Category Archives: Saúde

Hepatite: OMS pede urgência para ampliar testes e acesso a tratamento

Hepatite – Tânia Rêgo/Agência Brasil

No Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, lembrado hoje (28), a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta para a necessidade de ampliar a testagem e o acesso ao tratamento contra a doença. De acordo com os dados mais recentes da entidade, em todo o mundo, menos de 20% das pessoas tinham acesso à testagem e a serviços de saúde específicos para hepatites em 2016.

Os números da OMS mostram que as hepatites B e C afetam 325 milhões de pessoas. Se não forem tratadas, as infecções podem provocar câncer de fígado e cirrose que, juntos, causaram mais de 1,3 milhão de mortes em 2015. “Precisamos acelerar o progresso para alcançar nossa meta de eliminar a hepatite até 2030”, disse em nota o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Um dos países mais atingidos pela hepatite é a Mongólia, onde mais de 10% dos 3 milhões de habitantes vivem com infecção crônica provocada pelo vírus. Em 2017, o país deu início a um programa que, ao longo do primeiro ano, testou mais de 350 mil pessoas. Mais de 70% delas foram diagnosticadas com a doença e passaram a receber tratamento para a infecção. A meta do governo local é testar 1,8 milhão de pessoas com mais de 15 anos para a doença.

Brasil

Dados do Ministério da Saúde revelam que o Brasil registrou 40,1 mil novos casos de hepatites virais em 2017. Os casos de hepatite A, comumente transmitida por água e alimentos contaminados, mais que dobraram entre homens de 20 a 39 anos. No estado de São Paulo, o número saltou de 155 casos, em 2016, para 1.108 em 2017. O município de São Paulo, em 2017, notificou 786 casos de hepatite A, dos quais 302 foram atribuídos a transmissão sexual.

A vacina para hepatite A está disponível no SUS e é oferecida para crianças a partir de 15 meses a 5 anos de idade incompletos. No estado de São Paulo, a vacinação também está disponível também para homens que fazem sexo com homens.

Em relação à hepatite B, o país registrou 14,7 mil casos em 2016 e 13,4 mil em 2017. A transmissão se dá por sangue contaminado, sexo desprotegido, compartilhamento de objetos perfuro-cortantes e por transmissão vertical (da mãe para o filho, durante a gestação).

A vacina para hepatite B está disponível no SUS para todas as pessoas. Em crianças, o esquema é feito em quatro doses, sendo a primeira ao nascer. Nos adultos que não se vacinaram na infância, são três doses. Em 2017, foram distribuídas 18 milhões de vacinas para todo o país e atualmente, 31,1 mil pacientes estão em tratamento para a doença.

A hepatite C acomete, principalmente, adultos acima de 40 anos. Foram notificados, desde o final da década de 90, 331,8 mil pessoas com a doença no país, sendo 24,4 mil casos registrados em 2017. O tratamento com os antivirais de ação direta, disponível na rede pública desde 2015, apresenta taxas de curas superiores a 90%. A doença é transmitida por sangue contaminado, sexo desprotegido e compartilhamento de objetos perfuro-cortantes.

Por Paula Laboissière – Repórter da Agência Brasil  Brasília

Após morte de bebê, Socieadade de Pediatria no Rio mostra preocupação

Marcello Casal Jr./Agência Brasil/Agência Brasil

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou hoje (27) uma nota à imprensa em que mostra preocupação em relação à assistência oferecida a crianças e a adolescentes no país. A nota foi motivada pela morte da bebê Emiliy Vitória, de três meses, ocorrida há dois dias no Rio de Janeiro.

Segundo a SBP, a bebê chegou com um quadro de bronquiolite no Hospital Municipal Salgado Filho, no Rio, e foi internada em um quarto que tinha paredes mofadas. Para a Sociedade, a instalação precária pode ter piorado seu quadro de saúde. Houve uma demora na transferência da criança, que só foi obtida com autorização judicial, e a bebê morreu.

Na nota, a SBP pede providências de todos os gestores públicos do Sistema Único de Saúde (SUS) para acabar com o que ela chamou de “sucateamento da rede pública”. Para a Sociedade, esse sucateamento tem dificultado o acesso ao atendimento e impedido o exercício pleno da medicina pelos profissionais.

“O Brasil precisa urgentemente de mais investimentos e de melhor gestão nos serviços do SUS para que tragédias evitáveis, como essa, não voltem a se repetir. Vidas estão sendo perdidas em consequência de medidas equivocadas dos diferentes níveis de Governo, que têm pecado pela omissão”, diz a nota.

