Autoexclusão de PT de carreata no 2 de Julho será um problema para Major Denice

Foto; Redes sociais/Arquivo
Ao decidir não participar de uma carreata no 2 de Julho pela Vida e a Democracia e, naturalmente, contra os ímpetos autoritários do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o PT de Salvador pode criar um problema para sua pré-candidata a prefeita, Denice Santiago.

Afinal, talvez ela venha a ser a única, entre as postulantes do campo democrático à Prefeitura de Salvador, que, por força de uma inexplicável determinação do partido, fique fora do evento, organizado com o propósito de não deixar a data que celebra a independência do Brasil na Bahia passar em branco.

A carreata é uma alternativa ao tradicional desfile que percorre as ruas do Centro Histórico – da Lapinha ao Pelourinho, na parte da manhã – nestes tempos de pandemia. Em condições normais, como ocorre em anos eleitorais, políticos de todas as cores ideológicas marcariam sua presença no evento.

Como sempre, apostando em ganhar visibilidade, fazer fotos e gravações para a campanha e testar a popularidade. As restrições impostas pela pandemia, entretanto, alteraram o roteiro, cuja criatividade dos candidatos quer transformar numa grande carreata que percorrerá o Dique, passando pelo Campo Grande, com destino ao Bonfim.

Seria uma forma de celebrar a importante data histórica e também marcar um posicionamento firme pela vida e a democracia, que tem convivido com ameaças diárias da parte de um presidente da República que só as diminuiu na última semana porque está acuado diante das investigações contra a família.

Ao se afastar do ato, o PT de Salvador segue a cartilha de Lula, que não aceita se juntar aos demais partidos democráticos porque não obteve deles, segundo reclama, solidariedade por conta de sua prisão pela Operação Lava Jato. O ex-presidente pensa pequeno, de fato, porque prefere olhar para o umbigo a reconhecer que o país corre risco.

Quem não pode se submeter a esse tipo de restrição, no entanto, é a candidata do partido em Salvador, provavelmente uma das mais afetadas pela pandemia dado o seu pouco grau de conhecimento pela população. Exatamente por esta razão, Denice precisa aproveitar os espaços que surgem para se fortalecer eleitoralmente.

Nenhum comentário: