Lula tem tudo para acompanhar as eleições de 2022 da cadeia

Petista deixou de ser réu primário, terá de somar as penas e terá de cumprir, no mínimo, 3 anos e 11 meses em regime fechado
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Duas vezes condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Lula tem futuro sombrio: os recursos vão demorar, mas advogados experientes acham que até meados 2020 ele estará atrás das grades, acompanhando a campanha eleitoral à distância. Ele deixou de ser réu primário, agora terá de somar as suas penas e dividir por seis, para ter progressão de regime: terá de cumprir, no mínimo, 3 anos e 11 meses em regime fechado. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

São 8 anos e 11 meses do primeiro caso mais 17 anos e um mês no segundo, menos os 580 dias já cumpridos: sobram 23 anos e meio.

Lula queria adiar o julgamento do recurso alegando depoimento pífio de Sergio Moro. No besteirol protelatório, vale até falar mal da mãe.

Recursos de Lula serão recebidos pelo rigoroso Felix Fischer, ministro relator prevento, que já analisa outros casos da Lava Jato no STJ. Por: Dário do Poder

Nenhum comentário: