Só Coronel diz abrir mão de Fundão para coronavírus; Isolado, Otto não respondeu e Wagner não quis comentar

Foto: Jeferson Rudy/Agência Brasil
Para contribuir no combate ao novo coronavírus, os senadores Randolfe Rodrigues (Rede) e Major Olímpio (PSL) propuseram a utilização dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha, também conhecido como Fundão Eleitoral, e do Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos, o Fundo Partidário.

Vale lembrar que, em janeiro deste ano, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou integralmente a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2020, que inclui o Fundo Eleitoral de R$ 2 bilhões para financiar as campanhas dos candidatos nas eleições municipais de outubro.

Além disso, as siglas contam, ainda, com mais R$ 1 bilhão do Fundo Partidário, para as despesas com atividades das legendas. O montante garantido pelo Congresso é distribuído de acordo com o tamanho das bancadas das legendas no Parlamento.

Ao que parece, a ideia não agradou os senadores eleitos pelo estado da Bahia. Procurado pelo site Política Livre, o senador Jaques Wagner (PT), por meio da sua assessoria, preferiu não comentar questionamento da reportagem sobre a avaliação do petista com relação à proposta de usar o fundão para enfrentar a pandemia no país.

O senador Otto Alencar (PSD) não atendeu e nem respondeu a mensagem deste Política Livre. Na quinta (19), a sua assessoria justificou que não conseguiu entrar em contato com o parlamentar. Já nesta sexta (20), logo cedo, a assessora informou que não conseguiria agendar uma entrevista pela manhã e alegou que os parlamentares estão em preparação devido à sessão virtual para votar o decreto de calamidade pública.

A dificuldade também pode ter decorrido de o senador se encontrar em quarentena auto-imposta porque funcionárias de seu gabinete foram diagnosticadas com o Covid-19. Diferentemente dos colegas de bancada, o senador Angelo Coronel (PSD), também presidente da comissão parlamentar mista de inquérito que investiga Fake News, foi o único a se posicionar.

À reportagem, Coronel declarou que não vê problemas em abrir mão do Fundão no combate à doença, apesar de o Congresso já estar dispensando “R$ 15 bilhões extras que seriam destinados às emendas parlamentares para serem usados na saúde”, visando conter o avanço do Covid-19.

Mateus Soares

Nenhum comentário: