Atuação política de Marielle estaria ligada ao assassinato

© Tânia Rêgo/Agência Brasil

A morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes voltou a ser abordada pelo secretário de Segurança do Rio, general Richard Nunes. A atuação política da parlamentar pode ter conexão com o crime, cometido no último dia 14, no Centro do Rio. O titular da pasta concedeu entrevista à Globonews TV nesta quinta-feira (29).

“Não há dúvida de que a atuação política dela, o que ela representa politicamente, não só no momento, mas o que no futuro ela poderia representar, indica que temos que ter um olhar mais apurado nesta direção. Isso é inegável”, afirmou Nunes, afirmando que essa seria uma das linhas de investigação do caso.

Ele ainda acrescentou que hipóteses que poderiam ter relação com o duplo homicídio, como motivação pessoal ou vingança por demissão de funcionários, estão descartadas. “Não foi nada disso. Não houve demissão, foram remanejamentos. E isso a gente descobriu pelos relatos”, explicou.

Segundo o general, já foram ouvidas mais de 30 pessoas. “Só hoje ouviram mais cinco”, detalhou. O secretário também leva em consideração o envolvimento de mais uma pessoa no crime. O Disque-Denúncia já recebeu mais de 70 denúncias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *