Daily Archives: 10 de setembro de 2018

Ipiaú: Maria assina termo de municipalização do Ginásio de Esportes Clériston Andrade

Foto: (Dircom/Prefeitura)

A Prefeita Maria das Graças, na tarde da última quinta-feira (06), assinou o termo de municipalização do Ginásio de Esportes, Clériston Andrade, juntamente com Secretários, equipe de governo, estudantes da rede municipal, comunidade e o Superintendente dos Desportos do Estado da Bahia, Elias Dourado.

Foto: (Dircom/Prefeitura)

No ato da posse, ao cantar os Hinos, houve o hasteamento das bandeiras, onde Maria, o Major Jocevã Lima e o Superintendente Elias se posicionaram. Desportistas e estudantes acompanharam a solenidade com entusiasmo e ansiosos para a abertura dos portões. Ao longo da tarde, partidas de futsal foram disputadas no ginásio. A expectativa é que o espaço a partir de agora, passe a sediar uma série maior de atividades esportivas em Ipiaú e na região.

Maria não só transferiu o Ginásio que antes era de posse do estado para o município, como também apresentou a reforma. O espaço será coordenado pelo Diretor de Esportes, Givaldo.
“Um anseio antigo da população torna-se hoje uma realidade, pois a municipalização do Ginásio Clériston Andrade atenderá, com qualidade, a comunidade, escolas municipais e estaduais, com a realização de jogos e torneios, disse Maria”. (Dircom/Prefeitura)

A cada 40 segundos, há um suicídio no mundo

Foto; Reprodução/Google

No Brasil, há um suicídio a cada 45 minutos.  Os dados mundiais indicam que ocorre uma tentativa a cada três segundos e um suicídio a cada 40 segundos. No total, chega-se a 1 milhão de suicídios no mundo. Provocar o fim da própria vida está entre as principais causas das mortes entre jovens, de 15 a 29 anos, e também de crianças e adolescentes.

No esforço para mudar esses números, a Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu que a data de 10 de Setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.  Há quatro anos a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), promove a campanha nacional Setembro Amarelo.

À Agência Brasil, o presidente eleito da Associação Psiquiátrica da América Latina (Apal) e superintendente técnico da ABP, Antônio Geraldo da Silva, destacou a importância da campanha para prevenção e conscientização.

“Esses números são altíssimos, mas nós sabemos que são falhos. Mesmo assim, são assustadores.”

Crianças e jovens

Pelos dados da OMS, o suicídio é a terceira causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. É também a sétima causa de morte de crianças entre 10 e 14 anos de idade. O caminho, segundo Silva, é adotar medidas preventivas de ajuda e auxílio.

“É uma maneira de a gente salvar vidas porque 90% dos suicídios poderiam ser evitados se as pessoas tivessem acesso a tratamento e pudessem tratar a doença que leva ao suicídio”, afirmou o presidente da Apal.

Segundo o psiquiatra, em geral, a maior parte das pessoas que tenta colocar fim à vida sofre de algum tipo de transtorno mental.  

“Os estudos mostram que 100% de quem se suicida têm uma doença mental. Os trabalhos mostram isso. Nem 100% de quem pensa em suicídio têm doença mental, mas 100% de quem suicida têm transtorno mental”, afirmou.

Redes sociais

A Associação Psiquiátrica da América Latina (Apal) pretende lançar campanhas nas redes sociais ao longo deste mês para alertar sobre suicídio e oferecer apoio e ajuda. Antônio Geraldo da Silva disse que os especialistas devem abordar o assunto e buscar mais informações com psiquiatras.

A ABP quer levar isso para a população. “A ABP quer popularizar. Nós estamos levando isso para as escolas,  empresas e instituições”, afirmou o médico. “O que entristece os membros da ABP é ver que as pessoas querem abordar o assunto, mas negando a doença mental, que a depressão ou a esquizofrenia existam.”

O médico acrescentou: “Se a gente negar que a doença mental existe, como vai falar de suicídio, sabendo que 100% de quem suicida têm doença mental?”.  “É uma doença como outra qualquer. Não escolhe raça, cor, nada”.

Drogas

O psiquiatra Jorge Jaber, membro fundador e associado da International Society of Addiction Medicine, especialista no tratamento de dependentes químicos, ressaltou que o uso de álcool e drogas é o segundo fator depois das doenças psiquiátricas, como ansiedade e depressão, que leva ao aumento de suicídios.

Segundo ele, o suicídio é a causa de morte mais facilmente evitável entre todas as doenças. “Enquanto doenças infecciosas, cardiovasculares e tumores precisam de grande aporte médico e cirúrgico de alto custo, o impedimento médico do suicídio pode ser atingido com remédios bem mais baratos e somente conversando com o paciente.”

Para Jaber, o fundamental é dar atenção e escutar aquele que pensa em cometer o suicídio. “O fato de alguém que tenta suicídio ser escutado por cerca de 20 minutos pode impedir que ele tenha o impulso de cometer o ato. Ouvir o suicida salva a vida dele”.

Na clínica onde atende dependentes químicos, Jaber informou que pelo menos 20% dos pacientes internados tentaram suicídio. “Quanto mais as pessoas falarem sobre o suicídio, menos suicídios ocorrerão” disse.

Por Alana Gandra – Repórter da Agência Brasil

Rosa Weber nega prorrogação de prazo para PT substituir Lula na chapa

Foto: Reprodução

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, negou a prorrogação do prazo para o PT substituir o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na cabeça de chapa presidencial. A negativa foi dada na mesma decisão em que a ministra enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) o recurso de Lula contra a rejeição, pelo plenário do TSE, de seu registro de candidatura, a qual teve como base a Lei da Ficha Limpa. O relator deverá ser o ministro Celso de Mello.

Rosa Weber entendeu haver questão constitucional a ser discutida no caso, relacionada à argumentação da defesa, motivo pelo qual enviou o processo ao Supremo. Segundo os advogados do ex-presidente, uma liminar do Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas permitiria ao ex-presidente concorrer.

No STF, a defesa de Lula tentará novamente obter uma liminar para adiar o prazo para a troca de nome na cabeça de chapa, até que o plenário do Supremo discuta o caso do ex-presidente em definitivo.

Caso prevaleça a decisão de Rosa Weber, o PT tem até amanhã (11) para fazer a troca. Se não definir, o partido poderá ficar sem coligação na disputa à Presidência da República.

Nas articulações políticas, o nome que ganha força para substituir Lula é o do candidato a vice-presidente Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação.

Para Rosa Weber, não há motivos para prorrogar o prazo para o PT substituir o nome do ex-presidente na chapa. “Não se justifica, contudo, o deferimento do pedido de sustação da eficácia do acórdão recorrido, ainda que na pretensa extensão mínima”, diz a decisão.

A defesa de Lula pediu a ampliação de prazo para o dia 17, a próxima segunda-feira, limite máximo para a troca de candidatos, conforme a legislação eleitoral. Os advogados argumentam que a rejeição do registro do ex-presidente ainda pode ser revertida pelo STF, motivo pelo qual o prazo deve se prolongar até o último instante.

Os advogados justificam que é necessário considerar o apelo popular de Lula e as intenções de votos atribuídas a ele nas pesquisas de opinião.

Por Felipe Pontes – Repórter da Agência Brasil  Brasília

Alckmin afirma que não vai pedir ajuda a Temer, se eleito

O emedebista tem dito que pode apoiar o sucessor na desgastante tarefa de promover as reformas constitucionais até o fim de sua gestão, mas o tucano quer distância da impopularidade dele

. Foto: Alan Santos/PR

Após ser lembrado publicamente, em vídeo, pelo presidente Michel Temer (MDB) que o PSDB participou ativamente do atual governo até o início da campanha eleitoral, o ex-governador São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou que, se leito, não vai recorrer ao emedebista.

Segundo a coluna do Estadão, Temer tem afirmado que pode apoiar o sucessor na desgastante tarefa de promover as reformas constitucionais até o fim de sua gestão, mas o tucano mantém a tentativa de se distanciar da baixa popularidade do chefe do Palácio do Planalto junto aos eleitores.