Diante das ameaças bolsonaristas, Maia diz que não quer "colocar lenha na fogueira"

(Crédito: Agência Brasil)
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), teve de se explicar após divulgar uma nota oficial pouco incisiva sobre as mais recentes ameaças de Jair Bolsonaro à democracia. Ele disse não ter conversado com qualquer integrante do governo antes de publicar o texto.

Segundo a coluna de Lauro Jardim no Globo, Maia garante só ter conversado com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), após publicar sua nota nas redes sociais. A interlocutores, teria dito que conversou também com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

Aos que dizem que o tom da resposta foi ameno demais, Maia explica: "é o meu estilo: não colocar lenha na fogueira e trabalhar com equilíbrio".

Diz a nota divulgada por ele mais cedo:

"Criar tensão institucional não ajuda o país a evoluir. Somos nós, autoridades, que temos de dar o exemplo de respeito às instituições e à ordem constitucional. O Brasil precisa de paz e responsabilidade para progredir. Só a democracia é capaz de absorver sem violência as diferenças da sociedade e unir a Nação pelo diálogo. Acima de tudo e de todos está o respeito às instituições democráticas".

Nenhum comentário: