PR (Forças Integradas de Combate ao Crime organizado), em uma ação conjunta no âmbito da Operação Argos, realizavam patrulhamento na cidade de Mundo Novo/MS, quando a equipe recebeu uma denúncia que estariam realizando o carregamento de droga em uma residência próxima a área central.
Após diligências no local, foram encontrados um veículo e vários fardos de maconha guardados na residência, totalizando aproximadamente 300Kg da droga. Um homem foi preso em flagrante. O preso e todo material apreendido foram encaminhados para a Delegacia da Polícia Federal em Naviraí/MS.

Essa operação bem-sucedida é mais um exemplo de compromisso das forças de segurança pública na região, contribuindo para a segurança da comunidade e o enfraquecimento das redes criminosas que atuam na área de fronteira.

Polícia Federal Guaíra/PR

PF prende homem por associação criminosa, comercialização de armas e tráfico de drogas no PA

Santarém/PA.
Na tarde desta segunda-feira (8/4), a Polícia Federal cumpriu mandado de prisão preventiva, expedido no âmbito da Operação Icarus, em Itaituba/PA. O indivíduo é acusado de crimes relacionados à comercialização de armas de fogo e munição, associação criminosa e tráfico de drogas

A ação tem o objetivo de combater os tráficos de drogas e de armas de fogo, com atuação em diversos estados, incluindo Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Espírito Santo.

Após intensa investigação e diligências em Itaituba, os policiais federais localizaram e prenderam o suspeito.

Comunicação Social da Polícia Federal em Santarém/PA

FICCO/PR e BPFRON apreendem carreta com 308kg de maconha na cidade de Guaíra/PR

O preso, juntamente com veículo e toda droga apreendida, foram encaminhados para à Delegacia da Polícia Federal para os procedimentos subsequentes.
Guaíra/PR. Na manhã desta sexta-feira (05/04), A FICCO/PR em ação conjunta com policiais militares do BPFRON - Batalhão de Polícia de Fronteira, realizavam fiscalização de rotina na BR-163 quando efetuaram a abordagem de uma carreta bitrem que trafegava pela rodovia.

Durante buscas no veículo, foram encontrados diversos fardos de maconha escondidos no interior da cabine. Diante disso, o condutor do veículo foi preso em flagrante, e um menor que estava como passageiro foi apreendido e encaminhado para a Delegacia da Polícia Civil de Guaíra. Após pesagem, a droga apreendida totalizou 308kg.

O preso, juntamente com veículo e toda droga apreendida, foram encaminhados para à Delegacia da Polícia Federal de Guaíra/PR para os procedimentos subsequentes.

Comunicação Social da Polícia Federal em Guaíra/PR

Polícia Federal apreende mais de 100 kg de mercúrio em Bonfim

           A ação ocorreu com a cooperação da polícia guianense e da guarda municipal de Bonfim

Boa Vista/RR. Nesta sexta-feira, 5/4, a Polícia Federal realizou a interceptação de um veículo em Bonfim que continha 3 cilindros de mercúrio, substância utilizada no garimpo ilegal. A ação ocorreu com a cooperação da polícia guianense e da guarda municipal de Bonfim.

Informações indicavam que um veículo com determinadas características iria cruzar a fronteira com o Brasil e que ele possivelmente estaria transportando quantidades significativas de mercúrio.

Os policiais federais do Posto Avançado de Bonfim conseguiram interceptar um veículo com a descrição correspondente logo após este cruzar a fronteira. No interior do carro, além dos cilindros de mercúrio, foram encontrados diversos documentos e dinheiro, em reais e dólares guianenses. O motorista evadiu-se do local.

A investigação segue em andamento.

Comunicação Social da Polícia Federal em Roraima

PF apreende 200kg de cocaína em Maracaju/MS

A droga estava escondida num compartimento oculto de um caminhão
Dourados/MS: A Polícia Federal apreendeu, na noite desta quarta-feira, (3/4), cerca de 200kg de cocaína na cidade de Maracaju/MS.

Durante uma abordagem a um caminhão, em um posto de gasolina, Policiais Federais identificaram, com o apoio de cães farejadores, droga escondida em um compartimento oculto, no qual continham pouco mais de 200kg de cocaína.

A ocorrência foi encaminhada à Delegacia de Polícia Federal em Dourados e o motorista se encontra preso à disposição da Justiça.

Comunicação Social da Superintendência Regional de Polícia Federal em Mato Grosso do Sul

PF deflagra operação contra tráfico internacional de armas

A investigação apontou que a quadrilha utilizou uma empresa do ramo audiovisual para armazenar materiais bélicos importados de forma irregular, os quais eram comercializados clandestinamente
Rio de Janeiro/RJ. Na manhã desta quinta-feira, 4/4, a Polícia Federal deflagrou a Operação Ficção ou Realidade, com o objetivo de apurar a prática de tráfico internacional de armas de fogo e acessórios oriundos dos Estados Unidos, além de comércio clandestino de material bélico a facções criminosas e milícias do Rio de Janeiro.

Policiais federais cumprem seis mandados de busca e apreensão, expedidos pela 2ª Vara Federal Criminal no Rio de Janeiro, em endereços residenciais localizados nas cidades do Rio de Janeiro, Curitiba/PR e Maringá/PR.

A investigação, que foi iniciada com base em informações da Receita Federal, revelou que o grupo investigado importava material bélico de forma irregular e contratou uma empresa do ramo de efeitos cinematográficos para armazenar clandestinamente os armamentos, sob a premissa de estar lidando com materiais de efeito não lesivo destinados ao serviço de show pirotécnico, para que não levantasse suspeita sobre a atividade criminosa.

Em janeiro deste ano, autoridades estadunidenses apreenderam, na cidade de Miami, expressiva quantidade de material bélico que estava prestes a ser enviado clandestinamente ao território nacional.

Na ocasião, foram apreendidos: 261 carregadores de alta capacidade, geralmente *utilizados por milicianos e traficantes para exercer domínio territorial, visto que comportam até 90 munições de grosso calibre e alto poder destrutivo; e 88 acessórios de conversão de armas de fogo chamados de “Kit Roni”, que conferem maior estabilidade e precisão ao armamento, assim como transformam armas semiautomáticas em armas automáticas ou que disparam rajadas de tiros.

Os investigados responderão pelos crimes de tráfico internacional e comércio clandestino de armas de fogo e acessórios, além de associação criminosa. Caso sejam condenados, eles poderão cumprir pena de até 31 anos de reclusão.

A operação contou com o apoio da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado no Estado do Rio de Janeiro (FICCO/RJ), do Serviço de Aduanas e Proteção de Fronteiras dos EUA em Miami (CBP-MIA), Divisão de Segurança de Contêineres dos EUA em Santos (CSI/CBP) e da Força-Tarefa Internacional de Combate ao Tráfico de Armas e Munições (FICTA), unidade supervisionada pelo Serviço de Repressão ao Tráfico de Armas da Polícia Federal e composta por PF, Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça e Homeland Security Investigations (HSI) – principal braço investigativo do Department of Homeland Security (DHS) dos Estados Unidos.

A operação foi intitulada “Ficção ou Realidade” devido à hipótese criminal investigada quanto à influência e dissimulação praticada, através da empresa do ramo de efeitos cinematográficos, no tráfico e comércio clandestino de arma de fogo.
Balanço
No Rio de Janeiro, em uma empresa alvo da operação, foram apreendidas 34 armas de fogo.

Já em Curitiba, na empresa alvo de mandado judicial, os policiais federais apreenderam os seguintes acessórios para armas de fogo:
- 94 carregadores de alta capacidade;
- ⁠12 Kits Roni para conversão de armas de fogo;
- ⁠262 carregadores de pistola;
- ⁠22 carregadores de fuzil;
- ⁠32 bandoleiras táticas.

Comunicação Social da Polícia Federal no Rio de Janeiro

Destaques