Morre Leão, tradicional vendedor de fogos de artifícios de Ipiaú



Faleceu às 17h30 de quarta-feira, 5 de fevereiro, em uma unidade hospitalar de Salvador, o senhor José de Jesus Alves, popularmente conhecido como Leão, de 74 anos. Ele foi vitima de uma embolia pulmonar e seu corpo que está sendo velado no templo da Igreja Fonte da Água Viva, com endereço na Avenida Getúlio Vargas, será sepultado na tarde desta quinta-feira, 6, às 17 horas no Cemitério Velho.
”Leão” fica na história como uma das personalidades folclóricas de Ipiaú. Era filho do fazendeiro Mané Grande, irmão do empresário Eduardo Pereira Alves (Dú) e gozava de muito carisma entre os que tiveram a oportunidade de lhe conhecer.
Figura singular, discreta e ao mesmo tempo irreverente. Contador de piadas, vendedor de fogos de artifício que mantinha a tradição das festas juninas, Leão gostava de usar chapéu de abas largas, preservando assim as origens de homem do campo. Nas antigas festas de São Roque prestava serviços à paróquia comandando a famosa Barraca da Vispora.
Sacudia o bogue, cantava as pedras com muita criatividade. Seu nome era muito pronunciado em tais ocasiões. Nessa função que dividia com Noguinha e outros companheiros, seguia até alta madrugada, entre a neblina e o frio de agosto em Ipiaú. Por não ser de ferro, segurava a onda tomando uma. Agora segue em seu destino, cumprindo a ordem natural da vida. (Giro/José Américo Castro).

Nenhum comentário: