Daily Archives: 7 de setembro de 2018

Brasil volta a campo hoje com novidade em relação ao time da Copa

Apenas o lateral-direito Fabinho não esteve na Rússia

A Seleção Brasileira entra em campo hoje (7) às 21h05 para enfrentar os Estados Unidos em sua primeira partida depois da Copa do Mundo da Rússia. O jogo será em Nova Jérsei (EUA) e o time titular traz apenas uma novidade em relação ao elenco que disputou a Copa. O lateral-direito Fabinho, do Liverpool, será a cara nova.

Com pouca ou nenhuma oportunidade de entrar em campo na Copa, o zagueiro Marquinhos, e o volante Fred serão titulares hoje. O time titular de hoje, conforme divulgado pela imprensa que acompanhou o treino, será: Alisson; Fabinho, Thiago Silva, Marquinhos e Filipe Luís; Casemiro, Fred e Coutinho; Douglas Costa, Neymar e Firmino.

O amistoso de hoje será o primeiro de dois marcados nos Estados Unidos. Após a partida desta sexta-feira, a seleção viajará para Washington, onde enfrentará El Salvador no dia 11 de setembro.

Capitão definitivo

Outra novidade na seleção é o fim do rodízio do capitão. Tite decidiu dar a braçadeira permanentemente para Neymar. Durante a Copa, os zagueiros Miranda e Thiago Silva, além do lateral-esquerdo Marcelo, se revezaram no posto.

“Resolvi aceitar [a braçadeira] novamente porque aprendi muita coisa e vou aprender muito mais. Essa responsabilidade vai fazer bem pra mim”, disse Neymar em coletiva de imprensa realizada ontem (6).

“O tempo passa, as pessoas crescem, amadurecem e todos nós somos seres humanos e a gente evolui com o tempo. Ele tem, sim, essa condição de dar um passo à frente, tal qual a gente evolui enquanto ser humano”, complementou o técnico Tite.

Cerca de 30 mil pessoas acompanham o desfile na Esplanada

Desfile cívico-militar na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Um público estimado em 30 mil pessoas acompanha o desfile do 7 de Setembro na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Desse total, de acordo com a Polícia Militar, 25 mil ocupam as arquibancadas instaladas no local e outras 5 mil pessoas estão espalhadas pelos arredores. 

Nas arquibancadas já era difícil encontrar espaço uma hora antes da abertura do desfile. Entre os que tiveram que acompanhar em pé, várias crianças contaram com os ombros dos pais para conseguir ver as manifestações militares. Latões de lixo também foram usados e houve quem escolhesse os galhos das árvores para garantir uma visão privilegiada e engrossar os aplausos e gritos de apoio aos militares e alunos que desfilavam.

Os olhares só desviaram quando as primeiras aeronaves começaram a sobrevoar o local roubando as atenções. Os primeiros a surgirem no céu foram os helicópteros do Exército.

O clima seguiu com tranquilidade ao longo das primeiras horas do dia. A revista que geralmente é feita na entrada do local não foi necessária, segundo a PM. Ainda assim, policiais militares circulam por toda a Esplanada em motos, carros ou a pé, assim como bombeiros e batalhões especiais como o de enfrentamento de crise e policiamento com cães.

Muitos grupos aproveitaram a concentração para panfletar e tentar buscar novos votos para candidatos que estão na disputa eleitoral de outubro. Outros quiseram fazer um dinheiro extra e vieram para vender água, pipoca, bandeiras, camisetas e churros usando estruturas improvisadas ou até bandejas que eram passadas entre o público.

O comerciante Valdecir de Vasconcelos chegou às 4h da manhã para preparar os produtos. “Trouxe 500 churros e os seis vendedores que contratei já venderam tudo antes mesmo de o desfile começar. Agora vão para os carros de pipoca”, contou.

Desfile

Desfile cívico-militar na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

O desfile cívico-militar começou às 9h, logo após a chegada do presidente Michel Temer, que veio acompanhado da primeira-dama Marcela Temer e do filho Michelzinho. Temer foi recebido pelo governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, e pelo ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna. Em seguida, Temer recebeu as honras militares da Guarda Presidencial. 

O presidente Michel Temer ao lado da primeira-dama Marcela Temer e do filho Michelzinho e outras autoridades, acompanha o desfile cívico-militar na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Também estão na tribuna presidencial para acompanhar o desfile os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Raul Jungmann (Segurança Pública), Eduardo Guardia (Fazenda), Esteves Colnago (Planejamento), Sérgio Sá Leitão (Cultura), Torquato Jardim (Justiça), Gilberto Ochi (Saúde), Carlos Marun (Secretaria Geral), Alberto Beltrame (Desenvolvimento Social) e Wagner de Campos Rosário (Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União). Diferentemente de edições anteriores, não compareceram ao desfile deste ano os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira. Também não foi registrada a presenção de autoridades do Poder Judiciário.

Em 2018, o desfile conta com a participação de cerca de 4,5 mil pessoas e tem como tema a mensagem: “Celebre a história da nossa independência”, que inclui homenagem a nomes importantes da história do país, como Dom Pedro I, José Bonifácio, Maria Quitéria, Tiradentes, Santos Dumont, entre outros. De acordo com o cerimonial da Presidência da República, o evento ainda marca o início da contagem regressiva para o bicentenário da Independência do Brasil, a ser celebrado em 2022. A apresentação deve durar cerca de duas horas. 

Por Carolina Gonçalves, Heloísa Cristaldo e Pedro Rafael Vilela – Repórteres da Agência Brasil  Brasília

Ícone de São Paulo, Museu do Ipiranga aguarda reforma há cinco anos

Por falta de segurança, todo o acervo foi retirado do prédio

São Paulo – O Museu Paulista, também conhecido como Museu do Ipiranga, está fechado desde 2013 e aguarda verba para as obras de restauração e modernização.

O incêndio no Museu Nacional, na noite do último domingo (2), no Rio de Janeiro, chamou atenção para a situação de outros museus do país, como o Museu Paulista, conhecido como Museu do Ipiranga, localizado na capital paulista. O museu que conta a história da Independência do Brasil está fechado desde 2013, esperando por uma reforma que vai ampliar sua área em cinco mil metros quadros e fazer adaptações de segurança.

A previsão é que o prédio, de arquitetura neoclássica e inaugurado em 1892, deverá ser reaberto em 2022, ano do bicentenário da Independência do Brasil, segundo previsão da Universidade de São Paulo (USP), responsável pelo museu. O projeto executivo para restauro e modernização, que está sendo realizado pelo escritório H+F Arquitetos, custou R$ 5,6 milhões e deve ficar pronto até março do ano que vem. Após conclusão deste, a USP abrirá edital para realizar as obras, que devem custar cerca de R$ 100 milhões.

São Paulo – O Museu Paulista, também conhecido como Museu do Ipiranga, está fechado desde 2013 e aguarda verba para as obras de restauração e modernização.

“O projeto [executivo] tem muitas qualidades, em especial, na perspectiva do que é necessário para essa nova etapa do museu, na perspectiva da preservação e do menor impacto no edifício que é tombado pelas três instâncias [nacional, estadual e municipal]. Estamos falando não só do restauro, mas do que estamos chamando de modernização, que é esse atendimento a todas as normas legais de acessibilidade e segurança – as quais um edifício construído no século XIX não atende mais”, disse Renata Motta, assessora da reitoria da USP.

Um dos motivos para o período de fechamento até agora, por cinco anos, é o fato de que havia 450 mil itens de acervo dentro do edifício. “É todo um conjunto de atividades muito grandes relativamente à retirada de todo esse acervo de dentro do edifício, a definição pra onde iria. Tem que ser um lugar específico, com segurança, adequação técnica”, acrescentou.

A ampliação em cerca de cinco mil metros quadrados, com a construção de um edifício no subsolo do Parque da Independência, é um dos destaques do projeto, de acordo com Pablo Hereñu, do escritório H+F Arquitetos. “A nova entrada do museu vai ser pela ampliação, não vai ser pelo edifício existente. Com isso, uma coisa interessante é que os fluxos de visitantes do museu estarão mais integrados com o parque do que estão hoje em dia”, disse.

Espaços novos de visitação dentro do prédio já existente também estão no projeto. “Existem alguns espaços hoje que não são visitáveis. Lá em cima, além de alguns locais novos de exposição, vai ser criado um mirante na cobertura da parte central mais alta o central do atual prédio, de onde vai ser possível ter uma visão panorâmica do parque e de toda a região”, contou Hereñu.

De acordo com o arquiteto, o projeto inclui o restauro e recuperação de tudo que estiver deteriorado e em mau estado de conservação, além da modernização do edifício, com novas instalações hidráulicas, elétricas, de informática e rede wifi. O arquiteto disse que não há nenhum problema grave no prédio do museu e que apenas são necessárias intervenções pontuais.

“Faz parte da modernização instalar elevadores, que atendam às demandas de acessibilidade universal, nova escada para atender às normas de circulação de emergência e sistema de combate a incêndio”, disse ele, acrescentando que as características originais do prédio serão mantidas.

Importância do museu

O presidente de Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, João Goldemberg, destaca que, apesar da crise econômica que o Brasil atravessa, há a necessidade de se priorizar os investimentos. “Nessas condições [de crise], você precisa estabelecer prioridades e obviamente segurança em um museu é uma prioridade de primeira grandeza”, avaliou, lembrando do incêndio ocorrido no Museu na Nacional do Rio de Janeiro.

“O que é lamentável no episódio do Rio [de Janeiro] é que claramente, mesmo com a falta de recursos, não foi dada prioridade para essas questões de segurança. É uma coisa duplamente lamentável: o museu ter pegado fogo e perdido o acervo, além de não terem se conscientizado que segurança é uma consideração de caráter fundamental. Além de lamentar a perda, tem que lamentar o fato de as autoridades não terem dado prioridade adequada”, disse.

Para o professor de antropologia da Unicamp, Antonio Augusto Arantes, que foi presidente do Iphan e do Condephaat, o Museu do Ipiranga é uma referência importante não só para a cidade de São Paulo, mas para o Brasil. “Porque está associado evidentemente à independência, então ele tem toda essa relação com fatos históricos que fazem parte da formação dos estudantes e dos brasileiros. É um museu que tem peças arqueológicas e etnológicas muito importantes”.

São Paulo – O Museu Paulista, também conhecido como Museu do Ipiranga, está fechado desde 2013 e aguarda verba para as obras de restauração e modernização.

A demora para realização do projeto e das obras, segundo avaliação de Arantes, se deve tanto à complexidade da execução quanto à necessidade de recursos. “São obras muito complexas para execução, tem toda uma logística de retirada das peças e acondicionamento das peças, tudo muito lento porque tem que ser feito com muito cuidado. Tudo isso é feito com muita atenção, com muito cuidado e é muito caro”, disse.

“Nós chegamos em um outro ponto que eu acho importante é que é justamente que as verbas de que nós dispomos na área da cultura de um modo geral e da conservação do patrimônio em particular são bastante limitadas”, acrescentou. Por Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil  São Paulo

Ato Civico repleto de amor pela Pátria Amada Brasil, marca passagem de 7 de setembro em Ipiaú.

Cerimônia contou com a participação da Prefeita Maria das Graças, Major Jocenvã Oliveira com a Polícia Militar, o Presidente da Câmara Municipal José Carlos Bispo, Corpo de Bombeiros, Fanfarra Municipal, alunos da rede municipal, também os vereadores Jô da AABB, Cláudio Nascimento, Orlando Santos, Robson Moreira, servidores públicos e a comunidade Ipiauenses. “Ó Pátria amada Idolatrada… Verás que um filho teu não foge à luta

Aliados escondem Temer em campanhas eleitorais

Pelo menos 16 ex-ministros do emedebista são candidatos em todo país. Só dois deles citaram o presidente no horário eleitoral na TV e no rádio desde o dia 31 de agosto e em publicações nas redes sociais

© Reuters

Presidente mais impopular da história do Brasil, Michel Temer sumiu das propagandas eleitorais de seus aliados. Pelo menos 16 ex-ministros do emedebista são candidatos em todo país. Só dois deles citaram o presidente no horário eleitoral na TV e no rádio desde o dia 31 de agosto e em publicações nas redes sociais.

Um, para criticá-lo. Foi o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, que concorre no Rio de Janeiro a uma vaga na Câmara de Deputados.Outro que citou Temer, o ex-chefe da Fazenda Henrique Meirelles, o fez de forma discreta, enquanto contava sua história na vida pública, durante o horário eleitoral. O emedebista é candidato à Presidência da República.

Já nas redes sociais, Meirelles não publicou nenhuma postagem que fizesse referência ao atual presidente. Lula, por exemplo, foi citado 26 vezes pelo emedebista.

Os outros ex-integrantes do governo ignoram o presidente. É o que faz Romero Jucá, ex-ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e que também foi líder do governo no Senado até agosto. O senador emedebista tenta a reeleição em Roraima. Um dos aliados mais fiéis do presidente diz no horário eleitoral que sua proposta para barrar a entrada de venezuelanos no Brasil não foi aceita. “Continuo cobrando providências do presidente”, diz Jucá, sem dizer o nome de Temer.

Enquanto aliados trabalham para se descolar da imagem do presidente, rivais tentam justamente lembrar quem esteve ao seu lado durante o governo.Temer atingiu o índice mais baixo de aprovação em pesquisa do Datafolha, em junho. Seu governo foi considerado ótimo ou bom por 4% dos brasileiro. O índice de quem considera seu governo ruim ou péssimo chegou a 82%.

Em Pernambuco, PT divulgou uma montagem com a “turma de Temer”. Nela, aparecem, Bruno Araújo (PSDB) e Mendonça Filho (DEM), Fernando Bezerra (PSB) e Armando Monteiro (PTB).

Em Alagoas, Maurício Quintella Lessa (PR), ex-ministro dos transportes e hoje candidato ao senado, faz menções a sua atuação no governo federal, mas sem nominar Temer. Lessa é testemunha de Temer em sua defesa no inquérito dos portos. A investigação apura se o presidente beneficiou empresas no setor de portos em troca de propina, em decreto editado em 2017.

É um ex-aliado quem mais fez referências ao presidente na propaganda. Jingle do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, candidato a deputado federal, diz, em ritmo de samba, que ele “enfrentou o Geddel das malas/ e também o Vampirão/ foi o primeiro a gritar/ chega de corrupção”.”Vampirão” é um apelido dado por rivais a Temer. E “Geddel das malas” faz referência a escândalo que envolve Geddel Vieira Lima, ex-ministro da Secretaria de Governo, preso após operação da Polícia Federal encontrar R$ 51 milhões a ele atribuídos, em malas em um bunker em Salvador.

Quando diz que “enfrentou” Geddel, Calero faz menção direta a seu pedido de demissão em novembro de 2016. Logo após entregar o cargo, afirmou à reportagem, que sua decisão foi tomada porque estava sofrendo pressão de Geddel para que interviesse na aprovação, no Iphan, órgão de preservação subordinado à pasta da Cultura, de projeto imobiliário em uma área tombada em Salvador.

O político foi preso preventivamente em setembro do ano passado, após a apreensão dos R$ 51 milhões. O emedebista foi denunciado por fazer parte, com outros integrantes de seu partido, de organização criminosa que desviava recursos de órgãos públicos e estatais, entre eles a Caixa Econômica Federal, e por ter recebido propina da JBS. Com informações da Folhapress.

Tentativa de assalto a banco deixa quatro feridos no interior de SP

O bando invadiu a agência, na Avenida José Augusto Mesquita, e anunciou o assalto, mas os seguranças reagiram e houve troca de tiros

@DR

Quatro pessoas, entre elas um suspeito, foram baleadas durante uma tentativa de assalto a uma agência do banco Bradesco, nesta quinta-feira, 6, no distrito de Moreira César, em Pindamonhangaba, interior de São Paulo.

O bando invadiu a agência, na Avenida José Augusto Mesquita, e anunciou o assalto, mas os seguranças reagiram e houve troca de tiros. Dois seguranças, um cliente e o suspeito foram atingidos pelos disparos, mas três das vítimas foram feridas de raspão. Um segurança, de 38 anos, está internado em estado considerado grave.

Após o confronto, os bandidos saíram da agência e fugiram num carro, levando o comparsa ferido. O automóvel, que tinha sido furtado no último dia 24, foi abandonado num acesso da Via Dutra. O veículo tinha marcas de sangue no interior e na lataria. Os dois vigilantes e o cliente do banco foram atendidos no pronto-socorro de Pindamonhangaba.

Outro carro com três suspeitos foi perseguido pela polícia. Um dos homens invadiu uma escola no Jardim Cristina, causando pânico entre os alunos. Ele e os outros dois foram detidos. No fim da tarde, a polícia ainda apurava se eles tiveram ligação com a tentativa de assalto ao banco. Com informações do Estadão Conteúdo.

Polícia militar apreende menores portando armas de fogo e tráfico de drogas em Ibitaraia

Todos os envolvidos, assim todo o material foram apresentados à delegacia de Ibirataia,Foto: Ascom/55CIPM-

Na tarde dessa quinta-feira, dia 06/09, por volta das 14H, o Pelotão da PM de Ibirataia recebeu uma denúncia anônima, via telefone, que o menor E. O. J. , que teve envolvimento com a tentativa de homicídio que teve como vítima Jaqueline Oliveira da Silva, se encontrava numa propriedade rural próximo ao Bairro Massaranduba juntamente com mais cinco indivíduos, de posse de armas de fogo, bem como comercializando drogas.

A guarnição da 55 CIPM/Ibirataia deslocou ao local, constatando a denúncia.

No momento da abordagem os indivíduos foram flagrados embalando as drogas; sendo que o indivíduo o menor citado se encontrava portando um revolver calibre .32, municiado com quatro cartuchos intactos, não oferecendo resistência.

No mesmo local, foi encontrado outro revólver calibre .22, ao lado do indivíduo Gilvan Menezes Rolemberg, Vulgo “Van” .

Todos os envolvidos, assim todo o material foram apresentados à delegacia de Ibirataia

Autores: Gilvan Menezes Rolemberg “Van” (Maior), Patrick Pena De Souza (Maior), E. O. J, S. S. N, R. S. S, L. S. S.

Material apreendido: Cento e Sessenta Buchas de Maconha, Quinze pedras pequenas de Crack, Um Revolver Calibre .32, Smith & Wesson, n° 659798, Quatro Cartuchos intactos, marca CBC, calibre .32, Um Revolver calibre .22. Rossi, n° 58190, Cento e Trinta e Sete reais
Um Celular Moto G5 Plus, Um Ceular LG TV, Um Relogio
Fonte: Ascom/55CIPM