PF contrata imagens de satélite por R$ 49 milhões, mas Inpe diz ter serviço semelhante de graça

 Contratação ocorreu sem licitação sob o argumento de que empresa Planet entrega serviço único

Foto: Divulgação PF

Com aporte de R$ 49 milhões para ter acesso a images de satélite por tempo limitado, somente no período de um ano, a Polícia Federal assinou contrato com a Planet, sob o argumento de a empresa oferecer serviço único.

Uma das justificativas da compra é monitorar o desmatamento e queimadas pelo Brasil, mas a ação foi criticada por integrantes do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), órgão que fiscaliza o desmatamento. Eles afirmam já possuir sistema com as mesmas funções.

A compra da PF ocorre, inclusive, em meio a cortes de gastos e ao mesmo tempo em que o Ministério da Defesa iniciou a aquisição de satélite com finalidade semelhante pelo valor de R$ 145 milhões.

Quem participou da contratação diz que a empresa Planet tem a melhor resolução de imagem do mercado e consegue mapear diariamente as áreas de interesse, mostrando ocorrências desde seu início. Delegados e peritos afirmam que o sistema vai ser útil para outras investigações, como fraudes em obras, mineração irregular e plantio de ilícitos —o que vai além do trabalho do Inpe.

Os R$ 49 milhões serão pagos com dinheiro do Fundo Nacional de Segurança Pública, vinculado à pasta da Justiça. A contratação da PF ocorreu por inexigibilidade de licitação sob o argumento de que a Planet entrega um serviço único, que nenhuma outra empresa tem.

Contudo, integrantes do Inpe disseram ao Painel, coluna da Folha de S.Paulo, que o uso do sistema para monitorar o desmatamento não resolverá o problema, que seria a falta de estrutura, não a ausência de imagens. Um dos ouvidos diz que quanto maior a resolução, maior é a frustração.

Nenhum comentário: