Praça João Carlos Hohlenwwerger, 06 Tel-(73) 35313567-Ipiaú-BA

Em live com petistas, Genoíno convoca militância às ruas neste sábado e diz que é contra frente ampla em 2022

Foto: Divulgação/
Na imagem, o ex-deputado federal José Genoíno

Um dos fundadores e ex-presidente do PT, o ex-deputado federal José Genoíno disse numa live realizada pela Escola Luiza Mahin, do PT de Todas as Lutas, nesta sexta-feira (28), que enfrenta a terceira quarentena de sua vida. Após duas prisões – em 1972 e 2013 – vive agora a realidade da pandemia. “A cabeça e o coração não podem ficar presos, o corpo pode”.

E foi com esse espírito de inconformidade que Genoíno palestrou na abertura do 6º Curso de Formação Política da escola baiana. O tema, a encruzilhada “Diante da situação do país, o Brasil tem jeito? O que fazer?”. Numa clara convocação para os atos fora Bolsonaro deste sábado (29), desde que respeitados os protocolos sanitários, sugeriu “que as pessoas não podem ficar no desespero da impotência, que é possível derrotar a barbárie que a burguesia produziu”.

O petista iniciou sua fala enumerando a série de crises que o mundo e o capitalismo atravessam, agravadas pela pandemia do coronavírus, e disse que “uma crise sistêmica” se resolve com mudanças estruturais. Afirmou não acreditar, porém, numa frente ampla contra o bolsonarismo em 2022. “Temos que organizar um bloco de esquerda com conteúdo programático, porque parte da direita gourmet não quer acabar com a hegemonia do capital”.

“Programa de transformação é a base da nossa aliança”, defendeu Genoíno, para quem uma das debilidades do PT foi ter chegado ao poder, dirigido o país durante mais de 10 anos, e não mudar as instituições do Estado de concepção excludente e autoritária, e nem mexido nas estruturas de riqueza.

O primeiro dia do 6º Curso de Formação Política da Escola Luiza Mahin contou com uma audiência virtual de 970 pessoas do Brasil e do exterior (foram ao todo 1185 inscritos de 22 estados, cinco países e quatro etnias indígenas). Também palestraram a ex-secretária de Políticas Para as Mulheres do Brasil no governo Dilma Rousseff, Eleonora Menicucci, e Helena Abramo, socióloga e pesquisadora.

O evento prossegue amanhã (29), a partir das 9h, às 9h, com os ex-ministros Alexandre Padilha e Humberto Costa e o tema “Saúde pública e Pandemia: Políticas de Estado e Políticas de Governo para a Saúde”. Participam também como expositores a secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Adélia Pinheiro, a epidemiologista Maria Yury Ichihara (Fiocruz-BA) e José Renato Peneluppi (Informe internacional).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esta matéria.