15/01/2013

RLAM: Contaminação por benzeno é 20 vezes maior do que permitido pela OMS

RLAM: Contaminação por benzeno é 20 vezes maior do que permitido pela OMS
Funcionários trabalham expostos à contaminação há 5 dias, após vazamento
Um vazamento de benzeno atinge desde a última quinta-feira (10) a Refinaria Landulpho Alves (RLAM), em Mataripe, município de São Francisco do Conde, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). O complexo petrolífero é de responsabilidade da Petrobras. A informação foi divulgada nesta terça-feira (15) pelo Sindicato dos Petroleiros da Bahia (Sindipetro). Segundo a entidade, o problema só foi comunicado pela gerência da RLAM nesta terça. Após o comunicado, a diretores da entidade sindical se reuniram com a gerência da Saúde Ocupacional (SO), técnicos de segurança e de operação, para avaliação da gravidade do vazamento e adoção das providências. Em nota enviada à imprensa, o Sindipetro informou que todos os trabalhadores da U-6 estão expostos a vapores provenientes da nafta que contém benzeno em sua corrente. “O relato indica que toda a área do entorno do trocador da U-6 permanece sob contaminação com mais de 20 ppm de benzeno – a tolerância ao agente cancerígeno é zero, segundo a Organização Mundial da Saúde”, afirma o comunicado. Ainda segundo os representantes da categoria, dirigentes da SO informaram que as ações imediatas a serem tomadas seria com os funcionários que apresentam sintomas como dor de cabeça, tonturas e náuseas. Aos demais seria aplicado um “protocolo de avaliação” definidos na Instrução Normativa 776.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esta matéria.