UM ADEUS À DONA YVONNE

Foto: Arquivo Familiar

Faleceu às 6:20 da manhã desta terça-feira, no Hospital Geral de Ipiaú, em decorrência de peneumonia broncoaspirativa, a senhora Yvonne Góes Souza Reis. Ela era viúva do advogado Talma Reis, deixa três filhos (o advogado Jaime Reis Neto, o médico Talma Reis Filho e Maria Tereza) , netos e bisnetos, além de um legado marcado pela bondade e solidariedade humana.

O corpo está sendo velado na Capela do Cemitério da Saudade, também conhecido como Cemitério Velho, onde ocorrerá o sepultamento às 17 horas.

Dona Yvonne tinha 94 anos incompletos, era natural de Ubaíra e morava em Ipiaú há mais de 65 anos. Ela esteve na retaguarda da Força Expedicionária Brasileira (FEB), costurando roupas para os soldados que defendiam a pátria na Segunda Guerra Mundial, auxiliou o ex-prefeito Euclides Neto a organizar um município que se tornaria “Modelo da Bahia”, deu grande contribuição na construção da atual Igreja Matriz e foi fundadora da Casa da Menor.

No ano de 1964 aconteceu uma das maiores enchentes do Rio das Contas. Muitas famílias ficaram desabrigadas, grande calamidade foi verificada. Dona Yvonne não esmoreceu, mostrou que a força do seu espírito é bem maior do que sugeria o seu corpo franzino. 
Socorreu os desabrigados, arranjou alojamentos, providenciou alimentos, esteve de prontidão para auxiliar o prefeito Euclides Neto a vencer aquela calamidade pública.

A CASA DA MENOR

No processo de criação da Casa da Menor dona Yvone se posicionou na linha de frente junto com as rotarianas Alvina Godinho, Sonia Magalhães, Nicia Ramos e Angélia Gondim. Liderou campanhas, arrecadou recursos, estruturou a instituição que se tornou uma fundação com o nome de Alvina Godinho e foi inaugurada no dia 14 de maio de 1983. 

Registros indicam que ao longo de 34 anos mais de 300 garotas foram acolhidas na casa. Em todo esse tempo dona Yvonne esteve presente, dando atenção, carinho, esperança e melhores condições de vida às jovens órfãs carentes. 

Num ato de reconhecimento a Câmara Municipal, por indicação da vereadora Andréia Novaes de 
Oliveira concedeu a dona Yvone o título de “Cidadania Ipiaúense”, enquanto a Loja Maçônica Fraternidade Rionovense lhe entregou uma placa dourada contendo a seguinte inscrição: 

“Uma homenagem a quem, com sabedoria, transformou nosso dia a dia em algo mais suave e encantador”. Pura verdade. Justo reconhecimento a quem sempre fez o bem.
Por: José Américo Castro

Nenhum comentário: