A troca no Ministério da Saúde deve continuar repercutindo no Brasil nesta sexta-feira, 17

Bolsonaro e Teich: mudança no Ministério da Saúde | REUTERS/Adriano Machado
A troca no Ministério da Saúde deve continuar repercutindo no Brasil nesta sexta-feira, 17. No mercado internacional, os assuntos são o plano de reabertura dos EUA e a queda (já esperada) no PIB da China. A Desperta destaca ainda o festival "à distância" organizado pela cantora Lady Gaga e a OMS. Boa leitura.
1 - QUEDA ESPERADA

Economia na China, saúde nos Estados Unidos e no Brasil: estes tendem a ser os destaques entre investidores e analistas nesta sexta-feira, 17. Na noite de quinta-feira, 16, o governo chinês anunciou que o PIB do país recuou 6,8% no primeiro trimestre, a primeira queda desde o início das medições oficiais, em 1992. Uma esperança veio dos dados industriais de março, acima do esperado por analistas. Nos Estados Unidos, o grande tema do dia é um plano de reabertura gradual para os estados, costurado pelo presidente Donald Trump e que pode valer já a partir de hoje. Na prática, será mais difícil: os EUA tiveram ontem o dia mais letal desde o início da pandemia, com 4.591 mortes. O país já tem 670.000 casos da covid-19. No Brasil, a atenção será para as primeiras medidas do novo ministro da Saúde, Nelson Teich. Na Ásia, a sexta-feira foi de alta nas bolsas acima de 1% nas bolsas, num sinal de que o recuo chinês já estava precificado. Na Europa os principais índices abriram em alta de mais de 3% nesta manhã. 

2 - À PROCURA DE UMA SAÍDA

O Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI) encerram nesta quinta-feira, 17, em Washington, nos Estados Unidos, o seu primeiro encontro anual virtual. A chamada “reunião de primavera” das entidades deveria receber, na capital americana, mais de 3.000 representantes dos países e da sociedade civil. Mas a pandemia da covid-19 não só mudou os planos, como colocou na mesa de discussão o desafio de ajudar a reconstruir a economia global. Projetando uma queda de 3,8% do Produto Interno Bruto global neste ano, o Banco Mundial e o FMI lançaram um programa de ação com três prioridades: proteger vidas, proteger os meios de vida e construir um plano de retomada. Nos últimos dois dias, as entidades discutiram como aumentar a disponibilidade de crédito para nações em dificuldades. As medidas concretas devem ser anunciadas em entrevista coletiva. 

3 - TODOS DE MÁSCARA

Várias cidades brasileiras passaram a recomendar ou obrigar nos últimos dias moradores a circularem somente usando máscaras — ainda que caseiras, para evitar escassez de máscaras profissionais nos hospitais. Em Florianópolis, Curitiba e Belo Horizonte, a obrigatoriedade do uso de máscara nas ruas começa a valer nesta sexta-feira, 17. Outras cidades nos estados também adotaram medida semelhante. Na capital mineira, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) afirmou que tomará medidas mais "duras" contra a covid-19: "Eu prefiro 10.000 desempregados a 50.000 mortos”. Em Cuiabá e todas as cidades de Mato Grosso, desde segunda-feira, 13, é obrigatório usar máscara para circular e o governador Mauro Mendes (DEM) quer aprovar multa em 140 reais para quem descumprir a norma. Em São Paulo, o prefeito Bruno Covas (PSDB) baixou decreto na quarta-feira, 15, recomendando o uso de máscaras “sempre que possível”, mas o uso ainda não é obrigatório. O Brasil tem 30.425 casos confirmados de coronavírus e 1.924 mortes.

4 - TOGETHER AT HOME

Em 1985, cerca de dois bilhões de pessoas pararam para assistir ao Live Aid, evento promovido pela luta contra a fome na Etiópia. Duas décadas depois, em 2007, o ex-vice-presidente americano Al Gore colocou em pé o ambicioso Live Earth, a favor do Planeta Terra: doze palcos ao redor do mundo, 24 horas de música e 150 artistas. Em 2020, é a Organização Mundial da Saúde (OMS), a ONG Global Citizen e a cantora americana Lady Gaga que entram em ação contra a pandemia do novo coronavírus no festival “One World: Together at Home nesta sexta-feira, 17. A diferença para os festivais humanitários do passado é que esse não vai reunir multidões bebendo cerveja em estádios. O festival começa às 16h, com apresentações de artistas como Adam Lambert, Kesha e Maluma. Depois, às 21h, os shows principais, como Billie Eilish, Lizzo, Billie Joe, Paul McCartney, Eddie Vedder, John Legend, Elton John e Stevie Wonder, além da própria Lady Gaga. Veja onde assistir

5 - NA RÚSSIA, PÁSCOA VAZIA

Pela primeira vez nos últimos 30 anos, os templos de Moscou não vão receber os fiéis durante a Páscoa da Igreja Ortodoxa, celebrada no próximo domingo, dia 19. Assim como na Páscoa cristã-ocidental no último fim de semana, as igrejas estarão vazias por ordem da prefeitura da capital russa. A propagação do vírus na Rússia aumentou nesta semana: nesta quinta-feira, 16, autoridades de Moscou admitiram que os mais de 27.000 casos confirmados podem provocar um colapso na saúde pública. Até então, o governo vinha negando a gravidade da pandemia e a Rússia estava em uma posição melhor do que o restante da Europa. “Estamos vendo o panorama mudar diariamente porque o número de casos não para de crescer”, disse o presidente Vladimir Putin. Os cidadãos que violarem as regras de isolamento serão multados e negócios abertos pagarão multa de 500 dólares. 

Nenhum comentário: