Maioria dos deputados aprova taxação de grandes fortunas e reprova CPMF

Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

 Mais da metade dos deputados brasileiros estão de acordo em criar um imposto sobre grande fortunas. A maioria também reprova a volta da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), ainda que apenas sobre operações digitais.

É o que aponta a última Pesquisa XP Câmara dos Deputados, com 146 parlamentares, entre 20 e 31 de julho. A taxação sobre grandes fortunas é a segunda proposta relativa à reforma tributária que mais recebe apoio dos deputados, ficando atrás somente da unificação de impostos federais (77%), como IPI, PIS e Cofins.

Na oposição, a aceitação é ainda maior: 91% dos parlamentares se dizem favoráveis à ideia. Entre os demais, a proposta também é maioria (56%).

Um quinto dos deputados consultados se posicionou a favor da volta da CPMF para transações feitas em meios digitais. O apoio sobe para 32% se a arrecadação com o novo imposto for usada para custear o Renda Brasil ou desoneração da folha de pagamento.

A maioria ainda apoia taxar dividendos e reduzir o Imposto de Renda para pessoa jurídica (57%) e aumentar o imposto sobre heranças (56%). Ambos são mais aceitos pela oposição (60% e 74%, nesta ordem) que pelo restante (56% e 48%).

Criar uma nova alíquota do IR para os mais ricos é a terceira proposta com mais votos favoráveis entre os parlamentares consultados: ao todo, 63% disseram apoiar a medida. A proposta é a que recebe maior apoio da oposição, com 95% dos deputados se posicionando a favor da criação da nova faixa de renda. As informações são do portal UOL.

Nenhum comentário: