A democracia é inegociável’, diz ACM Neto sobre atos pró-Bolsonaro

Foto: Valter Pontes/SecomPMS
Em rede social, o prefeito ACM Neto se posicionou contrário aos atos em favor do presidente Jair Bolsonaro, que ocorreram em Brasília e em diversas partes do Brasil neste domingo, com criticas ao STF e Câmara dos Deputados. O protesto, claramente anticonstitucional, também foi de encontro a todas as recomendações das autoridades sanitárias, Ministério da Saúde e OMS, quanto a necessidade de isolamento social no combate ao coronavírus.

“A democracia é inegociável. Para que ela funcione é preciso que todos respeitem as regras do jogo. Evidentemente, as pessoas podem ter opiniões divergentes. E é sempre possível discutir para chegar a consensos. A própria democracia é que permite que isso aconteça”, enfatizou Neto.

Repercussão

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia disse que o Governo flerta com o extremismo. “O mundo inteiro está unido contra o coronavírus. No Brasil, temos de lutar contra o corona e o vírus do autoritarismo. É mais trabalhoso, mas venceremos. Em nome da Câmara dos Deputados repudio todo e qualquer ato que defenda a ditadura, atentando contra a Constituição”.

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), foi o primeiro da corte a se manifestar sobre os protestos. Ele classificou os atos como “assustador”. “Só pode desejar intervenção militar quem perdeu a fé no futuro e sonha com um passado que nunca houve”, disse o ministro. “Defender a Constituição e as instituições democráticas faz parte do meu papel e do meu dever”, completou.

O ministro Marco Aurélio Mello também criticou os protestos. “Tempos estranhos! Não há espaço para retrocesso. Os ares são democráticos e assim continuarão”, comentou. “A crise do coronavírus só vai ser superada com responsabilidade política, união de todos e solidariedade”, disse Gilmar Mendes, outro representante do STF.

Nenhum comentário: