Daily Archives: 25 de abril de 2018

Partido Democrata de Itapetinga promove reunião e demostra unidade e força!

Foto: Ascom/Dem

O Partido Democratas (DEM) de Itapetinga realizou reunião política na última terça-feira, 24 de abril de 2018, na Câmara Municipal de Vereadores, promovida pela Comissão Executiva Municipal, contou com a presença do líder político Dr. José Otávio Curvelo, do Vice-Prefeito Renan Pereira, dos vereadores do partido, de representantes do núcleo dos movimentos Mulher Democratas e Juventude Democratas e de diversas lideranças do município.

Na reunião ficou definida por unanimidade a adesão a pré-campanha de José Ronaldo como nome das oposições para Governador da Bahia, bem como, a indicação dos nomes de José Carlos Aleluia e Sandro Regis, para deputados federal e estadual a serem apresentados para a comunidade
Fonte: Ascom/Democrata

Quase metade da base de Neto pode concorrer para ajudar Ronaldo e deputados

Foto; Politica Livre

Quase metade dos vereadores que integram a base do prefeito ACM Neto (DEM) na Câmara Municipal pode ser candidata à Assembleia Legislativa e à Câmara dos Deputados dentro de uma estratégia lançada pelo próprio democrata com o objetivo de ajudar na campanha de José Ronaldo (DEM) ao governo e na reeleição das atuais bancadas de deputados estaduais e federais da oposição.

O projeto coloca o prefeito de Salvador no centro das articulações para minimizar o impacto da sua desistência em concorrer ao governo, que acabou levando vereadores que pretendiam disputar estas eleições ajudados por sua candidatura a sair da campanha. Assim, por exemplo, a seu pedido, devem retomar a idéia de se candidatar os vereadores Ana Rita Tavares (PMB) e Maurício Trindade (DEM).

Sob o mesmo princípio, devem entrar também na disputa os vereadores Sabá e Paulo Magalhães Jr., do PV, e Igor Canário (PHS). “Teremos um exército em Salvador, com todo o apoio do prefeito, trabalhando o nome de José Ronaldo e ajudando a levantar votos para ajudar na eleição das coligações proporcionais”, diz um deputado que conversou diretamente com ACM Neto sobre a proposta de lançamento dos candidatos a vereador.

Ao todo, 14 nomes já estão praticamente fechados com a proposta de concorrer no grupo do prefeito, o que equivale a quase metade do número total de sua base na Câmara Municipal, que chega a 31 vereadores. A relação, no entanto, pode ainda aumentar, segundo colaboradores do prefeito. Veja abaixo a lista dos candidatos montada até agora, obtida com exclusividade por este Política Livre:

Vereadores candidatos à Assembleia Legislativa:

1) Alexandre Aleluia (DEM)

2) Ana Rita Tavares (PMB)

3) Léo Prates (DEM)

4) Maurício Trindade (DEM)

5) Paulo Câmara (PSDB)

6) Tiago Correia (PSDB)

7) Paulo Magalhães Jr. (PV)

8) Saba (PV)

Vereadores candidatos à Câmara dos Deputados:

1) Cezar Leite (PSDB)

2) Joceval Rodrigues (PPS)

3) Igor Kanario (PHS)

Vereadores que podem sair à Assembleia ou à Câmara dos Deputados:

1) Odiosvaldo Vigas (apesar de estar no PDT, é da base de ACM Neto)

2) Orlando Palhinha (DEM)

3) Vado Malassombrado (DEM)

ITAPETINGA: GRUPO DO EX-PREFEITO ZÉ OTÁVIO VAI APOIAR SANDRO REGIS A ELELUIA

Em Itapetinga o grupo político do ex-prefeito Zé Otávio (DEM) se reuniu e definiu que vai apoiar na eleição deste ano os deputados Sandro Regis e Aleluia, ambos do DEM.
O vice-prefeito Renan Pereira (DEM) estava disposto a ser candidato a deputado estadual, mas optou por desistir e apoiar os candidatos do grupo.
A expectativa é que o grupo consiga uma votação expressiva para os deputados.
Politicos do sul da Bahia

STF aceita recurso do ex-presidente Lula sobre investigações do sítio em Atibaia

© Stringer/Reuters-

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal decidiu nesta terça-feira (24) retirar da Justiça Federal em Curitiba e enviar para a Justiça Federal em São Paulo, os depoimentos das delações premiadas de empresários da construtora Odebrecht que tratam da reforma de um sítio na cidade de Atibaia, que seria do ex-presidente Lula.

As investigações sobre a compra do imóvel para o Instituto Lula e o pagamento de palestras do ex-presidente também passam a ser conduzidas pela Justiça paulista, local em que teriam ocorrido os crimes.

A decisão atendeu ao pedido da defesa do ex-presidente e revogou a determinação do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF, que encaminhou o caso para a 13ª Vara Federal em Curitiba, comandada pelo juiz Sérgio Moro.

Por 3 votos a 2, os ministros entenderam que as acusações não têm relação com os desvios de recursos na Petrobras.

Em nota, a defesa de Lula afirmou que a decisão desta terça confirma o que sempre foi dito por seus advogados, que não haveria qualquer elemento concreto que justifique a competência da justiça federal em Curitiba nos processos envolvendo o ex-presidente, o que seria sinal de juízo de exceção.

Na segunda-feira, os advogados de Lula protocolaram no Tribunal Regional Federal da Quarta Região um recurso especial, direcionado ao Superior Tribunal de Justiça, e um recurso extraordinário, dirigido ao Supremo Tribunal Federal, questionando a condenação de Lula em segunda instância.
news.google.com

Três são presos com 98,5 quilos de maconha em Joinville

Maconha estava no porta-malas e no banco de trás (Foto: PRF/Divulgação)

Dois homens e uma mulher foram presos na BR-101 em Joinville, no Norte catarinense, por volta das 19h30 de terça-feira (24) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Um casal transportava 98,5 quilos de maconha dentro de um Ecosport e o motorista de Classic confessou aos agentes que era dono da droga.
Conforme a corporação, os policiais foram informados sobre o acidente de um Classic no Paraná, próximo a Santa Catarina, e que a carga, semelhante a tijolos enrolados em fita adesiva, havia sido transferida para um carro com placas de Joinville.
Os policiais abordaram o Ecosport, onde estava o casal, o motorista de 31 anos e mulher dele, de 30, além da filha de ambos, de 12 anos.

Casal estava com maconha no veículo em Joinville (Foto: PRF/Divulgação)

A droga estava no porta-malas e no banco traseiro do Ecosport, ao lado da menina. Outra equipe da PRF encontrou o Classic que se acidentou e abordou o motorista, de 29 anos. Ele confessou que a droga era dele.
Os três presos foram encaminhados à Central de Polícia de Joinville, onde, conforme a PRF, devem responder por tráfico de drogas. Os dois carros e a maconha foram apreendidos e a criança ficou aos cuidados do Conselho Tutelar.
Fonte: G1

A fragilidade da Lava Jato

Ministros da Segunda Turma do Supremo, durante o julgamento que decidiu retirar do juiz Sérgio Moro trechos de delações de ex-executivos da construtora Odebrecht (Foto: Carlos Moura/SCO/STF)

A decisão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) de enviar à Justiça paulista os trechos da delação da Odebrecht relativos ao sítio de Atibaia e do Instituto Lula, cujos processos correm em Curitiba, terá consequências profundas, não apenas jurídicas.
A mais óbvia é a tentativa de retirar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da órbita do juiz Sérgio Moro. Com a decisão, a defesa de Lula poderá argumentar que os próprios processos, não apenas os trechos das delações, deveriam ser julgados noutro lugar.
Também poderão argumentar em seus recursos aos tribunais superiores que o processo em que Lula já foi condenado, relativo ao apartamento no Guarujá, não deveria ter sido julgado por Moro – e usar como evidência a decisão da Segunda Turma.
Na verdade, a manobra poderá retirar todos esses processos não apenas do âmbito de Moro, mas também do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que se revelou ainda mais duro que Moro e ampliou a condenação de Lula no caso do Guarujá.
Juridicamente, a decisão era previsível. A interpretação das delações tem caráter subjetivo e, no ano passado, o próprio relator da Lava Jato, ministro Edson Fachin, decidira enviar a São Paulo trechos da delação da Odebrecht relativos a negócios do filho de Lula, Luís Cláudio Lula da Silva.
A defesa de Lula aproveitou um ponto de fragilidade conhecido na Lava Jato. Quem acompanha a operação conhece de cor os parágrafos que se repetem nas denúncias dos procuradores paranaeses e sentenças de Moro para reivindicar a competência local para julgar a corrupção em obras distantes, seja em Pernambuco (Refinaria Abreu de Lima), Rio de Janeiro (Angra III), Atibaia ou Guarujá.
A justificativa apresentada por Moro para julgar um caso é, na essência, a conexão com o caso da Petrobras, pois uma das obras investigadas pela Lava Jato, a refinaria Repar, fica no Paraná. Como todo desvio da Petrobras pode, em tese, ter prejudicado a obra paranaense, dizem Moro e os procuradores, é correto julgar todos os casos que dizem respeito à Petrobras no Paraná.