Confiante, grupo LM pretende expandir negócios durante a pandemia

Empresário Luiz Mendonça Filho anunciou ao bahia.ba o investimento de R$ 200 milhões na Assine Car e na Assine Truck
Foto: divulgaçã Grupo LM
Trilhando direção diferente a de praticamente todo o mercado, o Grupo LM vai abrir novos negócios ainda este ano. A expectativa de não ter perda de receitas foi um dos estímulos para a criação da Assine Car e da Assine Truck. A expensão dos negócios foi confirmada pelo fundador e gestor do grupo, Luiz Mendonça Filho, em conversa com o bahia.ba.

O empreendedor, que começou a trabalhar aos 9 anos, administra uma rede composta pela concessionária Bravo (com 9 unidades), pela LM Frotas – que reúne 36 mil equipamentos – e pela Aura Brasil, do ramo de locação de plataformas utilizadas para serviços em grandes alturas na indústria e na construção civil.

Na conversa com o bahia.ba, Luiz Mendonça frisou que mesmo podendo contar com medidas emergenciais como suspensão do contrato ou redução de salário, preferiu não mexer nem no efetivo de 1.300 funcionários nem na remuneração. “Preferi acreditar que não tirando nada dos salários as pessoas dariam uma contribuição maior. E isso aconteceu”, relatou o gestor. As metas da empresa para o ano, bem como a previsão de pagamentos de bônus, não foram alteradas.

Sobre a Assine Car e a Assine Truck, os dois projetos devem ser abertos daqui a 60 a 90 dias. O serviço focará no aluguel individual, servindo a pessoas que, por exemplo, não queira administrar a propriedade de um veículo, optando pelo aluguel.

Inicialmente, a atuação será apenas na Bahia, mas a migração para São Paulo já está nos planos. “Sou um otimista, estou otimista”, sintetizou Luiz Mendonça, quando indagado sobre o futuro do Brasil pós pandemia. O empresário confia no perfil e nos rumos da equipe econômica liderada pelo ministro Paulo Guedes.

Protocolos

O presidente do grupo LM destacou que, mesmo atuando sem parar em todo o Brasil – há negócios em Paraupebas (PA) e Uruguaiana (RS) – a empresa não foi afetada. Dentro do protocolo adotado, 70% do pessoal trabalha em home office.

A volta ao trabalho nos escritórios está programada para o final de agosto e início de setembro. Luiz Mendonça relata que as áreas foram redesenhadas, para permitir o distanciamento de 1,5 metro entre as mesas, e novas instalações foram alugadas. “No mesmo espaço não dá para abrigar as mesmas pessoas neste novo normal.

Nenhum comentário: