Tribunal confirma prisão de cristãos que se recusaram a negar a fé, no Irã

Preso lendo a Bíblia na cadeia
Um tribunal no Irã confirmou as sentenças de prisão de dois cristãos convertidos em igrejas domésticas.

Saheb Fadaie foi sentenciado a 18 meses de prisão e Fatemeh Bakhteri a 12 meses, em setembro passado, depois de terem sido considerados culpados de “espalhar propaganda contra o regime”.

Ao proferir a sentença, o tribunal comparou as discussões da doutrina cristã nas igrejas domésticas a um ataque ao Islã, de acordo com a Christian Solidarity Worldwide (CSW).

Além de uma sentença de prisão, Fadaie também recebeu dois anos de exílio interno em Nehbandan, uma área remota perto da fronteira com o Afeganistão.

Os dois, que eram ativos em igrejas domiciliares, apresentaram uma apelação contra a decisão e em uma audiência em janeiro foram solicitados a renunciar à sua fé. Ambos recusaram.

Ao proferir a sentença, o tribunal comparou as discussões da doutrina cristã nas igrejas domésticas a um ataque ao Islã, de acordo com a Christian Solidarity Worldwide (CSW).

Além de uma sentença de prisão, Fadaie também recebeu dois anos de exílio interno em Nehbandan, uma área remota perto da fronteira com o Afeganistão.

Os dois, que eram ativos em igrejas domiciliares, apresentaram uma apelação contra a decisão e em uma audiência em janeiro foram solicitados a renunciar à sua fé. Ambos recusaram, relatórios CSW. 

O presidente-executivo da CSW, Mervyn Thomas, disse que a decisão de manter as sentenças era uma “violação grave” das obrigações constitucionais e internacionais do Irã, e “ilustrativa da campanha de repressão que levou cristãos a receberem acusações e multas excessivas apenas por manifestarem sua religião”.

“Muitos mais estão sendo punidos por adotar uma religião de sua escolha, que é protegida pelo Artigo 18 do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, do qual o Irã faz parte”, disse ele.

“Além disso, a designação eficaz da doutrina cristã como um ataque ao Islã equivale à criminalização da fé cristã”. 

Thomas pediu que as sentenças de prisão fossem anuladas.

“A CSW insta as autoridades iranianas a garantir a libertação imediata e incondicional de Saheb Fadaie, Fatemeh Bakhteri e todos os que foram presos injustamente, e para acabar com o assédio de comunidades religiosas pacíficas”, disse ele. 

Fadaie já está cumprindo 10 anos na prisão de Evin, em Teerã, por “agir contra a segurança nacional” ao “promover o cristianismo sionista”.

Ele foi sentenciado em julho de 2017 depois de ser preso junto com outros membros da denominação da Igreja do Irã a que pertence. 

Folha Gospel com informações de Christian Today

Nenhum comentário: