Category Archives: Esportes

Modric é escolhido o melhor jogador e Mbappé a revelação da Copa

Copa 2018: Croácia e Nigéria. Luka Modric marca o segundo gol da Croácia de pênalti.

Luka Modric foi escolhido o melhor jogador da Copa do Mundo Rússia 2018. O craque croata deixou para trás estrelas como o argentino Messi, o português Cristiano Ronaldo, e o brasileiro Neymar, cujas seleções não conseguiram chegar a semifinais .

A escolha da Federação Internacional de Futebol (Fifa) premiou o atleta que durante a competição apresentou futebol consistente, levando a Croácia ao vice-campeonato mundial, o seu melhor resultado na história da Copa.

Revelação

O prêmio de jogador revelação da Copa ficou com Kylian Mbappé Lottin, de 19 anos. Na vitória francesa sobre a Croácia por 4 a 2, Mbappé fez o quarto gol, aos 19 minutos do segundo tempo, tornando-se o segundo jogador mais jovem a marca em uma partida final de Copa do Mundo, Antes dele, apenas Pelé conseguira tal feito. Com 17 anos, o brasileiro fez dois no jogo contra a Suécia, na decisão da Copa do Mundo de 1958, que deu o primeiro título mundial ao Brasil

França recebe o troféu e as medalhas pela vitória na final da Copa do Mundo 018, na Rússia

Na rede social, Pelé postou mensagem parabenizando o craque francês: “O segundo adolescente a marcar um gol em uma final de Copa do Mundo. Bem-vindo ao clube, Kylian. É ótimo ter a sua companhia!”.

Artilheiro e melhor goleiro

O troféu de artilheiro da Copa foi para o inglês Harry Kane. Nas sete partidas que disputou pela Seleção da Inglaterra, o craque do Tottenham marcou seis gols. “Trabalhei muito duro nos últimos jogos, mas esse é um trabalho de equipe”, disse Kane.

Thibaut Courtois, da Bélgica, comemorou a escolha de melhor goleiro do Mundial de 2018. Na vitória da seleção belga por 2 a 1 sobre o Brasil, Courtois foi responsável por importantes defesas, que garantiram a classificação de sua equipe para a fase semifinal da Copa.

Por Aécio Amado – Repórter da Agência Brasil  Brasília

França conquista segunda Copa e se iguala a Uruguai e Argentina

Kai Pfaffenbach/Reuters/Direitos reservados/Agência Brasil

A França venceu a Croácia por 4 x 2 e é campeã da Copa do Mundo da Rússia. O time francês foi aplicado taticamente, apostou na solidez de sua defesa e na eficiência de seus atacantes e levantou a taça. Com o título, franceses se juntam aos uruguaios e argentinos como bicampeões do mundo. O primeiro título foi em 1998, contra o Brasil.

Os jogadores receberam a taça debaixo de uma forte chuva em Moscou. O presidente francês, Emmanuel Macron, cumprimentou os jogadores, assim como a presidente da Croácia, Kolinda Kitarovic; o presidente da Rússia, Vladimir Putin e o presidente da Fifa, Gianni Infantino.

Em uma Copa com estrelas de destaque nas principais favoritas, o técnico Didier Deschamps, que jogava na seleção de 98, apostou em um time de qualidade coletiva e com jovens talentos.

A França tem vários jogadores de destaque no futebol mundial, como Mbappé, Pogba, Griezmann e o goleiro Lloris, mas nenhum deles pode ser apontado sozinho como responsável por esse título. O coletivo francês foi o que menos oscilou durante a Copa. Um exemplo está em Giroud. O centroavante titular não fez nenhum gol, mas contribuiu taticamente e não perdeu a vaga no time, mesmo passando em branco na competição.

O jogo
O primeiro tempo mostrou uma Croácia mais agressiva e ofensiva. Mesmo com o peso de três prorrogações nas costas, os croatas não se intimidaram e foram para o ataque. Mas a França tem uma boa defesa e deu poucos espaços para os atacantes adversários.

A França pouco chegava ao ataque, mas quando chegou, marcou. Em cobrança de falta de Griezmann, na primeira subida mais contundente, a bola foi jogada para dentro da área aos 17 minutos. O atacante croata Mandzukic tentou cortar e acabou enganando o goleiro no lance. Subasic apenas assistiu a bola morrer no fundo da rede.

A Croácia saía atrás no placar novamente. O time do técnico Zlatko Dalic teve que correr atrás do prejuízo nas partidas de oitavas, quartas de final e semifinal. E como nessas partidas, buscou o empate. Aos 27 minutos, Perisic recebeu na entrada da área, após cruzamento de Modric, e acertou um belo chute cruzado no canto de Lloris.

Mas a França chegou ao segundo gol, com auxílio do VAR. Perisic cortou um cruzamento com o braço. Os franceses reclamaram, o árbitro argentino Néstor Pitana foi rever o lance no vídeo e marcou o pênalti.

O segundo tempo teve uma Croácia ofensiva, obstinada. Os croatas foram para cima, mas deram espaços lá atrás. E foi assim que a França fez o terceiro e quarto gols. Primeiro, Pogba fez um lançamento perfeito para Mbappé, que invadiu a área e cruzou. A bola sobrou para o próprio Pogba, que emendou para o gol. O camisa 10 francês faria seu gol aos 19 minutos do segundo tempo. Hernandez fez boa jogada pela esquerda e tocou para Mbappé, que recebeu e bateu de fora da área, no canto de Subasic.

A Croácia tentou uma série de jogadas para diminuir o placar, mas chegou ao segundo gol após um erro incrível de Lloris. O goleiro francês tentou sair jogando com os pés e foi desarmado por Mandzukic, que botou a bola para dentro do gol. A Croácia se animou com o gol e tentou mais um, mas a defesa francesa foi sólida, assim como em toda a Copa do Mundo, e garantiu o resultado.

Invasão
A final da Copa do Mundo entre França e Croácia, no Estádio Luzhniki, em Moscou, foi interrompida por causa da invasão simultânea de campo de quatro mulheres, em ato reivindicado pelas integrantes do grupo punk russo Pussy Riot.

A paralisação ocorreu aos 7 minutos do segundo tempo, com entrada no gramado por diversos lados do campo. As invasoras vestiam peças de roupas semelhantes as utilizadas pelos seguranças.

Através das redes sociais, o Pussy Riot assumiu a autoria da invasão. O grupo musical é conhecido pelo ativismo político, de oposição ao governo de Vladimir Putin.

* Com informações da EFE

Na decisão do 3º lugar, Bélgica vence a Inglaterra e garante sua melhor colocação na história

Hazard comemora gol com De Bruyne e Mertens em Bélgica x Inglaterra (Foto: REUTERS/Henry Romero)

É BRONZE

poderosa geração da Bélgica se despediu da Copa do Mundo deixando mais uma boa impressão, neste sábado, em São Petersburgo, na decisão do terceiro lugar. Com a vitória por 2 a 0 sobre a Inglaterra, a Bélgica conseguiu seu melhor resultado na história das Copas, superando o quarto lugar de 1986. Meunier, no primeiro tempo, e Eden Hazard, no segundo, fizeram os gols do jogo. Com o quarto lugar, a Inglaterra iguala campanha de 1990, melhor resultado desde o título de 1966, em casa.


Harry Kane lamenta gol perdido em Bélgica x Inglaterra. Ele se despede da Copa com seis gols (Foto: REUTERS/Sergio Perez)

ARTILHARIA

Harry Kane se despede da Copa do Mundo com seis gols, dois a mais do que o belga Romelu Lukaku, que saiu irritado ao ser substituído no início do segundo tempo. O centroavante do Tottenham levará a Chuteira de Ouropara a Inglaterra – a não ser, claro, que um francês ou um croata assombre o mundo neste domingo com uma atuação de gala na final. Na França, Griezmann e Mbappé são os artilheiros com três gols. Na Croácia, Perisic, Mandzukic e Modric têm dois. Desde 1978, só uma vez o artilheiro da Copa teve mais do que seis gols – foi em 2002, com Ronaldo Fenômeno (fez oito e foi campeão).

CRAQUE DO JOGO. E DA COPA?

Informação dos nossos colegas do OptaJoe: Eden Hazard esteve envolvido diretamente em sete gols na Copa (três gols e quatro assistências), mais do que qualquer jogador da Bélgica desde 1966 (Jan Ceulemans, também com sete).

https://globoesporte.globo.com

França e Bélgica fazem hoje duelo técnico e tático em São Petersburgo

jason_cairnduff_reuters2-680.jpg

A primeira partida da semifinal terá, nesta terça-feira (10), dois dos times mais regulares desta Copa do Mundo. De um lado estará a França, que venceu todos os jogos e não foi realmente ameaçada no campeonato até agora. Do outro, a Bélgica, que desfilou pela fase de grupos sem nenhum problema, se classificou no sufoco contra o Japão, quando se esperava um jogo fácil. Contra o Brasil, fez uma partida sólida novamente, quando venceu mostrando qualidade técnica e comprometimento tático.

“Foi muito gratificante ver, no jogo contra o Brasil, os jogadores executando meu plano de uma forma tão boa. Eles mostraram muita inteligência e capacidade de adaptação”, disse o treinador da Bélgica, Roberto Martinez, que deverá mostrar uma atuação diferente no jogo contra a França.

O técnico francês Didier Deschamps terá o time todo à disposição, enquanto Martinez não poderá contar com o zagueiro Meunier, suspenso com dois cartões amarelos. Segundo Deschamps, não é só a Bélgica que tem poder de adaptação ao adversário.

“Estaremos prontos e nos adaptaremos à organização belga, seja qual for, em razão da ausência de Meunier. A Bélgica não está aqui por acaso. Eu preparei meus jogadores para diferentes possibilidades e não é só pensando na Bélgica. Eu trabalho nisso, independentemente do adversário”.

Dos dois lados existem craques que podem decidir uma partida. A Bélgica tem Lukaku, Hazard e De Bruyne, jogadores versáteis e habilidosos. Do lado francês, um dos ataques mais badalados desta Copa, há Griezmann, Giroud e Mbappé. E é de Mbappé, o jovem camisa 10 do time, que se espera uma jogada de craque, uma lance que possa desequilibrar a partida.

Coração dividido

Uma curiosidade do confronto é que no banco de reservas da Bélgica estará um dos grandes ídolos do futebol francês. Thierry Henry, campeão do mundo em 1998 e finalista na Copa de 2006, faz parte da comissão de Roberto Martinez como auxiliar técnico.

“É um pouco peculiar vê-lo com o time da Bélgica, mas esta é sua carreira e ele está aprendendo para a futura carreira. Eu acho que seu coração estará dividido [na hora do jogo] porque, antes de tudo, ele é e continua sendo francês”, disse o goleiro Lloris, que jogou com Henry na seleção francesa por duas temporadas.

França e Bélgica se enfrentam hoje (10), às 15h, em São Petersburgo. Quem vencer garante vaga na final da Copa, no próximo dia 15. A Agência Brasil acompanhará a partida.

Por Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil  Brasília

No Rio, torcida sofreu até os últimos minutos, sem perder a esperança

Torcedores assistem ao jogo entre Brasil e Bélgica, pelas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia 2018, na Praça Mauá.

A derrota para a Bélgica mexeu com os nervos dos torcedores que lotaram arenas montadas na capital fluminense, esperando uma vitória brasileira até o último minuto de jogo. A Praça Mauá, o Alzirão e o Parque Madureira foram os principais pontos de concentração, reunindo milhares de pessoas diante de telões desde o início da tarde. Já os torcedores belgas, infinitamente em menor número, foram os únicos que puderam comemorar, reunidos em um hotel no centro.

“O Brasil jogou mais ou menos. Não deu. A verdade é esta. Eu não tenho palavras. Estou chateado. Desculpa aí”, lamentou o pintor Ubirajara da Conceição ao final da partida, no Parque Madureira.

Outros revelaram que já não estavam acreditando na vitória da seleção, mesmo antes do jogo começar. “Para dizer a verdade, eu não estava com muita fé na seleção brasileira. Eu sou brasileiro, a gente torce, mas não estava acreditando não. A seleção deixou a desejar na última Copa e agora nesta. O Neymar enrola muito”, disse Carlos dos Santos, que trabalha como vendedor. 

A tristeza deles, contrastava com a esperança do jovem Henrique Coelho Teles, de 13 anos, estudante da 7ª série do ensino fundamental. Apesar de estar triste com o resultado, ele mantém a fé na seleção para a próxima Copa, no Catar, daqui a quatro anos. “Eu nunca vi o Brasil ser campeão. Achei que ia ser este ano, mas estamos aí. Em 2022, ele vai ser, se Deus quiser”, disse Henrique, que não gostou da atuação de Neymar. “Ele não atuou nada. Devia ter parado de cair e fazer um gol”, acrescentou. 

Torcedores assistem ao jogo entre Brasil e Bélgica, pelas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia 2018, na Praça Mauá.

Praça Mauá 
Antes da partida, era difícil encontrar um torcedor que esperasse um jogo fácil. Ainda assim, os presentes estavam confiantes no resultado positivo. Com o rosto pintado, a designer Daiana Miranda acreditava em um duelo de igual para igual. “Neymar precisa nos representar e acabar com essa fama de cai-cai”, disse.

Alguns torcedores deram palpite sobre o placar e tinham na ponta da língua todos os detalhes de um jogo heroico. “Vai ser 1 a 0, com gol do Gabriel Jesus no finalzinho do segundo tempo. É bom ele marcar ou então pode sentar no banco e não aparecer mais na Copa”, apostava o MC Igor Fernandes Moreira.

Com os dois gols da Bélgica, o nervosismo tomou conta do ambiente. Torcedores roíam as unhas, reclamavam dos passes errados. Ainda assim, mesmo com o placar adverso ao fim do primeiro tempo, a esperança insistia em se fazer presente. “Nós vamos vingar o Japão e virar esse jogo da mesma forma que a Bélgica fez”, dizia o engenheiro Pedro Argento, lembrando o placar de 3 a 2 na partida entre belgas e japoneses nas oitavas de final.

Com a diminuição da vantagem belga, faltava mais um, mas o gol do Gabriel Jesus previsto pelo torcedor não saiu no final e o centroavante deixa a Copa do Mundo sem ter balançado as redes. Alguns não seguraram as lágrimas. A tristeza, porém, recebeu um drible quando Preta Gil subiu ao palco. Ao ritmo da cantora, a secretária Rosilene Ignácio dos Santos era uma que pedia para virar a página. “O povo tem mania de julgar os derrotados. Está errado. Eram duas seleções boas disputando uma decisão. Não é pra qualquer uma. Particularmente estava confiante. Mas bola para frente e daqui quatro anos estaremos mais preparados”, disse ela, que agora aposta na conquista da Bélgica. 

Belgas
 No Belga Hotel, ponto de encontro da comunidade, próximo à Praça Mauá, o clima foi de “já ganhou” desde o primeiro gol. Confiante, a torcida cantou hinos durante o jogo e celebrou tentativa de gol perdida pelo Brasil. Ou melhor, “salva” pelo goleiro Curtois.

“O goleiro foi o grande o heroi da partida”, disse Mervyn Scheepers, que se autointitula belga-carioca. Perguntado se foram as cores da Bélgica, iguais às da Alemanha, que assustaram o time brasileiro, ele riu e respondeu: “O Brasil já levou cinco vezes, nós, nenhuma; está na hora de ganhar a taça”.

Nem os torcedores dos diabos vermelhos, como o time belga é conhecido, acreditavam na defesa, que só deixou passar um gol do Brasil, apesar das várias tentativas. A zaga sempre foi apontada por especialistas como ponto fraco do time. “Nunca vi o time jogar com garra, brigar em campo. Estou contente de ver isso”, disse Stefano Missir, funcionário do consulado.

No ponto de encontro, no centro do Rio, movido a uma rodada gratuita de cerveja a cada gol, todos estavam confiantes de que os diabos vermelhos chegam ao fim da Copa. Mesmo que o jovem time belga tenha ainda que passar pela França, considerada forte destaque da competição.

“A França é nossa vizinha, somos íntimos, sabemos como é o jogo deles”, brincou Stefano. “O Brasil era nosso grande desafio e passamos por ele”, disse, quando foi puxado por outros torcedores para a comemoração. “Agora é tudo nosso, o caminho está liberado para a taça.”

Por Isabela Vieira, Léo Rodrigues e Vladimir Platonow – Repórteres da Agência Brasil Rio de Janeiro

Torcida se cala no Vale do Anhangabaú ao final do jogo com belgas

Torcedores assistem ao jogo do Brasil contra Bélgica pelas quartas de final da Copa do Mundo 2018 ,no Vale do Anhangabaú.

O luto dos torcedores que assistiram no Vale do Anhangabaú, centro da capital paulista, à derrota da seleção brasileira para a Bélgica e a consequente desclassificação da Copa da Rússia, foi de emoção contida. Ao final do jogo, com o apito final do juiz, a torcida não fez barulho e apenas alguns torcedores choraram.

“Um dia ganha, outro perde. E hoje foram eles que ganharam”, disse o torcedor Moisés André de Souza. “A Bélgica jogou bem, o goleiro deles pegou tudo. Eles fizeram por merecer”. Apesar da derrota, ele considerou que o Brasil jogou melhor no segundo tempo. “O segundo tempo foi bom, os brasileiros jogaram melhor, mas faltou determinação”, avaliou.

No início no segundo tempo, com o jogo já em 2 a 0, os torcedores que acompanhavam o jogo do Brasil estavam impacientes, mas ainda esperançosos. Aos sete minutos, quando Neymar caiu na área, a torcida gritou e pediu pênalti. Mas o jogo seguiu. Já nervosos, os torcedores sugeriam jogadas e pediam chutes a gol. 

Aos 10 minutos, houve mais uma reação acalorada da torcida, que pediu pênalti no brasileiro Gabriel Jesus. Mas o jogo seguiu novamente. No primeiro gol do Brasil, a torcida pulou e gritou, em uma grande comemoração. Com a esperanças renovada, os torcedores acompanharam mais animados os minutos seguintes de jogo e começaram a gritar “Brasil, Brasil”, até que a frustração tomasse conta do local.

A derrota brasileira foi o último encontro dessa copa no Vale do Anhangabaú. O torcedor Moisés André trabalha na Avenida Paulista e estava acompanhando todos os jogos da seleção no local. “Eu gosto de assistir aqui por causa da muvuca, porque eu gosto da adrenalina”, disse o torcedor, que apostou em vitória do Brasil por 3 a 1 no bolão dos amigos.

Por Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil  São Paulo

Uruguai x França 11h – Nizhny Novgorod Quartas de final da Copa do Mundo

França vem com força máxima nas quartas (Foto: Marcelo Hazan)

A França de Didier Deschamps está em alerta para a bola parada do Uruguai na Copa do Mundo: cinco dos sete gols saíram dessa maneira. Até a vitória por 2 a 1 sobre Portugal, nas oitavas de final, todos os gols haviam sido marcados assim.
É um time muito bem organizado defensivamente, sofre poucos gols e também são fantásticos ofensivamente. Passam com velocidade da defesa para o ataque, têm jogadores que fazem bem o seu papel e são fantásticos. Temos que ter paciência e equilíbrio entre defesa e ataque, além de ter atenção na bola parada. Marcaram muitos gols assim – disse Deschamps.

A grande dúvida é sobre quem será o substituto do suspenso Matuidi. Tolisso, Lemar, Fekir e Dembélé são candidatos.
No Uruguai, o nome de Cavani concentra as atenções desde o início da semana. O herói da classificação sobre Portugal deixou o jogo com um edema na panturrilha esquerda e até esta quinta-feira não havia pisado no gramado do CT em Nizhny Novgorod. Bastou uma leve corrida e uma bola, no entanto, para reacender as esperanças celestes.
O técnico Óscar Tabárez teve a oportunidade de acabar com o mistério, mas preferiu manter o suspense. Se Cavani de fato não puder jogar, como se imagina, é provável que Stuani seja o seu substituto. O restante do time será o de sábado, com destaque para o meio-campo renovado com Nández (22 anos), Torreira (22), Vecino (26) e Bentancur (20).
Prováveis escalações:

Uruguai: Muslera, Cáceres, José Giménez, Godín e Laxalt; Vecino, Torreira e Nández; Bentancurt; Stuani (Cavani) e Luis Suárez.
Técnico: Óscar Tabárez
Dúvida: Cavani.
Pendurados: Bentancur.
França: Lloris, Pavard, Varane, Umtiti e Lucas Hernández; Kanté, Pogba e Tolisso; Mbappé, Giroud e Griezmann.
Técnico: Didier Deschamps.
Desfalques: Matuidi (suspenso).
Pendurados: Giroud, Pavard, Pogba e Tolisso.
Arbitragem:

Árbitro: Nestor Pitana (Argentina)
Auxiliar 1: Hernan Maidana (Argentina)
Auxiliar 2: Juan Pablo Belatti (Argentina)
Quarto árbitro: Alireza Faghani (Irã)
Transmissão: TV Globo e GloboEsporte.com (com Cleber Machado e Junior) e SporTV (com Luiz Carlos Jr, Lédio Carmona e Ricardinho). O site acompanha em Tempo Real.
Fonte: globoesporte.globo.com

Brasil x Bélgica

Brasil, Bélgica, França e Uruguai abrem corrida por vagas na semifinal

Infoesporte

O Brasil chega para o duelo contra a Bélgica com uma baixa: Danilo, recupera de um problema no quadril, sofreu uma lesão no ligamento do tornozelo esquerdo e está fora do Mundial. A notícia positiva é o retorno de Marcelo ao time titular – o jogador do Real Madrid está recuperado de dores nas costas.
Tite, como de costume, não fez mistério. Confirmou o time titular e apostou em um jogo de alto nível diante dos belgas. Para isso, conta com a solidez defensiva de Thiago Silva, Miranda e companhia, com ainda mais responsabilidade: Casemiro, cão de guarda no esquema do treinador, está suspenso – Fernandinho ganha a vaga.
Neymar é a grande esperança. O camisa 10 fez a melhor partida na Copa do Mundo diante do mexicanos, nas oitavas de final. Ao lado dele, Philippe Coutinho: com dois gols importantes no torneio, o meia do Barcelona carregou a Seleção na fase de grupos e é determinante na briga por uma vaga na semifinal.
A Bélgica levou um susto danado contra o Japão, nas oitavas de final. Perdia por 2 a 0 em idos do segundo tempo e teve que se desdobrar para virar o jogo – com o terceiro gol saindo aos 48 do segundo tempo. O sufoco deu os sinais definitivos de que o time comandado por Roberto Martínez é muito bom do meio para a frente, mas tem falhas defensivas. E como o Brasil não é o Japão, elas tendem a ser fatais caso se repitam nesta sexta-feira.
Daí a provável mudança no time, com a saída de um jogador ofensivo, Mertens, e a entrada de Fellaini, com maior capacidade de composição no meio-campo e mais forte na bola aérea.
Sinal de que a Bélgica, melhor ataque da Copa, vai mudar suas características e se fechar contra o Brasil? Martínez garante que não.

– Esperamos ver o talento. É uma grande arma de ambas as equipes. Nos baseamos no talento individual, no jogo de um contra um. Queremos jogar abertos, sem ser na retranca. Vamos defender, mas num jogo aberto – disse o treinador.
A Bélgica joga pela história. A atual geração, considerada a mais talentosa que o país já criou, tem a grande chance de chegar às semifinais, feito só alcançado em 1986, com campanha bastante inferior à atual (de 100% de aproveitamento).

– O jogo com o Brasil definirá nossa geração – resumiu o zagueiro Kompany.

Prováveis escalações:

Brasil: Alisson, Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Fernandinho; Paulinho, Philippe Coutinho, Willian e Neymar; Gabriel Jesus.
Técnico: Tite
Desfalques: Casemiro (suspenso) e Douglas Costa (lesionado).
Pendurados: Filipe Luís, Neymar e Philippe Coutinho.
Bélgica: Courtois, Alderweireld, Kompany e Vertonghen; Meunier, Witsel, Fellaini, De Bruyne, Hazard e Carrasco; Lukaku.
Técnico: Roberto Martínez
Desfalques: Nenhum.
Pendurados: De Bruyne, Dendoncker, Meunier, Tielemans e Vertonghen.
Arbitragem:

Árbitro: Milorad Mazic (Sérvia)
Auxiliar 1: Milovan Ristic (Sérvia)
Auxiliar 2: Dalibor Djurdjevic (Sérvia)
Quarto árbitro: Jair Marrufo (EUA)
Transmissão: TV Globo e GloboEsporte.com (com Galvão Bueno, Casagrande, Ronaldo e Arnaldo Cézar Coelho) e SporTV (com Milton Leite, Muricy Ramalho e Maurício Noriega). O site acompanha em Tempo Real.

Fonte: globoesporte.globo.com

Real Madrid aceita negociar Cristiano Ronaldo com a Juventus

© Getty Images

O Real Madrid aceitou negociar Cristiano Ronaldo com a Juventus. Pelo menos é isso o que diz a imprensa espanhola. A rádio Cadena Ser, por exemplo, afirmou nesta terça (3) que o clube merengue está à espera do posicionamento do atacante português para começar a conversar sobre a transferência com os italianos.

E de acordo com o famoso programa “El Chiringuito de Jugones”, o valor do negócio está na casa dos 100 milhões de euros, algo em torno de R$ 454 milhões. Vale lembrar que Cristiano Ronaldo está com 33 anos.

A relação do camisa 7 com o Real Madrid ficou abalada após a final da Liga dos Campeões, em Kiev, quando o time espanhol superou o Liverpool por 3 a 1. Após a partida, o craque indicou que não permaneceria na equipe na temporada seguinte, que começa após a Copa do Mundo.

Na Itália, os jornais esportivos confirmam o interesse da Juventus no atleta.
Por-Noticias ao minuto

Em jogo ‘sem graça’, Suécia vence a Suíça e vai às quartas da Copa

© Getty Images

Suécia e Suíça se enfrentam neste momento pelas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. A partida acontece em São Petersburgo e começou às 11h (de Brasília).

O primeiro gol da partida saiu aos 16 minutos do segundo tempo. Forsberg carregou a bola pelo meio e com muita liberdade, chutou, ela desviou em Akanji e morreu no fundo do gol: 1 a 0 para a Suécia.

E já aos 47 minutos da segunda etapa, Olsson é derrubado supostamente dentro da área e o juiz marca pênalti, mas decide consultar o VAR depois. Após ver o vídeo, a arbitragem assinala falta.

Com o triunfo, a Suécia enfrenta agora o vencedor do confronto entre Colômbia e Inglaterra, que acontece mais tarde, às 15h (de Brasília), em Moscou.

Classificação nos grupos

A Suécia chegou às oitavas de final após ficar com a primeira colocação do Grupo F, que teve México em segundo e as desclassificadas Coreia do Sul e Alemanha. Já a Suíça avançou em segundo no Grupo E, mesmo de Brasil. Costa Rica e Sérvia deram adeus mais cedo.
Por-Noticias ao minuto