Rui Costa recomenda hotéis para infectados em Ilhéus, Itabuna e Ipiaú

Municípios do sul da Bahia com maiores índices de propagação do coronavírus recebem medidas de restrição de circulação
Paula Fróes/GOVBA
Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, nesta segunda-feira (11), o governador Rui Costa anunciou a criação de hotéis para infectados por coronavírus e medidas de restrição de circulação mais rígidas no sul da Bahia, por conta do elevado índice de propagação do coronavírus. Até esta segunda, a região já tinha 32 mortes provocadas pela doença. As medidas são recomendadas para Ilhéus (291 pessoas com a Covid-19), Itabuna (328) e Ipiaú (112), cidades com maiores casos da doença na região.

“Os prefeitos já conseguiram os locais e a partir de amanhã nós já vamos começar a convidar as pessoas, pois não é compulsório, para quem quiser se alojar nessas pousadas ou hotéis, ficar 14 dias com direito ao benefício de R$ 500 e ajudar na diminuição da contaminação”, avaliou o governador.

Ainda segundo Rui, medidas como endurecimento na circulação de pessoas nas ruas (um toque de recolher), espaços para as pessoas infectadas e aumento no efetivo policial. “Orientei à polícia para encaminhar para a delegacia as pessoas que estiverem descumprindo as medidas sanitárias de isolamento social”.

Rui conta que a decisão veio a partir dos índices que mostraram o aumento significativo no sul do estado, mesmo com restrições em curso.

Lacen em Vitória da Conquista e Barreiras

No Instagram, Rui anunciou também o reforço na realização de exames para detecção do coronavírus no Laboratório Centrla (Lacen) de Vitória da Conquista e de Barreiras.

“Hoje é um dia muito importante no combate à #COVID19 na Bahia. A partir desta segunda, começa a realização de exames RT-PCR no Lacen de #VitóriaDaConquista e, em #Barreiras, o laboratório foi montado em parceria com a UFOB. Essa descentralização garantirá mais rapidez nos exames. Em breve, vamos implantar também em outras cidades do interior, especialmente na região sul”.

O teste RT-PCR é a resposta final e precisa sobre a presença do vírus na amostra analisada. A primeira ação do RT-PCR é o uso da enzima transcriptase reversa para transformar o RNA do vírus em DNA complementar, também chamado de cDNA.

O RNA é produzido a partir de uma molécula de DNA e apresenta informações com as quais é possível coordenar a produção das proteínas. Depois de ter sido transformado, são inseridos dois primers, que é uma fita simples de DNA, para auxiliar a amplificação do material genético em 100 milhões de vezes.

Nenhum comentário: