Cidades brasileiras têm protestos em defesa de Sérgio Moro, Lava Jato e reforma da Previdência

BRASÍLIA, 10h: bonecos infláveis são erguidos no gramado do Congresso Nacional durante manifestação
 Foto: Brenda Ortiz/ G1
Cidades brasileiras tiveram neste domingo (30) protestos em apoio ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, à operação Lava Jato, à reforma da Previdência e ao governo do presidente Jair Bolsonaro.

Os manifestantes foram às ruas em defesa de Moro após a divulgação pelo site Intercept de diálogos atribuídos a ele e procuradores da Lava Jato, da época em que ele era o juiz de primeira instância responsável pelos processos da operação.

Até por volta de 19h30, 88 cidades dos 26 estados e do Distrito Federal tinham registrado atos.

Manifestantes usavam roupas com cores da bandeira do Brasil e levavam faixas com frases de apoio ao projeto anticrime de Moro e de pautas defendidas por Bolsonaro. Até a última atualização desta reportagem, os atos eram pacíficos.

É o primeiro dia de manifestações desde que o site The Intercept começou a publicar supostas mensagens atribuídas a Moro e a procuradores do Ministério Público o que, segundo o site, mostraria parcialidade do então juiz durante julgamentos da Lava Jato. Moro e os procuradores não reconhecem a autenticidade das mensagens e não admitem que nada do que foi divulgado até agora contenha irregularidades.

Sérgio Moro se manifestou em uma rede social na tarde deste domingo:

"Eu vejo, eu ouço, eu agradeço. Sempre agi com correção como juiz e agora como Ministro. Aceitei o convite para o MJSP para consolidar os avanços anticorrupção e combater o crime organizado e os crimes violentos. Essa é a missão. Muito a fazer", escreveu Moro.

Jair Bolsonaro também comentou os atos em rede social:

"Aos que foram às ruas hoje manifestar seus anseios, parabéns mais uma vez pela civilidade. A população brasileira mostrou novamente que tem legitimidade, consciência e responsabilidade para estar incluída cada vez mais nas decisões políticas do nosso Brasil", escreveu Bolsonaro.

Em São Paulo, manifestantes se reuniram em torno de cinco carros de som na Av. Paulista. O ato ocupou quatro quarteirões, com espaços em alguns setores
No Rio, os manifestantes chegaram a ocupar quatro quarteirões da orla de Copacabana e cantaram o hino nacional
Algumas manifestações passaram por mais de uma cidade, como um grupo que se concentrou em Vila Velha (ES) e atravessou a Terceira Ponte para Vitória, e uma carreata na Região dos Lagos (RJ) que passou por três municípios: Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia e Cabo Frio.

São Paulo
SÃO PAULO, 15h25: Ato na Avenida Paulista em defesa da Lava Jato 
Foto: Daniela Salerno/GloboNews

Na capital, o ato começou por volta das 14h, na Avenida Paulista, com cinco carros de som entre a Alameda Ministro Rocha Azevedo até a Alameda Joaquim Eugênio de Lima. Os manifestantes chegaram a ocupar quatro quarteirões, mais concentrados em dois pontos: perto dos prédios do Masp e da Fiesp.

Em Campinas, o ato começou às 10h na Avenida Norte-Sul, na região dos bairros Cambuí e Nova Campinas. Na mesma região, também foram registrados outros protestos em Itapira, Indaiatuba e Vinhedo.

Em Jundiaí, um grupo se reuniu na Praça 9 de Julho por volta das 10h com carro de som, cartazes e bandeiras. Em Itapetininga, os manifestantes se concentraram no Largo dos Amores.

Em Santos, manifestantes se concentraram na Praça da Independência, no bairro Gonzaga, desde 14h, com roupas de cores da bandeira do Brasil e faixas de apoio a pautas defendidas por Bolsonaro. Já em Praia Grande, o ato começou às 15h na Praça da Paz, no bairro Boqueirão.

Em Jales, um grupo se reuniu na Praça do Jacaré. Em São José do Rio Preto, manifestantes ocuparam uma parte da Avenida Alberto Andaló, no Centro. Em Andradina, a manifestação se concentrou na Rua Santa Teresinha, na frente da Praça Antônio Joaquim de Moura Andrade, na região central.

Em Piracicaba, o ato começou com uma concentração às 9h30 na Praça José Bonifácio, no Centro, e por volta das 11h os manifestantes começaram a seguir em passeata pelas ruas do bairro. Em Limeira, a manifestação foi na Praça Toledo de Barros, no Centro, a partir das 10h.

Em Ribeirão Preto, a concentração do ato começou às 10h na porta de um clube na Avenida Nove de Julho. A região também teve outra manifestação, durante a tarde, na cidade de Franca.

Em São Carlos, a concentração começou às 9h na Praça Itália, na Vila Lutfalla, onde os manifestantes vestidos de verde e amarelo e distribuíram adesivos para os carros. Na mesma região, houve outros protestos em Araras, Araraquara, São Carlos, Rio Claro, São João da Boa Vista e Pirassununga.

Em Mogi das Cruzes, os manifestantes se reuniram na Avenida Cívica.

Em Bauru, um grupo se concentrou em frente à sede da Polícia Federal na Avenida Getúlio Vargas, entre 14h e 15h45. Em São José dos Campos, um grupo se reuniu no Parque Vicentina Aranha por volta das 14h e seguiu com dois trios elétricos em passeata em torno do espaço.

Em Presidente Prudente, uma carreata em defesa do governo e do ministro Sérgio Moro começou no final da tarde e percorreu ruas e avenidas da cidade.


g1.globo.com