MDB pode ter candidato ao governo do estado

Lúcio Vieira Lima

Cada vez mais isolado no grupo do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), o deputado federal Lúcio Vieira Lima surpreendeu, ontem, e disse que o seu partido, o MDB, pode lançar um candidato ao governo da Bahia. Segundo ele, a medida será tomada caso o presidente Michel Temer (MDB) confirme que será candidato à reeleição. “

Se Michel Temer diz que é candidato, há uma possibilidade de fazer palanque. E é contra Neto? Neto não vai fazer palanque para Rodrigo Maia? Se Michel for candidato, eu vou fazer o quê? Tenho que ter o palanque para ele. Não é para dar porrada em A, B ou C. O PMDB vai defender as suas bandeiras”, afirmou. Nos bastidores, especula-se que o MDB pode lançar o ex-ministro João Santana ou o coronel reformado Roberto Guimarães.

Lúcio Vieira Lima sugeriu também que o ex-prefeito de Salvador, João Henrique, pode ser o candidato do partido ao Palácio de Ondina. O ex-chefe do Thomé de Souza se filiou recentemente ao PRTB. “Pode ser qualquer um. Pode ser uma novidade, ou um ex-prefeito… O candidato vai estar na TV por 45 dias. O que é que o político perde?”, questionou.

A decisão de Lúcio de lançar candidato ao Palácio de Ondina é vista como interessante para o grupo de ACM Neto, já que o democrata soteropolitano tem tentado se distanciar da crise do partido do deputado. A sigla enfrenta momentos difíceis desde que a Polícia Federal encontrou malas com R$ 51 milhões um apartamento ligado ao ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, e ao seu irmão, Lúcio Vieira Lima.

Para evitar que o desgaste da agremiação afete a sua provável campanha ao governo, ACM Neto já cogitava romper com a legenda. Lúcio, no entanto, negou que haja qualquer estremecimento na relação com o prefeito. “Qual é o problema que eu tenho com Neto? Nenhum. Qual é a briga que tem com Neto? É especulação. Nos damos maravilhosamente bem. Neto comigo sempre foi muito correto.

Desmentiu todas essas especulações e sempre disse palavras de muito carinho. Não tem queixa, até porque ninguém me deu motivo”, ressaltou. Neto evitou, ontem, comentar a decisão do MDB de ter postulante ao governo. Disse apenas que se vivia “momentos de grande especulação na política baiana”. “A prudência sugere o silêncio nessas horas”, pontuou. 

Politica Livre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *