01/01/2013

Obras de transposição do São Francisco retalham propriedades


Obras de transposição do São Francisco retalham propriedades
Menina dos olhos de Lula deve ser concluída só depois de 2015
Sertanejos que tiveram suas terras cortadas ao meio pelos canais da transposição do rio São Francisco querem saber como chegarão ao outro lado de suas terras quando a água começar a correr. As obras estão atrasadas e paradas em vários trechos. A preocupação dos moradores é que eles sejam obrigados a andar quilômetros na caatinga para chegar à parte isolada de suas propriedades. De acordo com reportagem do jornal Folha de S. Paulo, o clima é de apreensão, pois a maioria não tem carro e carrega nos braços ou em carroças a lenha para os seus fogões e a vegetação nativa usada como ração. Os 713 quilômetros dos eixos leste e norte da transposição passam por 1.803 propriedades em Pernambuco, na Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. O Ministério da Integração Nacional não informou quantas delas foram divididas, mas, de acordo com o órgão, passagens sobre o canal serão feitas, em média, a cada 2 km. A localização, informou, foi acertada em reuniões com as comunidades. Iniciada em 2007, com previsão de conclusão para 2012, a transposição de parte das águas do "Velho Chico" está com 43% das obras concluídas. Vários trechos estão abandonados, e a expectativa, agora, é que os trabalhos somente terminem em 2015. Galpões foram saqueados e estão sem portas e janelas. Há montanhas de brita abandonadas. A erosão corrói paredes de terra desprotegidas do canal. Plantas crescem dentro dele, contrastando com o cinza que predomina na caatinga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente esta matéria.