Praça João Carlos Hohlenwwerger, 06 Tel-(73) 35313567-Ipiaú-BA

Bolsonaro radicaliza e diz que até Aécio ganhou e não levou em 2014; PSDB rechaça hipótese

Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está radicalizando o discurso sobre a possibilidade de fraude nas eleições sem o voto impresso. Ele já chegou a falar para interlocutores que ganhou as eleições no primeiro turno em 2018 —e que Aécio Neves venceu Dilma Rousseff em 2014.

As falas têm impressionado pela indicação de que Bolsonaro, em caso de derrota em 2022, pode imitar Donald Trump: o norte-americano não reconheceu a vitória de Joe Biden para a Presidência dos EUA e conturbou o país.

O PSDB rechaça a possibilidade de fraude em 2014. “Reconhecemos todos os resultados eleitorais e a segurança das urnas eletrônicas”, diz o presidente do partido, Bruno Araújo. Naquele ano, o PSDB pediu auditoria das urnas. “Ela foi feita. E o resultado foi reconhecido”, diz ele.

“Não há a menor contestação. Participamos da sessão do Congresso Nacional que deu posse a ela sem qualquer protesto”, afirma Araújo.
Mônica Bergamo/Folhapress

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esta matéria.