Por Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil  Rio de Janeio

Telefone cortado e superlotação: a realidade caótica em hospitais do RJ

Notícias ao Minuto (Divulgação)

A crise tem criado uma rotina caótica nos hospitais da prefeitura do Rio. O jornal ‘Extra’ acompanhou esta realidade e revelou problemas nas unidades médicas, que vão desde salários atrasados até superlotação.

Na emergência do Salgado Filho, no Méier, por exemplo, um paciente morreu às 7h30 da última terça-feira. No entanto, a família só soube do falecimento durante o horário de visita desta quarta, ao meio-dia. O motivo? O telefone do hospital está cortado pro falta de pagamento. O mesmo ocorre nos hospitais Miguel Couto, na Gávea, e no Souza Aguiar, no Centro.

Notícias ao Minuto (Divulgação)

No Pedro II, em Santa Cruz, uma funcionária diz que faltam diversos medicamentos e insumos básicos para os profissionais, como luvas. Também há superlotação: a sala amarela do hospital, com capacidade para 21 pacientes, conta com 90 internados.

Outro problema na unidade de Santa Cruz é o atraso do salário de trabalhadores da unidade que, sem dinheiro para a passagem, acabam faltando. Neste fim de semana, quatro corpos foram deixados dentro de sacos no expurgo da sala vermelha da emergência, pois não havia funcionários para liberá-los. A liberação dos corpos foi feita só na segunda-feira.

Notícias ao Minuto
(Divulgação)

“Nos andares, às vezes, não tem médico nem maca para levar o paciente até a emergência. A pessoa acaba morrendo por falta de assistência. Está desumano. Quando o médico vem, já é tarde”, revela uma técnica de enfermagem do Pedro II, que preferiu não ser identificada.

Além do Pedro II, os hospitais Souza Aguiar e Salgado Filho também sofrem com uma grave falta de profissionais, que não vão trabalhar por conta do atraso no pagamento.

Por-Notícias ao Minuto

Mais uma conquista do Governo Participativo Saúde para Ipiaú

O Rastreamento do Câncer de Mama inicia na próxima terça-feira (24/07). A ação visa promover o diagnóstico precoce da doença em mulheres no município de Ipiaú.
O atendimento será realizado de 24 de Julho a 27, em uma carreta adaptada para serviço de mamografia e exame preventivo do câncer do colo uterino, que ficará estacionada na Praça Rui Barbosa, no Centro, Serão mais de 200 vagas por dia.
Faça seu exame gratuítamente!

Ipiaú: Mais uma conquista do Governo Participativo/Saúde para Ipiaú.

Secretária de Saúde de Ipiaú

O Rastreamento do Câncer de Mama inicia na próxima terça-feira (24/07). A ação visa promover o diagnóstico precoce da doença em mulheres no município de Ipiaú.
O atendimento será realizado de 24 de Julho a 27, em uma carreta adaptada para serviço de mamografia e exame preventivo do câncer do colo uterino, que ficará estacionada na Praça Rui Barbosa, no Centro.
Serão mais de 200 vagas por dia, Faça seu exame gratuítamente!

Prefeitura Municipal de Ipiaú; Secretária de Saude/Governo Participativo.

Ipiaú: Secretaria de Saúde disponibiliza 60 novos tipos de medicamentos na Ateção Básica

Conhecendo as necessidades e os desafios da saúde de Ipiaú, o Governo Participativo tem dado especial atenção para a Assistência Farmacêutica no município.

A Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Saúde, está disponibilizando além dos medicamentos que constam na RENAME (Relação Nacional de Medicamentos Essenciais), uma série de novos itens que fazem grande diferença no tratamento de várias patologias, incluindo as mais agudas.

Na rede de Atenção Básica, foram incluídos 60 novos tipos de medicamentos para serem dispensados à população, entre antitérmicos, analgésicos, antibióticos, anti-hipertensivos, anticoncepcionais, antialérgicos e medicamentos para o tratamento da diabetes. 💊💊💊

ASCOM – Prefeitura de Ipiaú/Governo Participativo

Coordenadora do SAMU de Ipiaú esclarece denúncia feita por ouvinte da FM Ipiaú (91.1 MHz

Em resposta à denúncia feita por uma ouvinte no programa do dia 11/07, a coordenadora do SAMU do Município de Ipiaú, Jane Cardim, vem a público esclarecer que, as ligações feitas para o número 192 são atendidas pela Central de Regulação de Urgência em Jequié.

O solicitante informa o caso à equipe da Central, que define se a ambulância deverá ou não atender a ocorrência. Tudo embasado em portarias do Ministério da Saúde.

Depois de falar com o solicitante, a Central entra em contato com o SAMU de Ipiaú e repassa as informações (endereço, situação do paciente) para a equipe de plantão.

À partir daí, a equipe de Ipiaú se desloca até a cena da ocorrência para prestar a assistência necessária. “Destaco a importância de informar corretamente o endereço, com mais de um ponto de referência afim de facilitar a chegada dos profissionais ao local.

Qualquer dúvida, coloco-me à disposição para os devidos esclarecimentos, disse”.

Ipiaú: Campanha Antirrábica animal

A Secretaria Municipal de Saúde iniciou no dia 3 de julho a Campanha de vacinação Antirrábica (raiva) no município de Ipiaú. Cães e gatos saudáveis e com mais de três meses devem ser vacinados. A raiva é uma zoonose viral que ataca o sistema nervoso e leva à morte em praticamente 100% dos casos.  Ela pode ser transmitida por qualquer mamífero que tenha o vírus, seja selvagem ou doméstico. A principal forma de prevenção contra a raiva urbana é vacinando os cães e gatos.

A campanha deste ano vai até o dia 21 de julho, o dia “D”.  Os criadores devem levar seu animal de estimação para ser vacinado em qualquer Unidade Básica de Saúde da cidade.

Ipiaú Online

Saúde: MPF cobra medidas para garantir vacinação em mais de 300 municípios

Campanha nacional de vacinação contra a gripe no Distrito Federal. Foto: Maria José da Silva 45 anos e sua filha Ana Clara de 3 Anos

Prefeitos de 312 municípios brasileiros foram oficiados pelo Ministério Público Federal (MPF) para que adotem as medidas necessárias a fim de garantir a adequada vacinação de crianças.

Dados do Ministério da Saúde apontam que a cobertura vacinal para a poliomielite nessas cidades está abaixo dos 50%, quando a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que o índice se mantenha em 95%.

Campanha nacional de vacinação contra a gripe no Distrito Federal. Foto: Maria José da Silva 45 anos e sua filha Ana Clara de 3 Anos

No ofício, a procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, solicita que seja ampliado o horário de funcionamento das salas de vacina, a fim de assegurar a pais e responsáveis a possibilidade de atendimento fora do horário comercial.

O MPF também pede que seja rigorosamente observado o Calendário Nacional de Vacinação, ainda que se tenha que aplicar mais de uma dose por vez – exceto se houver recomendação médica em contrário.

As 312 prefeituras terão de assegurar a implantação do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização e o treinamento adequado de servidores responsáveis pela utilização do sistema, para que as informações de cobertura vacinal cheguem regularmente ao ministério.

Devem ser adotadas ainda medidas para que profissionais da atenção básica – inclusive agentes comunitários de saúde – façam busca ativa de crianças de sua área de abrangência que não estejam com a caderneta de vacinação em dia.

As escolas também deverão ser chamadas a contribuir com o cumprimento do calendário, sendo orientadas a verificar, no momento da matrícula, a caderneta de vacinação do aluno e a informar à família e às autoridades sanitárias casos de ausência de doses obrigatórias.
Por Paula Laboissière – Repórter da Agência Brasil Brasília

Novo Instituto Couto Maia começa a funcionar sem licença da prefeitura

Foto: Carol Garcia / GOVBA

Mesmo sem o Habite-se da prefeitura – documento que autoriza o funcionamento de uma construção -, o novo Instituto Couto Maia (Icom), localizado no bairro de Cajazeiras, começou a receber nesta segunda-feira (9) os primeiros pacientes, segundo a assessoria da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), transferidos de outras unidades hospitalares. Também teve início o atendimento ambulatorial, no qual são ofertadas consultas nas especialidades HIV/Aids, hanseníase, infectologia geral e neuro-infectologia.

De acordo com a assessoria da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), habitar uma edificação sem o Habite-se, não comunicar a conclusão de uma obra, ou mesmo concluir obra sem a devida licença da prefeitura é considerada infração. As multas, diz a nota da Sedur, variam de R$ 50 a R$200 por metro quadrado, e varia de acordo com o padrão construtivo do empreendimento.

Fruto de uma Parceria Público-Privada (PPP) com o Governo do Estado, o Icom tem investimentos da ordem de R$ 120 milhões e é considerado o mais importante hospital especializado em doenças infecto-contagiosas do país. Com 120 leitos, sendo 20 UTI’s, a unidade também é um centro de referência internacional em pesquisa no campo de doenças infecciosas.

Por-Bahia noticias