Daily Archives: 20 de julho de 2018

Ipiaú: Futebol feminino de volta em nossa cidade

Foto: Divulgação/Blog do Zé Gomes

O Programa Alerta cidade da Rádio Ipiaú FM recebeu o desportista Iran Cearense nesta sexta-feira (20) para anunciar mais uma investida no futebol, desta vêz Iran está promovendo a 1ª Copa Iran Society de futebol Feminino.

Prometendo alcançar o sucesso das competições já realizadas pelo desportista Iranildo, começa no próximo domingo(22), as 9:00H da manhã com o jogão de bola entre as Equipes de Santa Rita X As Estrelas no Estádio do Ceará, a 1ª Copa Iran Society de futebol Feminino.

A competição contará com oito grandes equipes do nosso futebol, divido em duas chaves A e B, entre elas: Santa Rita, As Estrelas, Flabar, Fazenda do Povo, Irma Dulce, Pantera, Alto da Carolina e Fazenda 2 amigos.

“Mais uma vez estaremos promovendo oportunidades para que com charme, elegância e o bom futebol, as nossas atletas possam levar ao nosso grande público, belos momentos”. Declarou Iranildo Lima.

INSS convoca para perícia 178 mil beneficiários de auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez

Foto: Divulgação

O “Diário Oficial da União” publicou nesta sexta-feira (20) edital do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que convoca para perícia médica 178,9 mil pessoas que recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez. Os exames integram o pente-fino nos benefícios por incapacidade pagos pelo governo federal.

Conforme o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), pasta a qual o INSS é vinculado, os convocados para a reavaliação médica, obrigatória por lei, devem agendar o exame até 13 de agosto pela Central de Atendimento da Previdência Social, no telefone 135.

Foram convocados pelo edital, de acordo com a pasta:

168.523 beneficiários da aposentadoria por invalidez;
10.412 beneficiários do auxílio-doença.
O governo iniciou em agosto de 2016 o pente-fino nos benefícios por incapacidade pagos pelo INSS ao cidadão incapacitado de trabalhar. O exame atesta se o segurando continua sem condições de retornar ao trabalho.

No pente-fino, o INSS tem publicado ao longo do ano editais como o deste sexta para notificar os segurados da necessidade da perícia, explicou ao G1 o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame. Segundo ele, quem não agendar a perícia até 13 de agosto terá o pagamento do benefício bloqueado até regularizar a situação.

“Este é o maior edital de convocação do processo de revisão de perícias”, disse o ministro.

“Foram convocados os beneficiários de aposentadoria por invalidez e auxílio-doença que não foram localizados por causa de endereço desatualizado ou errado, e que não realizaram o agendamento da perícia ou apresentaram informações incompletas”, completou.

De acordo com as regras do pente-fino, o INSS envia carta para cada pessoa que precisa passar pela perícia. Depois de receber a carta, o beneficiário tem até cinco dias úteis para agendar a perícia pelo 135.

Caso a consulta não seja agendada, o pagamento fica suspenso até o convocado regularizar sua situação. A partir da suspensão, o beneficiário tem até 60 dias para marcar o exame. Se não procurar o INSS neste prazo, o benefício será cancelado.

Balanço
Segundo o MDS, de agosto de 2016 até 30 de junho deste ano foram realizadas 791,4 mil perícias no país, com 450,2 mil auxílios-doença ou aposentadorias por invalidez cancelados. Ou seja, pouco mais da metade (56,9%) das perícias realizadas resultaram no cancelamento do benefício.

Auxílio-doença

Perícias realizadas: 431.582
Benefícios cancelados: 341.746
Aposentadoria por invalidez

Perícias realizadas: 359.889
Benefícios cancelados: 108.512
Beltrame afirmou que o pente-fino gerou economia de R$ 9,6 bilhões apenas com as revisões de auxílio-doença. A previsão do governo federal é realizar até o fim do ano 1,5 milhão de perícias.

No caso do auxílio-doença, é convocado quem recebe o benefício e há mais de dois anos não passa pela revisão médica obrigatório do INSS.

Devem passar pela perícia da aposentadoria por invalidez beneficiários com menos de 60 anos de idade que estão há dois anos ou mais sem realizar perícia. Ficam de fora as pessoas com mais de 60 anos e quem tiver 55 anos com benefício há pelo menos 15 anos.

PDT confirma Ciro Gomes para disputa da Presidência; candidato diz que não é ‘anjo’ e que vai atacar ‘privilégios’

O ex-governador do Ceará Ciro Gomes (centro), em evento do partido. (Foto: Gustavo Garcia/G1)

O PDT confirmou em convenção nacional nesta sexta-feira (20) em Brasília a escolha de Ciro Gomes como candidato à Presidência da República. O ex-ministro e ex-governador do Ceará foi escolhido por aclamação pelos filiados que participaram do evento. Ele concorrerá a presidente pela terceira vez.

Na chegada ao evento, Ciro Gomes afirmou que fala “10 horas por dia” e que “evidentemente” pode errar “aqui e ali”. “Nunca tive pretensão de ser um anjo”, afirmou.

Em seu primeiro discurso como candidato, Ciro Gomes disse que o Brasil é um país “grande e com recursos” para “oferecer uma vida feliz ao povo”. “O que está faltando é coesão, debate franco sobre o Brasil que queremos”, declarou.

O candidato afirmou que é necessário acabar com “a cultura de ódio” no país. “Acabar com essa ideia de brasileiro contra brasileiro se ferindo pela internet”, disse.

O político declarou que precisará de todos os segmentos da sociedade, “porque ninguém é dono da verdade”. “Apesar de alguns quererem tratar [isso] com frases de efeito”, afirmou.

Privilégios
Durante o discurso, Ciro afirmou ainda, sem citar exemplos, que vai “perseguir” e “encerrar” cada privilégio.

“Vou olhar com uma lupa cada conta, cada privilégio. Comigo privilégio vai ser perseguido e encerrado, seja de quem for. Poderosos, como se acham que são, cada privilégio será trazido à denúncia pública”, disse o candidato.

Corrupção e economia
O ex-governador do Ceará também defendeu o combate à corrupção, que chamou de “câncer a crença do povo na política”.

Sobre economia, Ciro disse que, a “pretexto de austeridade fiscal”, “essa gente quebrou o país”, sem especificar a quais governos estava se referindo. “O Brasil nunca esteve tão fragilizado nas contas públicas”, declarou.

Ciro citou números das contas públicas e fez críticas ao que se deve ao “baronato”. Mas, ressaltou: “Não cabe aventura, ruptura, nem desrespeito aos contratos”.

Ciro Gomes, candidato do PDT à Presidência da República, discursa durante convenção do partido em Brasília. (Foto: Alessandra Modzeleski/G1)

O candidato defendeu um novo “projeto nacional de desenvolvimento” com apoio à indústria e ao comércio nacionais, que, na avaliação dele, estão “sofrendo”.

“Será que dá para pagar celular moderno, química fina, maquinário e equipamentos com minério de ferro bruto, soja em grãos, e petróleo bruto? Não. Essa conta não fecha e, por isso, o Brasil quebra”, afirmou.

“O Brasil é o país que mais destrói as próprias indústrias no capitalismo mundial”, acrescentou.

Desemprego e geração de renda
Ciro Gomes citou os altos índices de desempregados e de brasileiros que trabalham na informalidade e disse que, se eleito, investirá na geração de empregos e renda.

“[Precisamos] acabar com a vergonha da extrema pobreza, avançar na educação e em uma saúde que atenda a mínima dignidade do povo, apostar na diversidade, e investir na ciência e na tecnologia”, disse o pedetista, enumerando as prioridades caso se torne presidente do país.

Segurança pública e saúde
O pedetista também defendeu maior participação da União na segurança pública, além do direcionamento das polícias federais para o combate a organizações criminosas violentas.

Ciro afirmou ainda que investirá em inteligência para a prevenção de homicídios e controle das fronteiras.

Sobre saúde, o candidato declarou que é preciso reduzir a espera pelos atendimentos ambulatoriais.

Educação
O pedetista também disse que pretende investir na educação pública que, possivelmente, será a maior prioridade se for eleito.

“Educação de qualidade é a única saída para uma nação se emancipar”, opinou.

Em relação ao setor, Ciro disse que dará continuidade à política de cotas para fazer “justiça” com os “discriminados” da sociedade brasileira.
Carreira política
A eleição presidencial de 2018 será a terceira tentativa do político de chegar ao Palácio do Planalto. Ciro concorreu nas eleições de 1998 e de 2002, mas jamais chegou ao segundo turno.

Atual vice-presidente do PDT, Ciro Gomes foi ministro da Fazenda entre setembro de 1994 e janeiro de 1995, período final do governo Itamar Franco e início do governo Fernando Henrique Cardoso.

Advogado, Ciro também foi ministro da Integração Nacional, entre janeiro de 2003 e março de 2006, no primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva.

Ex-governador do Ceará e ex-prefeito de Fortaleza, Ciro Gomes já foi deputado federal e está no sétimo partido desde que entrou para a política (também foi filiado a PDS, PMDB, PSDB, PPS, PSB e PROS).

Compareceram ao evento, o presidente da legenda, Carlos Lupi, o irmão de Ciro Gomes, Cid Gomes, o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves e também os deputados que representam o partido na Câmara dos Deputados.

No discurso de abertura do evento, o presidente do PDT comentou críticas ao tom das declarações de Ciro Gomes.

“Como dá pra ser mole com o Brasil com tanta desgraça, com tanta corrupção, com tanto golpista no Palácio do Planalto?”, questionou.
E acrescentou: “Aqueles que te atiram pedras são os mesmos que vão ver você construir o futuro da nação brasileira”.
Fonte: G1

Processos eleitorais terão prioridade de tramitação a partir desta sexta-feira (20)

Foto: Divulgação/TSE

A partir desta sexta-feira (20), os processos eleitorais terão prioridade de tramitação e julgamento em relação a quaisquer outros, ressalvados os habeas corpus e mandado de segurança. A medida vigora até 2 de novembro, cinco dias após a realização do segundo turno das Eleições 2018.

A determinação está no caput do artigo 94 da Leis das Eleições (Lei 9.504/1997), segundo o qual “os feitos eleitorais, no período entre o registro das candidaturas até cinco dias após a realização do segundo turno das eleições, terão prioridade para a participação do Ministério Público e dos Juízes de todas as Justiças e instâncias, ressalvados os processos de habeas corpus e mandado de segurança”.

A Lei das Eleições (artigo 94, parágrafos 1º e 2º) estabelece ainda que magistrados e integrantes do Ministério Público, a partir desta sexta-feira (20), não podem deixar de cumprir a determinação, sob pena de incorrerem em crime de responsabilidade e ficarem sujeitos a anotação funcional para efeito de promoção na carreira.

Para a apuração dos delitos eleitorais, a Justiça Eleitoral contará com o auxílio das polícias judiciárias, dos órgãos da Receita Federal, estadual, municipal, dos tribunais e órgãos de contas. A lei determina ainda que os advogados dos candidatos, partidos e coligações serão notificados sobre os processos pela Justiça Eleitoral com antecedência mínima de 24 horas.

Nos tribunais eleitorais, os advogados serão intimados para os processos que não tratem sobre a cassação do registro ou do diploma por meio da publicação de edital eletrônico publicado na página do respectivo tribunal na internet (artigo 94, parágrafos 3º, 4º e 5º da Lei das Eleições).

Impedimento

O dia 20 de julho também é a data a partir da qual não poderão servir como juízes, nos tribunais eleitorais, o cônjuge ou o parente consanguíneo ou afim, até o segundo grau, de candidato a cargo eletivo registrado na circunscrição. O impedimento ocorre da homologação da convenção partidária até a diplomação e nos feitos decorrentes do processo eleitoral. A regra está no parágrafo 3º do artigo 14 do Código Eleitoral (Lei 4.737/1965).
Fonte: TSE

Lupi diz que PDT não sofre com preferência de Centrão por Alckmin

Foto: Elza Fiúza/ Agência Brasil

O presidente nacional do PDT, ex-ministro Carlos Lupi, disse à coluna do Estadão que o partido não está sofrendo com os acenos dos partidos do Centrão a Geraldo Alckmin (PSDB), em detrimento de Ciro Gomes para a corrida ao Palácio do Planalto.

“Desejaríamos que viessem, mas, se não acontecer, não muda nada para nós. Não se perde o que não se tinha”, afirmou o pedetista.

Democratas, PP, PR, PRB e Solidariedade estiveram muito próximos de Ciro, mas o perfil de franco atirador do político nordestinos, que não poupa figuras como o presidente Michel Temer (MDB) de duras críticas,  provocou rachas internos nas siglas e comprometeu a aliança.

Contra Ciro, Temer colocou cargos em xeque para pressionar Centrão

Brazil’s President Michel Temer, REUTERS/Ueslei Marcelino

Democratas, PP, PR, PRB e Solidariedade chegaram perto de anunciar apoio à candidatura de Ciro Gomes (PDT) ao Palácio do Planalto, mas pesaram contra a aliança uns “recados” enviados pelo presidente Michel Temer (MDB) por meio de interlocutores.

Segundo o Estadão, o emedebista ameaçou tirar cargos de confiança do governo de partidos do Centrão que levassem à frente a ideia de marchar com o pedetista, mesmo sem impor a adesão à campanha de Henrique Meirelles, por enquanto, pré-candidato do MDB.

Em jogo, somente os ministérios da Saúde, Cidades e Agricultura, que juntos somam R$ 153,5 bilhões em orçamentos, renderiam um baita prejuízo ao PP, considerado o mais vulnerável do bloco na transação.

Bahia.Ba