Iluminação em led é a novidade da Sudesb para obras da autarquia em equipamentos esportivos baianos

Imagem/Sudesb
O estádio de Ipiaú é o primeiro a ganhar essa tecnologia. O sistema representa eficiência energética e redução de custos mensais

Logo mais, a partir das 18h desta quarta-feira, 12, o Estádio Pedro Calmon, no município de Ipiaú, abre os seus portões para apresentar, à população local e dirigentes do futebol da região, a nova iluminação do equipamento, que ganhou refletores com lâmpadas led.

Tendo como atração um jogo treino do Doce Mel Esporte Clube, com entrada gratuita, a entrega da nova iluminação corresponde à primeira etapa da obra que está sendo desenvolvida no local pela Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), autarquia vinculada à Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte.

As obras da segunda etapa estão em execução, já tendo sido concluída recuperação do alambrado, bilheteria e parte do acesso. A construção de vestiários, de bilheteria, paisagismos também estão previstos no projeto.

“Para nós, da Sudesb, é uma satisfação entregar mais essa obra de requalificação de um equipamento de esporte. Essa primeira etapa do estádio de Ipiaú tem um sabor especial, pois com ela estamos inaugurando a nova tecnologia de iluminação que Sudesb passa a adotar daqui por diante nos sistemas de iluminação dos espaços esportivos”, informa o diretor geral da Sudesb, Vicente Neto.

Segundo o gestor, a iluminação feita por meio de led apresenta muitas vantagens. “Além de a obra de implantação ser mais ágil e mais simples, o custo mensal é muito menor do que o de uma lâmpada convencional”, afirma Vicente.

Grama sintética – Sempre buscando reduzir custos sem perder a qualidade, o diretor lembra que a Sudesb já havia inovado em obras de estádios ao adotar, no ano passado, a grama sintética. Este tipo de piso já está em uso nos estádios de Serrolândia, Mairi, Varzéa do Poço e no campo da Polícia Militar dos Dendezeiros, na capital baiana.

“No próximo sábado, dia 15, entregaremos a grama sintética do estádio de Banzaê. Durabilidade de até 10 anos, baixo custo de manutenção e economia mensal de 1,5 milhão de litros de água em relação à grama natural são algumas das muitas vantagens desse tipo de gramado”, observa Vicente Neto.

Hilda Fausto – DRT 1748
Ascom Sudesb

Nenhum comentário: