Praça João Carlos Hohlenwwerger, 06 Tel-(73) 35313567-Ipiaú-BA

Projetos via Edital Fauzi Maron com recursos da Lei Aldir Blanc começam a ser executados em Ipiaú


A partir desta segunda-feira, 25, começa a ser executada, em Ipiaú, a grade de atividades decorrentes do auxílio financeiro ao setor cultural previsto pela Lei Aldir Blanc (Lei nº 14.017/2020) com o intuito de apoiar os agentes culturais que sofreram o impacto das medidas de distanciamento social por conta da pandemia da Covid-19. 

De acordo com a Agenda Cultural, elaborada pela Diretoria de Cultura do município, o primeiro projeto a ser concretizado é o “Inter’ Art”, categoria “Formação e Capacitação”, cujo proponente é a musicista Veronica Alves. Serão ministradas, na modalidade EAD, aulas de violino, guitarra e instrumentos de sopro (gaita e flauta doce) para adolescentes e jovens. As inscrições estão abertas até às 18 horas desta segunda-feira. As aulas, 100% online e gratuitas, terão início uma hora após o encerramento das inscrições e se estenderão até o próximo dia 19 de fevereiro. Elas acontecerão no horário das 19 às 20 horas.

Cada curso atenderá 10 alunos e envolverá quatro módulos, dos quais constarão noções da história dos instrumentos, teoria musical, conhecimento das partes dos instrumentos, técnica e domínio instrumental. Os cursos serão ministrados pelos professores: Verônica Leite (violino), Charles Magno (flauta doce/gaita) e Clodoaldo Assis (guitarra).

No dia 28 será exibida a Live Sertaneja do cantor Lucas Moraes. O espetáculo terá duas horas de duração e contará com as participações de Veronica Leite (violinista) e Brendon Oliveira.

OFICINAS E DOCUMENTÁRIO
Também nesta semana estarão abertas as inscrições para as oficinas de “Processo de Criação”, proposta por Andressa Oliveira, e voltadas às pessoas interessadas em participarem do documentário “Empoderamento das Mulheres Negras” que tem como proponente a dançarina Manoela Paulina. As inscrições para as oficinas vão do dia 25 ao dia 31 de janeiro, enquanto as do documentário serão até o dia 30.

O projeto “Dance em Casa”, elaborado pela coreografa Andressa Oliveira, nasceu da necessidade de trabalhar com processos de criação na área de dança, especificamente a partir das memórias individuais de cada intérprete nesse período de pandemia que interfere nas ações dos artistas. A proposta é que os participantes consigam criar células coreográficas através de diversos estímulos sensoriais, entre eles o visual e o auditivo.

Já o documentário “Empoderamento das Mulheres Negras”, proposta da dançarina Manoela Paulina, na categoria pesquisa, objetiva um diálogo com as mulheres negras de Ipiaú e região, a partir de várias linguagens artísticas para pensarmos em quais contextos sociais essas mulheres estão inseridas. A proposta surge com foco no empoeiramento negro, trabalhando com reflexões das memorias das interpretes. 
José Américo Castro/Prefeitura de Ipiaú/Dircom

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esta matéria.